Comunicação

Vida Em Grupo

Mais um ciclo do programa vida em grupo se iniciou e se você ainda não esta engajado em um PG, veja a lista com as casas/bairros disponíveis aqui no telão ou no banner que esta em nosso hall e qualquer dúvida envie um email para [email protected]

ComunicaçãoVida Em Grupo
leia mais

Bazar Do Bem 2018

Já começamos a receber em nossa lojinha, doações para o nosso tradicional bazar, vale lembrar que toda nossa arrecadação vai para o Instituto Nova Semente. Você pode doar roupas, acessórios, sapatos, objetos de decoração.

ComunicaçãoBazar Do Bem 2018
leia mais

Curso Menu Para Um Dia

O Ministério Mais Amor, junto com o restaurante Semente Natural Food, esta promovendo o curso de Menu para Um Dia. Uma aula especial focada na comida saudável. Dia 18 de setembro da 19h às 21h. Mais informações diretamente no restaurante ou através do e-mail: [email protected]

ComunicaçãoCurso Menu Para Um Dia
leia mais

Inverno 2018

Participe da Campanha do Agasalho 2018. Entregue na Nova Semente roupas para o frio, cobertores, ou faça uma doação em dinheiro para que possamos aquecer aqueles que precisam.

ComunicaçãoInverno 2018
leia mais

Outubro Rosa

Outubro Rosa é uma campanha de conscientização que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância da prevenção e do diagnóstico precoce do câncer de mama.

O câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação de células anormais da mama, que formam um tumor. Há vários tipos de câncer de mama. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido enquanto outros são mais lentos.

O câncer de mama é o mais incidente na população feminina mundial e brasileira, excetuando-se os casos de câncer de pele não melanoma.

No Brasil, as taxas de mortalidade por câncer de mama continuam elevadas, muito provavelmente porque a doença ainda é diagnosticada em estados avançados. Na população mundial, a sobrevida média após cinco anos é de 61%.

Tocar o próprio corpo e reconhecer sinais de possíveis mudanças é uma importante ferramenta de empoderamento da mulher frente à própria saúde, mas não substitui a mamografia, por exemplo.

A idade é uma das causas apontadas como principais, mas sabemos que o risco pode aumentar com os hábitos de vida e fatores genéticos associados.

Alguns dos fatores de risco são:

  • Obesidade e sobrepeso após a menopausa;
  • Sedentarismo (não fazer exercícios);
  • Consumo de bebida alcoólica;
  • Exposição frequente a radiações ionizantes (Raios-X).
  • Primeira menstruação antes de 12 anos;
  • Não ter tido filhos;
  • Primeira gravidez após os 30 anos;
  • Não ter amamentado;
  • Parar de menstruar (menopausa) após os 55 anos;
  • Uso de contraceptivos hormonais (estrogênio-progesterona);
  • Ter feito reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos.
  • História familiar de câncer de ovário;
  • Casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos;
  • História familiar de câncer de mama em homens;

O câncer de mama em homens é raro. Estima-se que, do total de casos da doença, apenas 0,8% a 1% ocorram em pessoas do sexo masculino.

Mudar estilo de vida pode reduzir 28% dos casos de câncer de mama de inflamação generalizada, o que a torna mais vulnerável a fatores cancerígenos. O recomendado é que o índice de massa corporal não ultrapasse 25, prevenindo 14% dos diagnósticos.

Deixar de lado o sedentarismo e queimar as gorduras levam a um equilíbrio dos hormônios e isso age de forma protetora contra o câncer. Mas comece em ritmo moderado, como uma caminhada mais acelerada, e por, no mínimo, 30 minutos diários. Com o tempo, a dica é tentar aumentar a intensidade ou estender o período. Essa medida isolada pode diminuir em 11% os casos de câncer de mama.

Alimentos de origem vegetal: frutas, legumes, verduras e leguminosas (como feijão, lentilha, grão-de-bico) têm o poder de inibir a chegada de compostos cancerígenos às células e, ainda, consertar o DNA danificado quando a agressão já começou.

