Últimas Publicações

# Liberdade religiosa

Vivemos nas últimas décadas a conscientização de direitos individuais, sobretudo de direitos humanos. O texto deste sábado nasce muito mais do que simplesmente para tentar levar o leitor a essa reflexão. Surge para despertar para um caso concreto dentro de nossa própria igreja. Especialmente hoje, 27 de julho, todas as igrejas adventistas espalhadas pelo mundo se unem em oração pelo pastor Antonio Monteiro e pelo empresário Bruno Amah.

No dia de hoje, completa-se exatos 500 dias que estes homens estão presos em Togo, país localizado na África Ocidental, onde o sistema judiciário é precário. A acusação? Terem conspirado para o assassinato de pouco mais de dez mulheres, em prol de uma rede de tráfico de sangue. Seu acusador? O próprio assassino, um homem que havia trabalhado com o pastor os acusa da conspiração. Esse homem, que obviamente se encontra preso, posto que réu confesso dos homicídios, em suas declarações demostrou claras contradições quanto à acusação. Para que se tenha uma ideia, está comprovado ser ele portador de distúrbios mentais.

A causa foi apurada, porém a polícia nada encontrou que os ligassem aos homicídios ou ao tráfico. No entanto, desde março de 2012, o pastor e o empresário estão detidos. Ativistas de direitos humanos, advogados, diplomatas e a própria igreja adventista em Cabo Verde se mobilizam há meses para tentar a libertação de ambos. Milhares de pessoas, nesses meses todos, têm orado e jejuado pela integridade física desses homens. O diretor de Liberdade Religiosa da Igreja Adventista para o mundo, Dr. John Graz, indignado com o caso, manifestou-se como sendo absurda e inacreditável a acusação, que não os possibilita nem mesmo direito à fiança ou ao julgamento.

Por tudo isso, a igreja adventista mobilizou a criação de um site para colher assinaturas em uma petição, a fim de que seja levada ao presidente daquele país e, assim dar a justa solução que o caso merece. Vocês podem acessar o site e assinar a petição, clicando neste link e, para assistirem ao depoimento da família, um verdadeiro testemunho de amor à palavra de Cristo (ouçam o testemunho da filha, Andreia dos Anjos) podem clicar neste link para assistir ao vídeo.

É isso, prezado leitor. As escrituras revelam que perseguições como estas aconteceriam, especialmente aos que guardam o mandamento e a fé em Jesus. Hoje, 27 de julho, estamos todos unidos em oração por esses homens, que presos injustamente, continuam submetidos ao cárcere por acusação infundada e que, ainda assim se sustenta apenas pela condição de serem religiosos. Orem por eles, jejuem se assim puderem, compartilhem os links que aqui se encontram. E que Deus nos abençoe a todos, inclusive concedendo o perdão ao acusador que está preso. Amém.

Feliz Sábado, pastor Antonio Monteiro, Sr. Bruno Amah e digníssimas famílias.

Ṣadi – Um Peregrino da Palavra. 

Sady Folch# Liberdade religiosa

Artigos Relacionados