Publicações com Ano Novo

#Feliz Ano Novo

Já reparou como é bom dizer “o ano passado”? É como quem já tivesse atravessado um rio, deixando tudo na outra margem… Mas no ano passado, afinal faltam poucas horas, recebi um mail duma revista de musculação que sou assinante (mesmo sem estar malhando, mas na segunda feira começo), enfim, o tal mail anunciava como seria comemorado nos diversos países da Europa a chegada do Ano Novo, informando o seguinte, que bem merece um parágrafo à parte:

“Na Itália, quando soarem os sinos à meia-noite, todo mundo atirará pelas janelas as panelas velhas e os vasos rachados”.

Ótimo! O meu ímpeto, modesto mas sincero, foi atirar-me eu próprio pela janela, tendo apenas no bolso, um bilhete de explicação para as autoridades, familiares e pra vocês, minha imaginação é fértil. Calma, pensei que seria levar muito longe uma simples metáfora, aliás praticamente irrealizável, porque moro numa casa de um piso só, em que o lugar mais alto seja talvez se me jogasse do guarda roupas abaixo.

Atirei-me, pois, metaforicamente, pela janela do tricentésimo-sexagésimo-quinto andar do ano passado… Morri? Não. Ressuscitei.

Que isto da passagem de um ano para outro é um corriqueiro fenômeno de morte e ressurreição – morte do ano velho e sua ressurreição como ano novo, morte da nossa vida velha para uma vida nova que quero viver ao lado de meu Criador e Senhor, novo ano, nova vida…

Mais um ano passou… é… passou rápido!! Posso parar e examinar o que aconteceu nesses últimos 365 dias, mas eu prefiro não pensar nisso… o que devemos fazer é olhar os próximos dias, e apenas visualizar o que queremos que esteja reservado para nós dentro de cada um deles…
É assim que um ano feliz é feito: de esperanças…afinal estamos aprendendo a esperar um “novo céu e nova terra.”

Ah! Lembram faço aniversário em outubro, e quando alguém, em setembro, pergunta quantos anos tenho, já respondo com a idade nova. Não sei até quando terei essa coragem de me envelhecer antes da hora, mas, por enquanto, ainda arredondo pra cima…por isso costumo dizer que tenho 3.1. Com o ano novo, é a mesma coisa. Já estou em 2013 faz uns 19 dias. Coloquei-o em total vigência, é um ano em curso, mergulhei de cabeça nele. 2012 já era, já deu o que tinha que dar. Aliás, foi bom pra você?

Poucas pessoas viveram grandes feitos, grandes viagens ou grandes paixões. A maioria viveu o que podia ter vivido. Foi ao cinema e adorou (ou odiou) BatmanReturnes . Leu alguns livros. Curtiu alguns churrascos. Passou uns finais de semana fora da cidade. Reclamou da falta de dinheiro. Brigou com pais e irmãos. Fez as pazes com pais e irmãos. E depois brigou de novo. Esperou em filas. Assistiu a pelo menos um show. Achou a Adriana Esteves boa atriz em Avenida Brasil. Reclamou muito do frio. Bebeu demais. Pensou em casar. Pensou em descasar. Pensou em ter um cachorro.

“Ano da virada” é apenas força de expressão e titulo do programa da Globo. A maioria de nós viveu um ano semelhante aos outros anos, salvo aqueles que foram colhidos por uma fatalidade – já não é fatalidade suficiente estar vivo?

Eu tive um ano muito bom e muito parecido com outros anos bons, inclusive nas partes ruins. Ainda assim, o melhor de chegar aqui, na saideira, é olhar para trás e concluir que o aconteceu de mais diferente foi eu mesmo. Entrei de um jeito em 2012 e estou saindo outro, mesmo que eu pouco perceba essa alteração. Quando olho para o meu passado, encontro um homem bem parecido comigo – por acaso, eu mesmo – porém esse homem sabia menos, conhecia menos lugares, menos emoções. Ora, por mais legal que a gente tenha sido, sempre fomos mais pobres em relação ao presente – e não estou falando de dinheiro, mas de vivência. Involuir é muito trabalhoso, exige que rejeitemos todos os aprendizados: quem faria essa maldade consigo mesmo? Evoluir é que está na ordem natural das coisas.

Portanto, tenho certeza de que em 2013 eu verei alguns filmes, assistirei pelo menos a um show, lerei alguns livros, sairei da cidade uns finais de semana, irei bater ótimos papos com amigos, terei uns arranca-rabos com minha esposa e com minha família também, até talvez com a sua e depois voltarei às boas, perderei tempo em filas e reclamarei do frio. E mesmo sendo mais um ano como tantos outros – no caso de nenhuma fatalidade ocorrer – , sairei de 2013 melhor do que estou entrando, simplesmente porque é impossível desprezar conhecimentos, conversas, sensações – tudo o que parece repetitivo, mas que nos dá uma cancha necessária pra seguir adiante e viver melhor.

Então, FELIZ VOCÊ NOVO, mesmo que pareça igualzinho…a qualquer outro…

Adriano Vargas#Feliz Ano Novo
leia mais

Decisões

É muito vermos pessoas tomando decisões para o Ano Novo. Há menos de 72 horas voce feito algo parecido, criado uma série de projetos para 2012. É mais que recomendável planejar as coisas em nossa vida, pois, como diz o ditado, “para quem não sabe aonde quer chegar, todo vento é contra”. Quais são os seus projetos para 2012 e quais foram as decisões tomadas? Abandonar algum vício, comprar uma casa, trocar seu carro, fazer uma viagem ou algum curso? Seja qual tenha sido sua escolha, não tenho a menor dúvida que foi algo interessante e honesto. Mas faço um questionamento, em que parte de seus planos entra o Eterno?

Tenho um amigo, que se diz ateu, e ao ouvir alguém dizer que fará alguma coisa “se Deus quiser’, ele fala logo em seguida que Deus não se mete com as nossas coisas. Que triste é ver alguém pensar assim, pior ainda é saber que existem pessoas que afirmam acreditar em Deus, mas fazem planos, projetos sem pedir a Sua direção. Parece que Ele não faz parte de sua vida.

Falando sobre isto, Salomão afirmou que “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a edificam” (Salmos 127:1). Ainda dá tempo, se voce planejou, tomou decisões para 2012 e esqueceu de colocar o Eterno em primeiro lugar, faça-o agora e Feliz Ano Novo.

Gelson De Almeida Jr.Decisões
leia mais