Últimas Publicações

Não Reclame do Deserto – Parte II

Recém saído do Egito, por ordem divina o povo de Israel acampou em Pi Hairote. Mesmo após saírem do Egito de forma miraculosa, precisavam entender sua total dependência do Eterno e aprender a lição da confiança e entrega total a Ele.

O povo que marchava de forma vitoriosa (Êxodo 14:8) depressa entrou em desespero e murmurou dizendo que melhor seria ter ficado como escravos no Egito (vs. 10 a 13). Uma mudança radical em questão de horas. O desconhecimento dos planos do Eterno e a falta de confiança nEle fizeram com que chegassem a esse estado deplorável.

Olhavam para baixo, sob seus pés, e viam o deserto, olhavam para a frente e viam o mar, olhavam para os lados e viam montanhas, olhavam para trás e viam Faraó e seu exército, desanimaram, temeram, entraram em depressão e murmuraram contra Moisés e contra o Eterno. Tudo isso porque esqueceram que ainda faltava olhar para cima.

Moisés lhes anima dizendo: “O Próprio Senhor vai lutar por vocês” (v. 14 – BV). Moisés estava a lhes mostrar a verdadeira face de Deus. O Deus Poderoso, que os libertara do Egito, também era um Deus Perdoador, que não levava em conta a loucura de suas declarações, era também um Deus Guerreiro, que lutaria pelo Seu povo. O inimaginável acontece, um caminho se abre no meio do mar, o povo de Deus é salvo e seus inimigos aniquilados. Como Deus Poderoso abrira o mar, como Deus dos Exércitos lutara por Seu povo.

Em nossa jornada podemos ser tomados de pânico, desânimo e medo como eles se não olharmos para cima, mas o Deus que não muda (Malaquias 3:6) lutará por nós e nos livrará de todo e qualquer mal. Está no deserto, cercado das piores situações possíveis, não desanime, olhe para cima, pois a sua redenção está próxima (Lucas 21:28). Não precisamos conhecer os planos do Eterno para nos acalmar, precisamos apenas confiar nEle.

Gelson de Almeida Jr.Não Reclame do Deserto – Parte II

Artigos Relacionados