Últimas Publicações

# Ame e viverá

kjhOntem eu escrevia sobre o triste testemunho que o mundo tem presenciado diante do êxodo que ocorre no Oriente Médio, porquanto a atitude despótica se caracteriza, desde que o mundo é mundo, por violências de toda a sorte apenas para manter o poder.

Dentre a completude dos esclarecimentos que nos levam a amar a Deus (especialmente porque Ele nos amou primeiro), está o fato de Ele não nos forçar a nada, esperando paciente e amorosamente que nos voltemos a Ele. Esta, sim, é uma atitude a que podemos acreditar esteja repleta de verdade e esperança, de segurança e fidelidade em todas as horas.

Os homens que procuram sua própria glória, vivendo por discursos que não passam de armadilhas para os desavisados, a eles todo o cuidado é pouco, pois ainda que o favoreçam com alguns benefícios, será no momento em que mais precisar de sua ajuda quando eles o abandonarão.

Somente nas escrituras podemos encontrar o que de fato é a verdade, sobretudo a compreensão quanto à esperança e a paz, estas que são colunas especialmente preparadas por Deus para momentos turbulentos. Entre todos esses contextos e compreensões, algo se sobressai e os constitui: o amor.

O apóstolo Paulo, à época em que ainda era Saulo perseguia e matava os cristãos. Convertido, escreveu aos coríntios dizendo: “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha”. Ao dizer isso, Paulo demonstrou a verdade também reconhecida por Pedro, quando escreveu que quem “ama é nascido de Deus, pois Deus é amor”.

As barbáries que presenciamos no Oriente Médio devem nos mover em amor àqueles que sofrem, para fazermos o que estiver ao nosso alcance, ainda que seja ajoelhar e orar, o que, diga-se de passagem, pode muito diante de Deus. Quanto aos déspotas, não devemos odiá-los em nenhum momento, pois são criaturas de Deus e podem a qualquer instante, como ocorrera com Paulo, arrependerem-se e voltarem-se para Deus.

Por estes devemos orar com maior amor ainda, pois ao agirem com tamanha crueldade, sofrem muito, ainda que não o compreendam e também à ignorância de seus atos. Cristo pediu que orássemos pelos inimigos. Pergunte-se se alguém consegue orar por outra pessoa tendo ódio dentro de si. Somente amando-nos uns aos outros é possível que o amor de Deus se aperfeiçoe em nós, possibilitando que Ele permaneça em nós.

Logo, podemos concluir que ainda que estejamos diante de situações pavorosas como as que ocorrem na Síria (e haverá de chegar o dia em que a perseguição aos cristãos, especialmente aos que guardam o sábado ocorrerá) não devemos odiar, tampouco sentir medo, pois, ainda tomando de empréstimo as lições na carta de João, ressalte-se que aquele que sente medo não está aperfeiçoado no amor.

Creio que estas sejam as lições com as quais devemos imprimir a transformação de nossa mente, não nos conformando com este mundo. Amar é tudo o que podemos fazer. Se o fizermos verdadeiramente, tudo o mais nos será acrescentado em força e poder da parte de Deus, pois ainda segundo a carta de João, é o amor que faz com que no dia do juízo teremos confiança.

Que o amor de Deus seja a razão de viver para cada um de nós, hoje e por toda a vida.

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Ame e viverá

Artigos Relacionados