junho 2011

O valor de uma palavra

“Como maçãs de ouro em salvas de prata, assim é a palavra dita a seu tempo.” Provérbios 25:11

Terrível a notícia do empresário morto, recentemente, na cidade de Cuiabá, por um segurança de banco. Segundo o agressor, o empresário sempre se alterava com o travamento da porta giratória de aceso ao banco e, no dia fatídico, alegou ter sido chamado de “macaco”; resultado, atirou três vezes contra o homem, um senhor de 71 anos. Notícias como estas mostram a banalização, cada vez maior, da vida humana, mas trazem uma reflexão profunda sobre a qualidade das palavras que proferimos a todo instante.

Dias atrás, uma pessoa me disse que não gostara do que ouvira do seu cônjuge e lhe respondera em tom mais forte que o dele. Muitas vezes nossas palavras são destituídas de amor, compreensão e perdão e completamente carregadas de ira, rancor, ressentimento, etc., sentimos o nosso orgulho ferido e tratamos de descarregar em palavras naquele que achamos ser o culpado ou, pior ainda, naquele que estiver mais próximo de nós, achando que com isto nossa honra será “lavada”. Temos um sentimento, momentâneo, de alegria, de satisfação. O sábio Salomão nos recomenda, em sua grande sabedoria, fruto de um pedido seu feito ao Eterno, que muito mais prudente que responder à altura, é calar-se ou responder com brandura. Tome a decisão de lutar contra o desejo de responder à altura qualquer tipo de provocação, venha ela de onde vier. Siga o conselho de Salomão e faça como Cristo que, mesmo em meio a um grande momento de dor e agonia, apenas pediu ao Pai que perdoasse os seus ofensores.

Não retruque, não “responda”, ore pelo outro e voce terá dias mais felizes e tranquilos.

Gelson de Almeida Jr.O valor de uma palavra
leia mais

O que você vai fazer com o ouro?

Vamos partir do pressuposto de que sim, você conheceu a Cristo. Sim, a enormidade do amor que Ele demonstrou por você te partiu ao meio, você chorou como criancinha (por dentro ou por fora, tanto faz), permitiu que Ele entrasse na tua vida e passou a sorrir o sorriso inevitável e pacífico dos que despendem tempo com Ele.

E agora, o que você vai fazer com isso?

Você lembra da história de Gideão. Ele tinha que se esconder pra poder malhar um pouco de trigo pra sua família ter pão, porque se os midianitas vissem, chegavam e levavam embora. Eles levavam tudo que se plantava e criava em todo Israel, igualzinho aqueles moleques malvados e grandalhões que aparecem nos filmes americanos, roubando o dinheiro do almoço dos menorzinhos. Então Deus o chama, ele conclama os homens para a guerra, Deus só permite que ele vá com trezentos contra um exército de milhares e esse exército é desbaratado. Ele persegue os reis que lhe faziam guerra até que o último fosse morto.

É evidente que ele se tornou um herói nacional em pouquíssimo tempo e a Bíblia conta que Israel foi em peso convencê-lo a aceitar ser coroado rei. Israel ainda não tinha rei e desde a morte de Josué vivia altos e baixos espirituais, começando por absorver uma religião sincretista, meia adoração a Deus, meia a Baal e seus coleguinhas. Gideão tinha a cabeça no lugar. Tinha alcançado vitórias brilhantes e sabia que elas só podiam ser tributadas a Deus. Como você, que conheceu a Cristo, permitiu Sua entrada em teu coração e teve sua escala de gostos e valores virada de cabeça pra baixo.

Gideão respondeu que não, que o Senhor, e só Ele seria o líder da nação. Afinal, Israel fora criada por Ele para ser uma teocracia, que levasse Seu conhecimento a todas as outras nações. Ponto para Gideão,
respondeu certinho. Assim como você não cede à tentação de atrair para si as glórias que não são tuas, pelos sucessos que Cristo te dá. Assim como você não usa sua influência para desvirtuar as coisas de
Deus.

Mas Gideão era pobre e pediu que cada nobre de Israel lhe desse um anel de ouro, dos que eles haviam tirado dos midianitas. Era pouca coisa, um anelzinho entre tanta riqueza. Gideão era pobre e seu pedido era justo, tanto que foi prontamente atendido.

A seqüência é que foi de doer. Ele resolveu fazer, com aquele ouro todo, um éfode. O éfode parece que era um instrumento usado para adivinhar a vontade de Deus. O sumo sacerdote tinha um, no peitoral
de sua roupa. Poxa, ele não queria ser rei e a idéia brilhante que teve foi fazer um éfode, um objeto místico, para saber a vontade de Deus! Mas o homem havia acabado de receber a visita de anjos da parte
dEle, dizendo exatamente o que deveria fazer, pra que raios ele ia querer uma bola de cristal, como se ela pudesse lhe garantir o favor de um Deus cujo favor já tava mais que garantido?

O resultado foi que o povo “se prostituiu” atrás desse éfode. Não me pergunte o que isso significa, tenho até medo de imaginar. Só sei que a história de Gideão poderia ter um final bem melhor.

Pense no que você vai fazer agora com essa paz, com essa força, com essa estabilidade emocional, mental, com esse equilíbrio, com essa esperança, com essa alta auto-estima, com tudo o que Cristo te deu com o maior prazer, atendendo aos teus pedidos. No momento em que você abaixar a cabeça para olhar para essas coisas, como se elas fossem algo separadas do Deus que as deu, elas podem se tornar uma desgraça na tua vida e na dos que você ama.

Não tire os olhos dos olhos dEle.

Marco Aurélio BrasilO que você vai fazer com o ouro?
leia mais

Muito mais do que pedimos ou pensamos

“Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos, conforme o seu poder que opera em nós, a ele seja a glória…” (Efésios 3:20-21)

Há dois anos atrás eu escrevia para a semente do dia, e por diversos motivos parei… mas hoje, após experimentar em toda profundidade este verso acima, estou de volta, para escrever logo no início da semana, às segundas-feiras!

Seja o que for que estivermos passando, tenhamos em mente que Deus “é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos ou pensamos”, e isto somente porque Ele age “conforme o seu poder”. E Ele quer agir com Seu poder sobre nossas vidas, basta que permitamos.

E este permitir só acontece quando nos sentimos impotentes, tão pequenos e falíveis que precisaremos de Alguém muito maior do que nós e nossas circunstâncias para darmos um salto para um outro momento, para outra circunstância, agora, dada por Deus.

Minha proposta para esta semana é que demos cada passo com fé nAquele que é poderoso, nAquele que tem pensamentos de paz e não de mal sobre nós (Jeremias 29:11), nAquele que prometeu aliviar nossos fardos (Mateus 11:28-30), nAquele que pode fazer muito mais do que o que pensamos ou pedimos!…

ComunicaçãoMuito mais do que pedimos ou pensamos
leia mais