Últimas Publicações

Haja Paz na Terra

Em 17 de setembro, quando escrevi essa reflexão, comemorava-se o Dia da Compreensão Mundial uma das datas mais importantes, mas também uma das mais ignoradas datas do calendário mundial. Criada pela Organização das Nações Unidas, tem como objetivo fazer com que a humanidade se lembre de, pelo menos em um dia no ano, buscar a paz com o seu semelhante, deixar de lado o ódio, o preconceito, o desrespeito e a intolerância.

Acerca do nascimento de Cristo Isaías disse que Ele seria conhecido, entre outras coisas, por “…Príncipe da Paz” (Isaías 9:6, NVI). Sobre Seu nascimento anjos cantaram a um grupo de pastores uma melodia que dizia: “Glória a Deus nas alturas, paz na terra, boa vontade para com os homens” (Lucas2:14, ACF).

Se Cristo é o Príncipe da Paz, se o Seu nascimento trouxe paz ao mundo, onde foi que a humanidade se perdeu a ponto de ser preciso a criação de um dia para ser lembrada da necessidade de compreensão mútua? Muitos diriam que foi com a entrada do pecado com Adão e Eva, a esses faço uma pergunta mais direta: Quando foi que você deixou de amar o seu próximo como a você mesmo, quando se tornou tão superior, a ponto de julgar seus semelhantes ou de desprezar tanto um filho de Deus, chegando ao ponto de não querer mais falar com ele ou de colocá-lo de lado?

O dia do nascimento de Cristo poderia muito bem ser chamado de Dia da Tolerância Universal, mas será um dia como qualquer outro se você e eu não tomarmos medidas efetivas para aceitar nosso semelhante como nosso próximo, como um igual a nós, merecedor de todo o nosso respeito, de todo o nosso carinho e da vida eterna.

“Assim como o corpo sem espírito está morto, também a fé sem obras é morta” (Tiago2:26, NVI). Você pode professar a fé que for, mas se não a traduzir em ações em favor dos que o cercam ela de nada valerá. O Dia da Compreensão Mundial já passou, mas a oportunidade de agir como Cristo agiria em seu lugar ainda não passou.

Gelson De Almeida Jr.Haja Paz na Terra

Artigos Relacionados