Últimas Publicações

# Retrospectiva

culto_nova_semente_Chegamos ao último sábado do ano de 2014 e a retrospectiva que nos importa são os 51 sábados anteriores e todos os dias que entre eles se encontraram.

Isso para refletirmos sobre o que fizemos com o amor que nos foi ensinado. O que reflete o amor que vivemos quando o espelhamos nas escrituras? Quanto de nosso tempo foi despendido por amor ao estudo da palavra, à adoração, à oração e ao jejum? Em nome do amor, perdoamos? Pedimos perdão? Amamos, de fato, ou julgamos amar?

O que fizemos do amor que nos foi ensinado importa o admitirmos apenas diante do Eterno, não diante dos homens, a não ser que tenhamos algum pedido de perdão a ser dirigido a nosso semelhante. Somente o amor verdadeiro seja o julgador de nossa consciência.

Há uma razão sublime que justifique pensarmos essas questões. É importante compreendermos que hoje conhecemos em parte, mas quando vier o que é perfeito, o que for parcial acabará.

As escrituras apresentam profecias, línguas e conhecimento entre outros dons. Por eles compreendemos e vivemos os atos que nos levam de volta ao Eterno, no entanto, esses dons são todos parciais. Quando o Messias retornar, nada disso será mais necessário. O que restará será a fé, a esperança e o amor, sendo este o maior.

Mas, o que isso quer dizer? Dessas três qualidades espirituais internas, apenas o amor produz resultados externos, afinal, a fé se opera por meio do amor; quando amamos aos outros, cumprimos a lei; e, por fim, somente podemos dizer que conhecemos ao Messias quando fazemos o que ele nos pede, pois é assim que o amor genuíno por Deus se manifesta.

É possível que não tenhamos cumprido algumas das questões enunciadas anteriormente, todavia, é porque agora vemos as consequências como que por um espelho turvo, mas haverá o dia em que estaremos face a face, como diante de um espelho polido, e conheceremos plenamente, tal qual o Eterno nos conhece.

Que o Senhor, bendito seja o Seu nome, nos cubra com Seu amor.

Um Peregrino da Palavra.

Sady Folch# Retrospectiva

Artigos Relacionados