Últimas Publicações

Eu!!!

“(…) minha família é a mais pobre… eu o menor na casa de meu pai”. Juízes 6:15


 

placa com setaVocê já se sentiu pequeno demais diante de um trabalho que tinha que fazer? Alguma vez recebeu uma incumbência que gostaria de não haver recebido? Esse foi o caso de Gideão. O anjo do Senhor apareceu-lhe e ordenou que se preparasse para combater os midianitas, povo que, há muito, oprimia o povo de Israel.

Era uma tarefa tão inglória que, na primeira oportunidade, 22 mil homens abandonaram o exército e voltaram para casa. Após mais uma prova, 9.700 homens foram dispensados, restaram apenas trezentos. Para piorar, Gideão viu que a batalha seria contra uma coligação de povos do Oriente. Como derrotar milhares de soldados muito bem preparados e armados com apenas trezentos homens, que tinham nas mãos uma espada e um cântaro com uma tocha acesa? Humanamente falando, não tinha como dar certo, não tinha como acabar bem, a não ser por um detalhe, e que detalhe! O Eterno estava com eles.

Ao longo da História o que não faltam são exemplos de tarefas “inglórias” e “missões suicidas” dadas a pessoas comuns. A Noé foi pedido que construísse a arca, a Abrão foi pedido que abandonasse tudo para se engajar num projeto divino, a Davi foi pedido que reinasse em Israel, a João Batista foi pedido que preparasse o caminho para o Messias… Com certeza você conhece outros exemplos.

A todas essas pessoas o Eterno pediu que deixassem o que faziam e obedecessem à Sua voz. O mesmo se dá conosco, provavelmente o convite não virá do modo que veio a eles, nem será para uma empreitada com a mesma com a importância social, mas, com certeza, terá importância individual igual ou maior.

Portanto, quando o Eterno lhe pedir algo ou indicar uma direção, não importa qual ou quando, ou o que peça a você, não tente alegar despreparo ou falta de condições para atender. Aquele que pede é O que dará a vitória, Ele é fiel, não mente e nunca abandonou um filho seu.

Gelson De Almeida Jr.Eu!!!

Artigos Relacionados