É importante que as mulheres observem suas mamas sempre que se sentirem confortáveis para tal (seja no banho, no momento da troca de roupa ou em outra situação do cotidiano), sem técnica específica, valorizando a descoberta casual de pequenas alterações mamárias.

As mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica ao identificarem alterações persistentes nas mamas. No entanto, tais alterações podem não ser câncer de mama.

Os principais sinais e sintomas do câncer de mama são:

  • Caroço (nódulo) fixo, endurecido e, geralmente, indolor;
  • Pele da mama avermelhada, retraída ou parecida com casca de laranja;
  • Alterações no bico do peito (mamilo);
  • Pequenos nódulos na região embaixo dos braços (axilas) ou no pescoço;
  • Saída espontânea de líquido dos mamilos

Relativamente raro antes dos 35 anos, acima desta faixa etária sua incidência cresce rápida e progressivamente. Estatísticas indicam aumento de sua incidência tanto nos países desenvolvidos quanto nos em desenvolvimento.

No Brasil, a mamografia e o exame clínico das mamas (ECM) são os métodos preconizados para o rastreamento na rotina da atenção integral à saúde da mulher.

A recomendação para as mulheres de 50 a 69 anos é a realização da mamografia a cada dois anos e do exame clínico das mamas anual. A mamografia nesta faixa etária e a periodicidade bienal é a rotina adotada na maioria dos países que implantaram o rastreamento organizado do câncer de mama. Tal estratégia pode reduzir a mortalidade por câncer de mama pode chegar a 25%

Para as mulheres de 40 a 49 anos, a recomendação é o exame clínico anual e a mamografia diagnóstica em caso de resultado alterado do exame médico. Segundo a OMS, a inclusão desse grupo no rastreamento mamográfico tem hoje limitada evidência de redução da mortalidade

Além desses grupos, há também a recomendação para o rastreamento de mulheres com risco elevado de câncer de mama, cuja rotina deve se iniciar aos 35 anos, com exame clínico das mamas e mamografia anuais.

Segundo o Consenso de Mama, risco elevado de câncer de mama inclui:

  • História familiar de câncer de mama em parente de primeiro grau antes dos 50 anos;
  • Câncer bilateral ou de ovário em qualquer idade;
  • História familiar de câncer de mama masculino;
  • Histopatológico de lesão mamária proliferativa com atipía ou neoplasia lobular in situ.

A definição sobre a forma de rastreamento da mulher de alto risco não tem ainda suporte nas evidências científicas atuais e é variada a abordagem deste grupo nos programas nacionais de rastreamento. Recomenda-se que as mulheres com risco elevado de câncer de mama tenham acompanhamento clínico individualizado.

O importante é a mulher passar em avalição médica anual e ao perceber qualquer alteração no seu corpo procurar ajuda especializada. E como vimos hábitos alimentares e de exercícios físicos podem diminuir muito o risco de se ter câncer de mama.

Outubro Rosa: Nova Semente na luta contra o câncer de mama.

ComunicaçãoOutubro Rosa
leia mais

Estude a Bíblia

Estude semanalmente a Bíblia na Nova Semente e descubra um pouco mais sobre Deus e sobre você. Todos os Sábados às 17h, na rua Cubatão, 77 com os pastores da Nova Semente.

ComunicaçãoEstude a Bíblia
leia mais

Compartilhe nosso aplicativo

O que está acontecendo na Nova Semente está disponível em nosso aplicativo. Através dele você acesse nossos vídeos, podcasts, transmissões ao vivo, web rádio, blogs, etc…Compartilhe com seus amigos.

ComunicaçãoCompartilhe nosso aplicativo
leia mais

Vamos conversar?

Todos os sábados, às 15h30, o momento para você compartilhar histórias de vida, sabedoria, conquistas, alegrias, perdas, dificuldades e encontrar soluções a partir da interação dessas experiências conosco. Você é nosso convidado.

Diálogos 15h

ComunicaçãoVamos conversar?
leia mais

Vida em Grupo

 

 

Começou um novo ciclo de PGs em nossa Comunidade, encontre um próximo a sua casa ou trabalho e engaje-se

ComunicaçãoVida em Grupo
leia mais