Últimas Publicações

#Perdão

Esta semana trafegando em uma grande avenida fui surpreendido pelo motorista de um veículo que, vindo de uma rua transversal, entrou, abruptamente, em minha frente. Nem se desculpou ou agradeceu após entrar. Passado o espanto e a vontade de, pelo menos buzinar para lhe chamar sua atenção, fiquei olhando para ver o que ele faria. Logo adiante outro veículo tentou entrar em sua frente, mas ele, de forma grosseira, jogou seu veículo e, não fosse a rapidez do outro motorista e quase haver subido na calçada, teria ocorrido uma colisão. Balancei a cabeça pensando em como ele não permitira que o outro fizesse o que fizera comigo. Não respeitou minha preferência na avenida, mas exigiu, à força, que a sua fosse respeitada.

Sorrindo me lembrei da parábola do “credor incompassivo” (Mateus18:21-35), onde, falando acerca do perdão, Cristo relata a história do indivíduo que, prestes a ser vendido como escravo, bem como sua mulher e filhos, para saldar a dívida junto ao rei, implora e recebe perdão. Ao sair do palácio encontrou um devedor seu cuja dívida era infinitamente menor que a sua para com o rei. Sem pestanejar agarrou o pobre coitado pelo pescoço e o chacoalhou exigindo o pagamento da dívida. De nada adiantarm os apelos do pobre homem. Os servos do rei, que presenciaram os dois encontros, revoltados relataram o fato ao rei.

Enquanto pensava no indivíduo que me “fechara” com seu veículo e em sua atitude seguinte, tentei me recordar quantas vezes agira como ele. Confesso que me envergonhei, pois em alguns momentos me neguei a conceder um perdão simples, mesmo tendo recebido “perdões maiores” ao longo de minha vida. Somos muito bons em receber perdão, mas temos dificuldade em perdoar aos outros.

Você deseja um pouco de divindade em sua vida? Perdoe. Já dizia Alexandre Dumas (filho): “O perdão é o que há de maior, de divino no ser humano”. Não hesite em perdoar, apenas lembre-se da quantidade e das condições em que já foi perdoado, afinal, se o Pai nos perdoa diariamente quem somos nós para fazer diferente?

Gelson de Almeida Jr.#Perdão

Artigos Relacionados