Últimas Publicações

Certo ou errado?

 

Dias atrás uma jovem me confidenciou o quanto estava decepcionada consigo. Tinha mentido para uma pessoa muito querida sua e isto a estava consumindo. A mentira havia sido o final de toda uma cadeia de erros que havia cometido, mesmo sabendo o certo escolhera o errado. Lamentava profundamente ter chegado a esta situação.

Infelizmente esse tipo de atitude é comum hoje em dia, por capricho ou conveniência, trocamos o certo pelo duvidoso ou errado.O mais comum quando se faz isto é racionalizar. Dizemos a nós mesmos que foi só um pequeno erro que, dentro de um contexto muito maior, que é a nossa vida, não fará muita diferença. É a tendência de minimizar o errado, o duvidoso, achando que tudo vai se resolver lá na frente. Gosto da frase de C. S. Lewis: “Há várias coisas com as quais eu não me preocuparia se fosse viver apenas setenta anos, mas que me preocupam seriamente com a perspectiva da vida eterna”.

Eis a questão, quanto tempo você pretende viver? Se o seu planejamento inclui apenas esta existência passageira, cheia de problemas, sofrimentos e futilidades, vá em frente, aproveite esta vida, pois só terá ela mesmo. Mas se você planeja viver a eternidade, muita coisa tem que ser revista e tratada de maneira diferente, pois salvação é coisa séria e o dito popular afirma que não se brinca com coisa séria. Pablo Neruda dizia que somos livres para escolher, mas somos prisioneiros de nossas escolhas. Esta vida você já tem, porque não tenta agora a vida eterna?

Gelson De Almeida Jr.Certo ou errado?

Artigos Relacionados