Últimas Publicações

Algumas coisas que o Apocalipse me diz

Eu estava almoçando quando alguém tocou no meu ombro e disse: “acho que temos uma coisa em comum”. Era o Otávio, que frequenta a mesma igreja que eu mas que eu ainda não tinha tido o prazer de conhecer. Ele sentou-se à minha mesa e a conversa logo se encaminhou para a sua história com Cristo. Passou a me contar como sua vida havia sido transformada radicalmente havia apenas dois anos através de sua leitura individual da Bíblia e do testemunho de seu cunhado. Esse tipo de relato sempre me impressiona, é uma evidência irrefutável em favor da fé, um milagre que, louvado seja Deus!, Ele continua fazendo.

Entretanto, o que mais me impressionou foi ele dizer que o momento decisivo para sua conversão foi a leitura do livro do Apocalipse. Ao dizer isso, lágrimas vieram aos seus olhos e ele precisou interromper seu testemunho enquanto eu revolvia a feijoada vegetariana que comia sem saber o que fazer.

Que ótimo saber que há gente ao redor do mundo ouvindo a voz de Deus soar por entre os símbolos aparentemente indevassáveis do Apocalipse. Apesar de Apocalipse significar “revelação”, muita gente acha que ele é um livro impossível de ser “revelado”; seria assim uma enorme carta enigmática cuja chave para desvendá-la caiu nalgum bueiro ao longo da história e se perdeu. Mas a verdade é que o Apocalipse me diz muitas, muitas coisas.

Ele me diz, por exemplo, que a mensagem de Deus não é horóscopo ou tirinha de jornal: Deus é um ótimo comunicador e Ele sabe que para Sua mensagem alcançar de fato o interlocutor, este precisa meditar nela. Não basta passar os olhos e sair pra comprar pão. Quando Deus utiliza símbolos e imagens esquisitas para transmitir importantes avisos, Ele me obriga a pesquisar na Bíblia para achar o significado daquilo (a chave da carta enigmática não caiu em bueiro algum!), me obriga a refletir nisso tudo, da mesma forma que as parábolas de Jesus colocavam uma pulga atrás da orelha de seus ouvintes. É refletindo nas coisas de Deus que o Espírito Santo consegue nos convencer da importância e da urgência delas. É aí que o milagre da conversão acontece.

Como não tenho espaço para falar de todas as coisas que o Apocalipse me diz, é importante passar logo para a mais importante. Lembra-se quando falávamos das coisas que o Gênesis me diz? Eu dizia que Gênesis me apresenta a um problema, a questão do pecado e da morte. Pois é, o Apocalipse fecha a Bíblia falando da solução do problema. Os primeiros dois capítulos da Bíblia descrevem como as coisas eram antes do pecado. Os dois últimos falam do que acontece depois do pecado. E o que acontece é inefável.

Apocalipse é um fantástico hino de vitória e não de pavor e medo. Diz que não há absolutamente nada que temer se lavamos as vestes no sangue de Jesus, se abrimos a porta para Ele, se descobrimos a maravilhosa experiência de guardar os mandamentos de Deus, por Seu poder, e manter firme a fé de Jesus. Ele diz que se estamos sob Seu enorme guarda-chuva de graça, nosso destino é eternidade nos domínios do genuíno amor e da mais impoluta paz. E ele me diz que este guarda-chuva não apenas tem capacidade infinita de espaço, mas na verdade
tem sob ele um lugarzinho reservado com o meu nome e com o teu também.

Quanto antes corrermos para lá, antes começaremos a respirar a eternidade. O que pode ser mais importante do que isso?

Marco Aurélio BrasilAlgumas coisas que o Apocalipse me diz

Artigos Relacionados