Publicações com Fé

Crédulas crianças

A Bíblia fala de um sujeito chamado Calebe que, junto de Josué, deu um relatório favorável sobre as condições de Canaã a Moisés, contrariando os outros dez espiões, que fizeram o povo morrer de medo dos “gigantes da terra”. Ele não era de origem judaica, mas era “filho de Jefoné, o quenezeu”.

Calebe é dessas figuras simpáticas sobre a qual não se fala muito. Depois do relato da espionagem, fala-se bastante em Josué, mas de Calebe necas. O pouco que fala é elogioso.

No capítulo 14 de Josué ele reaparece, depois dum longo silêncio. O povo já cruzou o Jordão e está se espalhando por Canaã. Calebe chega para Josué e fala algo mais ou menos assim: “Josué, lembra o que Deus falou a nosso respeito, quando eu tinha só 40 anos e nós confiamos que Deus poderia nos dar esta terra? Moisés disse que a terra onde meu pé tinha pisado seria minha e dos meus filhos. Bom, passaram desde então 45 anos e eu continuo inteirinho, inclusive para dar umas bordoadas! Me dá o monte sobre o qual Moisés falou. Sei que lá tem umas cidades fortificadas onde moram os anaquins [a Bíblia diz que eram gigantes. Deviam ser uns caras grandes e mal encarados, no mínimo], mas o Senhor vai me ajudar a correr com eles.”

christmas-awe-little-girlDito e feito. O vovô subiu lá só com sua família e botou os tais gigantes pra correr.

Fiquei pensando nessa figura fantástica, filho de um estrangeiro no meio de um povo que já naquele tempo deveria ser um tanto exclusivista, que recebe a missão de andar por uma terra hostil, cheia de ameaças, mas ao invés disso só vê pescoços com a linha pontilhada do “corte aqui”. “Ah, isso tudo é fichinha perto do nosso Deus!” Aí, com 85, ele pensa: aquele monte cheio de cidades fortificadas foi prometido para mim pelo servo de Deus. Logo, Deus o prometeu. Logo, Ele estará comigo para o conquistar. Logo, a terra é minha! Mera questão de… tempo! E ele age conforme pensa.

O tempo em que vivemos desestimula a extrema credulidade; é inteligente quem de tudo desconfia. Mas as Escrituras estão polvilhadas de relatos de gente cuja maior virtude e trunfo estava exatamente na extrema credulidade. Seriam eles burrinhos? Seriam simplórios, ignorantes, inocentes?

A sutil sabedoria estava em que conheciam experimentalmente um Ser tão digno de confiança que, como um bebê que pula nos braços do pai sem nem imaginar a hipótese dele não agarrá-lo, soltam suas vidas em Suas mãos, fecham os olhos e seguem na direção indicada. A sutil sabedoria advinha do grau de conhecimento que tinham do Autor da promessa. Calebe parece uma criança falando “bom, Deus me prometeu, então deixa eu ir lá e dar uma coça naqueles gigantinhos”.

Justamente, uma criança.

“Em verdade vos digo que, qualquer que não receber o reino de Deus como criança, de modo algum entrará nele” (Lucas 18:17). Jesus é quem diz. Uma criança conhece bem o pai porque não tem muito mais gente pra conhecer, no mais das vezes. O convite desse princípio de sábado para você é: apague um pouco o mundo, abaixe o volume do som, da rua, do telefone, das pessoas e ouça a voz de Deus. O segundo passo: reivindique as promessas que receber dEle.

Você vai ver que não há como errar.

Marco Aurélio BrasilCrédulas crianças
leia mais

Virá Jesus em breve?

ampulheta

Quando se fala do retorno de Cristo à Terra, ou no cumprimento de qualquer promessa divina, comumente encontramos dois tipos de reação, os que acreditam e procuram viver à altura da promessa e os que duvidam ou zombam. Mas será que o Eterno é tardio em cumprir o que promete ou nós é que somos ansiosos demais?

Falando acerca do retorno de Cristo à Terra o apóstolo Pedro afirmou que deveríamos ter bem claro em nossa mente que “(…) um dia para o Senhor é como mil anos…” (I Pedro 3:8), sendo assim, qualquer desconfiança ou afirmação de que o Eterno está demorando cai por terra.

