Últimas Publicações

Braços Abertos

“Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”. (Lucas 23:42)


As palavras acima são as únicas, que se tem conhecimento, proferidas pelo chamado bom ladrão a Cristo. Condenado à morte e pendurado numa cruz ao lado dEle, em seus últimos momentos de vida, olhou-O e viu o amor e perdão que nunca conhecera. Com lucidez e arrependimento, nunca apresentados antes, dirigiu-se ao Doador da vida e pediu um lugar em Seu Reino.

O ciclo de mudanças em sua vida finalmente estava completo, atingira o ápice possível a um ser humano. A vida de crimes terminou quando foi preso, mas sua vida errante só terminou na crucifixão ao lado de Cristo, seu “encontro” com o Salvador habilitou-o à vida eterna.

Recentemente, conversando com uma pessoa sobre a maravilha do amor divino, citei o episódio acima. Ela me disse que achava um absurdo esse homem, que dedicara sua vida ao crime, ser perdoado por apenas essa frase, esse pedido. Disse-lhe que o perdão viera não pelo pedido, mas pela sinceridade que o acompanhava.

O amor do Pai é assim, não conhece fronteiras ou limites, não se sujeita a convenções humanas de nenhum tipo, é perfeito, incomparável, indescritível e está à disposição de todos os que dele precisarem, o buscarem e o aceitarem.

homem braços abertosO Homem que passou a vida abrindo os braços aos seres mais abjetos e desprezados pela sociedade, que curara e restaurara toda a sorte de doentes, tanto os físicos como os sociais, morria, mas com os braços ainda abertos. Braços que nunca se fecharam em vida continuaram abertos na hora da morte. Esses mesmos braços estão abertos esperando por você. Não hesite, vá até Ele, feche o ciclo de sua vida e receba a salvação.

Gelson De Almeida Jr.Braços Abertos

Artigos Relacionados