Últimas Publicações

A Negligência de Júlio César

15 de março de 44 d.C, o general e estadista romano Júlio Cesar foi assassinado por um grupo de senadores, incluindo seu filho adotivo Brutus. Acredita-se que, na manhã do dia em que foi assassinado, Júlio César tenha recebido uma carta de Artemídoro, avisando-lhe do complô. Acerca disto existem duas versões, uma afirmando que ele leu a carta e, mesmo assim, foi ao Senado e outra de que ele não leu a carta. O fato é que, há muito, ele se mostrava autoconfiante, arrogante e autossuficiente e isto lhe foi fatal.

Não interessa se por descuido, negligência ou um grande sentimento de autossuficiência, o fato é que ele morreu uma morte que poderia ter sido evitada.

Há muito o Pai nos enviou Sua carta afim de nos alertar sobre os acontecimentos futuros, Paulo afirma que os relatos contidos nela servem de aviso a nós, que vivemos no fim dos tempos (I Coríntios 10:11). Com seu eterno amor o Pai nos avisou como é o fim daqueles que insistem em não fazer a Sua vontade, além disso, deixou-nos o Espírito Santo afim de, diariamente, nos orientar sobre o caminho a seguir e nos auxiliar na caminhada rumo ao Reino do Pai.

Os avisos e sinais estão por toda parte, felizes serão os que estiverem atentos. O erro de Júlio César foi fatal, não cometa o mesmo erro.

Gelson De Almeida Jr.A Negligência de Júlio César

Artigos Relacionados