Últimas Publicações

Altruísmo

As vezes penso demais, mas acho que nesta semana exagerei.

Certo dia ouvi minha mãe dizer que, se fosse preciso, morreria em meu lugar. Disse que preferiria perder a vida a viver sem mim. Isso não foi nenhuma novidade. Sei que ela estaria disposta a sofrer tudo o que fosse preciso em meu lugar e sei que eu faria o mesmo. Para mim, pior do que sofrer é vê-la sofrer.

Aí que tá. Se sofrer por quem ama é melhor do que ver a pessoa amada sofrer, o altruísmo verdeiro não estaria em deixar aquele que gosta de você sofrer em seu lugar? Se a dor maior está em ver quem gostamos padecer, deixar a pessoa apegada a nós padecer em nosso lugar não seria melhor para ela? O altruísmo real não estaria em suportar a dor de ver quem você aprecia amargando em seu lugar? (eu disse que havia pensado demais nesta semana)

Ao pensar nessas coisas lembrei de Jesus, que morreu em nosso lugar. Teoricamente, esta minha ideia vai contra o plano da redenção. Mas, ao pesquisar o assunto na Bíblia, encontrei um texto:

“Porque Deus tanto amou o mundo que deu o seu Filho Unigênito, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna.” [João 3:16]

O Pai também sofreu com Cristo na cruz. Como ambos são Um (João 10:30), podemos concluir que Deus, além de ter morrido e sofrido por nós, também suportou toda uma dor de pai vendo Seu Filho sofrer.  Chega a dar um certo “nó” em nossas cabeças, mas o amor de Deus é isso mesmo: incalculável, impensável, incompreensível, fora da nossa capacidade de entendimento e outros tantos adjetivos a mais.

A cada dia percebo que o amor de Deus é muito mais profundo do que imagino. Já que não é possível compreendê-lo, queria convidá-lo a aceitá-lo junto comigo, pois é a única coisa que podemos fazer.

Que este carinho incondicional possa transbordar nossas vidas a ponto de ser derramado em outras.

ComunicaçãoAltruísmo

Artigos Relacionados