Últimas Publicações

Inclinações

InclinaçõesTodos já devem ter reparado que basta assistir uma edição de jornal para saber sobre as nefastas notícias que ocorrem no país e no mundo. A repetição nas outras edições do mesmo dia é uma regra. Você muda de canal, e lá está a notícia novamente, com comentários que pouco ou nada acrescentam ao tema.

Nesse diapasão, não raro permitimos a entrada de uma carga enorme de informações negativas em nossa mente. Saber o que se passa é importante, por isso a escolha que possa informar, comentar e analisar a notícia com qualidade e equilíbrio é fundamental. Ajuda-nos a pensar o mundo em que vivemos e a discutirmos a sociedade que queremos viver. Mas isso só não basta. É preciso manter a mente em paz, refletindo de forma nobre, pura e amável, voltando-a, sobretudo aos interesses do Alto.

Digo isso, pois, passei a perceber de uns tempos para cá que os desequilíbrios noticiados no Brasil e no mundo são tão intensos que influenciam muito o pensamento das pessoas, sobretudo sua paz de espírito, inclinando-as a comportamentos igualmente desequilibrados. Não raro percebo amigos que conhecem e vivem pelo evangelho, bastante alterados com as notícias.

Convenhamos, nada de novo debaixo do sol. E de mais a mais, com algumas exceções em que seja preciso se posicionar construtivamente, pergunto o que mais importa a quem vive do evangelho senão manter o espírito e a mente em paz.

Se deixarmos nos contaminar pelas ocorrências anunciadas todos os dias, o que sobrará de nossa fé? Devemos lembrar de Paulo quando anunciou que todos os lados somos pressionados, mas não devemos desanimar; que também ficamos perplexos, mas não desesperados. É preciso manter o equilíbrio da fé que vive em nós.

Importa nos livrarmos da contaminação deste mundo e do pecado que nos envolve, não andando ansiosos por coisa alguma, para que a paz que excede todo o entendimento guarde os nossos corações e mentes em Cristo. Assim, fixamos os olhos não naquilo que se vê, mas no que não se vê, pois o que se vê é transitório, mas o que não se vê é eterno, conforme ensina ainda a construtiva lição de Paulo.

Sadi – O Peregrino da Palavra

Sady FolchInclinações

Artigos Relacionados