Últimas Publicações

O Exemplo de Edite

Sábado passado tive o privilégio de conhecer Edite, viúva, professora aposentada, cujo corpo apresenta as degenerações típicas do Mal de Parkinson. Coisas rotineiras como levar o alimento à boca, falar e andar são tarefas penosas para ela, mas de nada se queixa, pelo contrário, em todas as vezes que olhei para ela sempre tinha um sorriso nos lábios, mais ainda, apesar da dificuldade em falar, suas palavras eram doces e afáveis.

Mas o que mais me chamou a atenção foi no culto do pôr do sol, após os hinos e a leitura meditativa ela pediu a palavra e recitou as palavras de Davi: “Guarda-me como a menina dos Teus olhos, esconde-me à sombra de Tuas asas” (Salmo 17:8), é bem verdade que só lembrou da primeira parte do verso e mostrou sua tristeza por isso, mas o que me impressionou foi o que aconteceu a seguir, quando disse para orarmos.

Foi talvez a mais bela, profunda e sincera oração que ouvi, um verdadeiro testemunho de gratidão e louvor ao Autor e Doador de todas as coisas, pediu apenas uma coisa, que o Eterno protegesse seus queridos e gastou o restante do tempo agradecendo ao Pai por todas as bênçãos que tinha recebido. Pasmem, agradeceu a vida e a saúde e a benção que havia sido aquele dia!

Ao abrir os olhos vi novamente aquele sorriso, já tão conhecido meu, emoldurando um rosto completamente envolvido na paz que só os filhos de Deus têm. Ainda fico a me perguntar porque não tenho sido grato ao Eterno, já que minhas condições de vida/saúde são tão diferentes das dela.

Rogo ao Pai para que você e eu possamos ter um espírito grato como o de Edite, que possamos olhar tudo o que existe ao nosso redor e tudo o que possuímos e valorizar apenas aquilo que é bom. Paulo diz: “Em tudo dai graças” (I Tesalonicenses 5:18). Edite sabe o que é isso e pratica com maestria, e você?

Gelson De Almeida Jr.O Exemplo de Edite

Artigos Relacionados