Últimas Publicações

# Filhos Rebeldes

A escritora adventista, Ellen White, registrou em seu livro “Só para Jovens”, a assertiva: “Estamos vivendo numa época infeliz para os jovens. A influência que predomina na sociedade é favorável a permitir que os jovens sigam a inclinação natural de sua própria mente”.

Um século depois de seus registros, parece-nos o referido texto um escrito da atualidade. Nossa época, mais ainda está sob essa influência devastadora dos novos conceitos culturais. Estamos, de fato, vivendo o tempo do fim. Um tempo em que os filhos não ouvem e nem obedecem aos pais, em muitos casos agredindo-os verbal e fisicamente.

As relações de poder e os brilhos do mundo que, juntos, pregam a independência, têm sido os grandes responsáveis que levam os jovens a crerem no engano de poderem dizer, ou fazer o que lhes dá na cabeça. Distorcem os valores e empreendem nas mentes em crescimento, um comportamento desequilibrado, conduzindo-os a um futuro instável no que concerne ao respeito próprio e alheio.

Para tanto, basta ver como os jovens tratam seus professores. É muito preocupante para o futuro da sociedade, o que dizer então para a salvação eterna dessa geração. Em se tratando dos pais, ou estão a colher o que plantaram, seja por terem agido com descuido em dado momento, seja por terem sido eles mesmos o exemplo, ou estão vivendo um tormento produzido pela sociedade, esta que influencia a quem deseja.

E conclui a escritora, ela que foi uma das pessoas mais influentes no nascimento da igreja adventista do sétimo dia: “Se os filhos são muito rebeldes, os pais têm a ilusão de que quando forem mais velhos e raciocinarem por si mesmos, abandonarão os hábitos errôneos e se tornarão homens e mulheres úteis. Que engano!”, exclamou.

O que fazer nestes casos? Orar? Amar? Sim, é preciso exercer misericórdia. Sempre. Contudo, e se tais filhos põem em risco a sanidade do lar? E se já crescidos, insistem em fazer o que querem, empreendendo hábitos de uma vida desregrada, impondo sua vontade por anos seguidos, em um lar em que seus pais sejam pessoas de bem, cristãs ou não?

O antigo testamento determina atitudes radicais em relação a tais rebeldes. Foi por esse mesmo testamento que viveu e orou o Cristo, contudo Ele nos ensinou a amar aos que nos ofendem e nos maltratam.  O que fazer nestes casos? Amar um filho que te ofende e te maltrata, significa aceitar viver debaixo de sua opressão e desrespeito? Colocá-los para fora de casa é algo que contrapõe à nova aliança anunciada por Jesus?

E você, cristão que conhece a palavra, o que faria nestes casos extremos, em especial se eles já atingiram idade adulta mas não têm independência financeira? Que sua resposta não seja imediata, pois trata-se de uma análise profunda de seres humanos, dos ataques a que estejam sujeitos e do amor ensinado pelo Cristo. Mas, enfim, há um limite para isso?

A paz do Senhor esteja contigo e tua casa!

Ṣadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Filhos Rebeldes

Artigos Relacionados