Últimas Publicações

# A Serviço da Obra

aQuem conhece a Deus sabe que Ele se preocupa com os mínimos detalhes, não permitindo que um fato sequer deixe de estar ligado ao contexto que Ele preparou para nossa existência. Cada qual de nós tem a própria história para viver de acordo com os sonhos que Ele sonhou para nós, de bem e não de mal, todos realizando a parte que lhe cabe em favor não apenas de um mundo melhor, mas como um corpo equilibrado que avança em direção ao reino.

O interessante nessa história é que cada um de nós, ainda que tenhamos dons e ocupações diferentes, somos igualmente importantes para o equilíbrio geral. Assim como o corpo tem tudo o que precisa para seguir pela existência, a humanidade é um corpo que deveria estar em harmonia para que houvesse equilíbrio entre os homens. Contudo, sabe-se bem, isso é impossível neste mundo de pecado que justifica as dores produzidas pelo egoísmo, pelo orgulho e pela vaidade. Todos compostos pela mentira.

No entanto, há um plano que determinou o caminho onde se deve construir em benefício dos que queiram viver a verdade, alcançando o equilíbrio da vida. A obra de Deus se encarregou do planejamento para essa edificação. A igreja é esse prédio. Nós somos esse prédio. A palavra do Eterno é a planta baixa que determina toda a construção; Ele é o arquiteto que a desenhou e elaborou os espaços a serem dispostos no tempo; O Messias é o engenheiro que se responsabilizou pelos cálculos e pela distribuição de cargas, determinando os materiais a serem empregados na obra; o Espírito Santo, por sua própria essência, é o material com que somos moldados para que a construção se erga.

Também somos os mestres de obra, os eletricistas, os pedreiros, seus ajudantes e os encarregados dos mais diversos trabalhos que se fazem necessários para que a obra siga o seu rumo conforme determinado.

Se ao recebermos os dons que devem ser empregados na obra, e por acaso, a exemplo de um mestre de obras, deixarmos de seguir as ordens do engenheiro, este que tem as plantas do arquiteto nas mãos, e agirmos conforme nossa própria interpretação, certamente a obra restará comprometida, sendo apenas questão de tempo o seu desmoronar.

Não há ninguém melhor nessa história, com exceção do Arquiteto, do Engenheiro e da Fonte que fornece o material de qualidade para a edificação da obra. Eles são perfeitos. Eles trabalham desde o início dos tempos até os dias atuais para que a obra se projete na eternidade. Portanto, que neste sábado possamos meditar nas responsabilidades de tamanha obra, prestando nossa gratidão e adoração ao Eterno que a tudo planejou, confessando nossa obediência ao senhorio de Cristo que nos une em torno da obra, e também nos entregando em total atenção aos detalhes que nos fornece o Espírito Santo.

Bendito o que vem em nome do Eterno! Feliz sábado!

Sadi – Um peregrino da Palavra

Sady Folch# A Serviço da Obra

Artigos Relacionados