Últimas Publicações

A alegria da união

Senhor, que Tu possas segurar a mão de cada um de teus filhos, para que sintam a Tua direção, a Tua presença, a Tua graça e o Teu amor. Que não desistam quando os problemas e as dificuldades estiverem diante deles, mas que continuem fiéis a ti”.

Na manhã de sábado, logo depois de ter realizado o batismo de quatro pessoas, sendo três delas de uma família inteira, com essas palavras o pastor Kleber terminava a sua oração intercessora, em nome de Jesus, pelos novos membros da família de Cristo, inclusive, por aqueles que ainda estão por tomar a decisão de dizer, sim, ao Senhor, sendo esta, também conforme suas palavras de sacerdote, a mais importante decisão que o ser humano pode tomar em sua vida.

A alegria vivida nessa manhã transbordou todo o entendimento, não podendo ser descrita em palavras. A única forma honesta com que posso tentar traduzir aquele instante está nas palavras de Vinícius, um adolescente, membro da igreja, que ao chegar próximo a mim, disse-me: “Tio, o céu está em festa nesta manhã”.

Ver aquelas pessoas ali, recém-convertidas, orando em comunhão com igreja, revestidos de humildade diante da grandeza de Deus e da consciência de serem dependentes dEle, razão da sua decisão de entrega e, por isso mesmo, exaltados por Ele, é um dos maiores testemunhos de fé que se pode vivenciar; além de representar o começo da caminhada com Cristo, também é um exemplo para todo aquele que pense em seguir esse caminho, tanto quanto para aquele que, afastado dele, precise voltar.

Testemunhar essas novas criaturas unidas a Cristo, elas com a igreja e a igreja em união orando por elas, exerce sobre nós uma alegria espiritual indescritível, remetendo-nos àquela vivenciada pelo rei Davi quando salmodiou a união dos irmãos em torno do Eterno.

Uma experiência, de fato, real com Deus. É como o orvalho que desce do Hermom aos montes de Sião que estão ao seu redor. Todos são beneficiados com vida.

Que nossa semana seja sustentada pela essência dessa união vivida em comunidade, pois ela provém da certeza de que Cristo é o nosso Mestre, o nosso redentor, o cabeça da igreja, e que de mãos dadas com ele e por meio dele, é que retornamos ao convívio com o Pai, razão de termos nascido, estarmos vivos e, pela sabedoria ensinada do alto, termos escolhido viver felizes em união com os irmãos de fé.

Louvado seja Deus, porque a Sua misericórdia dura para sempre! Amém!

Um Peregrino da Palavra

Sady FolchA alegria da união

Artigos Relacionados