Últimas Publicações

# Amar. A razão de tudo.

loveNeste sábado, após participar da santa ceia na igreja, minha família e eu fomos almoçar na casa de amigos, e ali, após a refeição, nos entregamos ao estudo da palavra de Deus, conduzidos por um ancião da igreja que estava presente.

Oramos e fomos apresentados à leitura da carta aos filipenses – “Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus”. O ápice do estudo encontrou razão na característica que deve nortear a todo aquele que aceita o chamado, qual seja, deixar-se transformar, tornando-se nova criatura.

Dito isso, pergunto: você já viu um cristão agindo sem amor, misericórdia ou compaixão quando afrontado injustamente? Não raro julgamos crendo-nos superiores, sem considerar que há razões ocultas por trás da ação que move a injustiça. Nossa guerra não é contra carne e sangue, por isso é preciso revestir-se da armadura espiritual de Deus para resistir no dia mau.

Maior é esse comportamento enganoso quando ocorre dentro do próprio corpo onde a cabeça é Cristo. Os pés querendo saber melhor sobre direção do que os olhos; o coração insistindo com os pés que o terreno é sólido, e o cérebro acreditando ter melhor razão do que lhe sussurra a cabeça (o evangelho), tornando o corpo desforme, vazio e perdido.

Paulo dizia que o viver é Cristo e o morrer é lucro. Se há, portanto algo a mudar na vida do discípulo, que comece pela oração que clame ao Pai revelar o que ainda esteja oculto, para que vivencie a Sua boa, perfeita e agradável vontade, sendo, sobretudo imitador de Cristo.

Assim como o Cordeiro foi levado diante de quem o tosquiaria e permaneceu mudo, devemos diante de situações padrões do mundo, permanecermos como ele, mudos, amando verdadeiramente a todos.

Quem nos separará do amor de Cristo? As limitações humanas? A tribulação deste mundo? A angústia? A perseguição? Quem sabe a fome ou a nudez? Sem a transformação pela renovação de nossa mente, todas elas.

Estejamos, portanto com a mente preparada, e como filhos obedientes, não nos permitindo o mau comportamento de outrora quando vivíamos na ignorância. Mas, como Pedro ensinou, assim como é santo aquele que nos chamou, sejamos santos também em tudo o que fizermos.

Que nossa vida seja para amar e abençoar o semelhante!

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Amar. A razão de tudo.

Artigos Relacionados