Últimas Publicações

Os Fins Justificam os Meios

Esse paradigma, muito utilizado por N. Maquiavel em sua obra “O Príncipe”, foi utilizado por um conhecido cantor sertanejo, no último domingo (14/01) ao parar o carro às margens de uma rodovia, em Goiás, e pegar algumas espigas de milho de uma plantação. “Gente, eu num guentei não. Deus perdoa nóis (sic). Achei uma plantação de milho aqui, nóis vamo roubar uns milhos (sic)” diz ele, no vídeo postado em sua rede social. Após pegar várias espigas ele diz que não podia pegar muito, pois, sendo apenas para consumo, Deus perdoaria seu ato.

Longe de mim atacar ou acusar quem quer que seja, desejo apenas fazer uma reflexão sobre como procuramos justificar e desculpar atitudes erradas. Tudo começou com Eva, que pegou e provou do fruto da árvore da ciência do bem e do mal, justificando que queria ser igual a Deus. Para não perder a mulher Adão comeu do fruto, daí em diante o que se vê é toda a sorte de desculpas para justificar o erro.

O hino “Graça” https://www.youtube.com/watch?v=NT-WLZrGBK4 (Arautos do Rei) traz uma frase muito profunda: “ (…)pecado não se explica, pecado se paga(…)”. Enganam-se aqueles que pensam que podem agir de forma desordenada sem que isso lhes traga consequências, pois tudo o que semearmos colheremos (Gálatas 6:7). O pecado de Adão e Eva trouxe a morte a seu filho Abel e vários animais, que serviram de sacrifício, o pecado, suas consequências e as desculpas para ele, foram passando de geração em geração.

Felizmente a Graça divina está aí para nos livrar do peso e da punição eterna do pecado (Romanos 6:23), mas temos uma parte a fazer: “Busquem o Senhor enquanto podem achá-Lo. Peçam sua ajuda, enquanto Ele está perto. Os pecadores devem abandonar seus maus caminhos; devem deixar de lado seus maus pensamentos. Todos devem se voltar para o Senhor, arrependidos, e Ele mostrará a sua grande misericórdia. Voltem-se para o nosso Deus, pois Ele mostrará como é imenso o seu perdão” (Isaías 55:6-7 – BV).

Os fins não justificam os meios, por mais racionalizável que seja, pecado sempre será pecado. Arrependa-se, busque o Eterno e receba o seu perdão.

Gelson De Almeida Jr.Os Fins Justificam os Meios

Artigos Relacionados