Últimas Publicações

Liberdade de quê?

Tudo o que existe, incluindo você e eu, é fruto de um feliz acaso. Logo, não existe um propósito ou um sentido para a vida. O importante é ser feliz, não importa como. Se algo é bom para alguém, ótimo,  porque o importante é ele estar feliz. Devemos sempre seguir nosso coração, confiar na intuição. Não devemos negar ao nosso corpo o que ele pede, nem que seja pelo menos de vez em quando. É preciso dar vazão a nossos impulsos, todos eles. Não existe nenhum Deus. Se existe, não é lógico nem plausível que Ele vá se importar com o que eu faço ou deixo de fazer, penso ou deixo de pensar, nem com as escolhas que faço. Se Ele se importa, é porque está me espreitando, colocando no meu caminho árvores de cujos frutos eu não posso comer, só para, quando eu não resistir e comer, me castigar. Ou então o contrário, Ele sabe quais são as minhas circunstâncias, Ninguém é perfeito, ninguém é de ferro. Ele entende e por isso mesmo ele perdoa qualquer escorregão meu, porque Ele quer me ver feliz também, e sabe que para isso eu preciso ter umas válvulas de escape. No fundo eu sou uma boa pessoa e Deus sabe disso embora eu não fale muito com Ele. E a lei de Deus é impossível de ser guardada. Ou então, o contrário: nós existimos apenas para guardar a lei, até a mínima vírgula, e temos que nos mortificar constantemente para isso. E olhar se os outros estão na mesma toada, porque, se não estão, precisamos colocá-los na linha. Não existe mesmo uma verdade absoluta, tudo é relativo. Ou então, o contrário: a minha verdade é suprema, o que quer dizer que você está errado e deve ser castigado por isso, deve lamber minhas botas ou deixar de existir. Não se deve levar desaforo pra casa, nem ficar em
desvantagem jamais. Temos que construir um paraíso aqui na Terra. Ou então, o contrário: um dia vamos para o Céu, aonde todos os problemas serão resolvidos, assim, não adianta cuidar de política nem tentar modificar a realidade à nossa roda. Somos todos imortais e as mancadas dessa vida serão pagas numa outra. Tudo continua como sempre foi. Mais um desastre, mais uma tragédia, como tantas outras, não há nada acontecendo de mais solene ou relevante.

Etc, etc e etc.

Jesus disse que conheceríamos a liberdade e ela nos libertaria (João 8:32). Ora, à parte os significados mais profundos dessa assertiva, a primeira coisa de que a verdade nos liberta é a mentira.

Marco Aurélio BrasilLiberdade de quê?

Artigos Relacionados