Últimas Publicações

Brincando com o perigo

Dias atrás estava dirigindo e vi uma pomba passeando no meio da rua, quanto mais me aproximava mais ela caminhava na direção da roda do carro. Diminui a velocidade, mas ela continuou, somente quando a roda estava a poucos centímetros foi que caminhou rapidamente para longe do perigo. Duas coisas me intrigaram, porquê seu instinto não impediu que caminhasse em direção ao perigo e, se podia voar, porquê escolheu se afastar caminhando?

A atitude dessa pomba, infelizmente, é muito comum nos seres humanos. Parece que sentimos prazer em brincar com o perigo, às vezes a contumácia ou a proximidade são tão grandes que é muito difícil fugir dele e de seus resultados. Quem não conhece os resultados de ficar muito próximo do perigo? Todos temos pelo menos uma experiência com isto. Muitos já me pediram que orasse para que o Eterno resolvesse um problema que seria evitado se apenas uma atitude anterior tivesse sido diferente. A Bíblia está repleta de personagens que teriam uma história muito diferente se não tivessem brincado com o perigo. Alguns como Davi reverteram o quadro, mas outros, como Eva, a mulher de Ló, Acã e , Balaão se arruinaram.

A maioria dos que mostram esse tipo de comportamento acaba entrando em uma situação da qual não há volta. É conhecido o ditado: “Um minuto de prazer e uma vida inteira para se arrepender”. Escrevendo aos hebreus Paulo afirmou que “(…) convém-nos atentar com mais diligência para as coisas que já temos ouvido, para que em tempo algum nos desviemos delas” (Hebreus 2:1). Os exemplos estão aí, dor, sofrimento, angústia e perdição ou alegria, contentamento, felicidade e salvação? A atitude de hoje determinará o resultado de amanhã.

Gelson De Almeida Jr.Brincando com o perigo

Artigos Relacionados