Vejamos como ficaria parte da História bíblica se analisada pela ótica divina (contagem de tempo aproximada):

  • Há pouco mais de 6 dias Ele criou nosso planeta e aqui colocou Adão e Eva.
  • Menos de dois dias depois, quando a maldade e a desobediência eram a marca registrada dos seres humanos, Ele interviu e recomeçou tudo com 8 pessoas.
  • Cerca de 10 horas mais tarde fez um pacto com Abraão para que fosse o iniciador de um povo que lhe fosse fiel.
  • Devido à sua desobediência, os descendentes de Abraão passaram pouco mais de 10 horas e 19 minutos cativos no Egito, até que saíram, liderados por Moisés.
  • Cerca de 1 dia, 1 hora e 48 minutos mais tarde o preço do pecado foi pago pelo Filho na cruz.
  • Há 1 dia, 23 horas e 57 minutos o Filho, antes de retornar aos Céus, para interceder por você e eu, prometeu que voltaria.

Repito a pergunta, é o Eterno que demora ou nós que avaliamos Suas promessas através da ótica humana e nos tornamos cada vez mais impacientes e desconfiados? Pedro afirma que o Senhor não retarda a sua promessa, mesmo que a tenhamos por tardia (II Pedro 3:9).

Portanto, quando avaliar alguma promessa divina, ou fizer-Lhe um pedido, não se desespere se demorar, o Seu tempo é diferente do nosso. Daqui instantes Cristo voltará para buscar Seus filhos fiéis, a contagem de tempo é dEle, o preparo é nosso.

Gelson de Almeida Jr.Virá Jesus em breve?
leia mais

Cumprimento – Aperfeiçoamento

VivaNestes dias meditei sobre a questão da vivência da fé efetiva, pois há muitos que apenas se apropriam de frases poderosas das escrituras, acreditando que isso seja viver pela fé.

É preciso dizer que, de certa forma, não se trata de um engano, afinal, se devidamente compreendidas, sobretudo o contexto em que foram criadas, vividas e pronunciadas pelos heróis da fé, apossar-se delas para declará-las em nossa vida é perfeitamente legítimo.

O que procurei ressaltar naquele texto foi a necessidade de se ter uma experiência pessoal e real com Deus, compreendendo, portanto, o entendimento profundo dessas frases. Acreditar que simplesmente Deus atuará em nossa vida sem que haja um passo sequer em sua direção, da transformação, é tolice, a não ser que por Ele mesmo, exista algum propósito em que o chamado encontre razão abrangente que o justifique.

O que disse o Senhor pela voz do profeta Jeremias: – “…buscar-me-eis e me achareis, quando me buscardes com todo o vosso coração. E então Eu me deixarei ser encontrado por vós“. Eis uma situação em que o Senhor se revela literalmente, proporcionando uma experiência real com Ele. Contudo, veja que uma prática diferenciada é aqui ressaltada. O verso diz anteriormente a essa passagem que devemos o invocar, orar a Ele.

A prática dos mandamentos é o caminho que nos leva não apenas à compreensão da obra, mas, sobretudo à essa experiência que torna a vida um diferencial nessa existência humana. E cumpre dizer, devidamente transformada.

O que diz a palavra sobre a fé? “A fé vem pelo ouvir a palavra de Deus“. O alimento da palavra é o que faz surgir em nós a fé, contudo, ela não é algo inerente ao ser humano, pois a fé, também diz a palavra, é dom de Deus que nos proporciona vivermos certos de que seremos salvos pela graça.

O posicionamento é tudo no mundo, especialmente quando ele ocorre pela razão maior de nossa existência: alcançarmos o alvo que é a nossa salvação, garantida por Cristo na cruz, contudo, necessária que sua busca se dê rumo ao mandamento, e assim conhecendo o Senhor, afinal, João escreveu em sua carta que “aquele que diz: ‘Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade’.”

Como saber que estamos nele? Também João responde: “qualquer que guarda a sua palavra, o amor de Deus está nele verdadeiramente aperfeiçoado“. Viver dessa forma é tudo o que precisamos.

Sadi – O Peregrino da Palavra

Sady FolchCumprimento – Aperfeiçoamento
leia mais

Corte a corda

corda cortadaGosto da ilustração do alpinista que resolveu escalar o pico mais alto de sua região, mas, desejoso que era de glória e reconhecimento pessoais, contrariando as regras mais básicas do alpinismo, fez a escalada sozinho. Na data escolhida iniciou a escalada. Quando a tarde chegou, e seria necessária uma pausa para acampar, foi que se deu conta de que não se preparara para isso. Resolveu continuar a escalada até o cume da montanha, mas a noite chegou rapidamente e ele não enxergava um palmo sequer à sua frente.

A poucos metros do cume seu pé resvala e ele desaba, caindo numa velocidade descomunal. Muito mais rápido que sua queda eram os pensamentos que passavam por sua mente. Quanta coisa fizera, mas quanto ainda queria fazer! Enquanto esses pensamentos povoavam sua mente sente um violento tranco, a corda se esticara toda e ele quase se partira em dois. Ficou preso no ar, os grampos que fixara e a corda impediram o desfecho trágico em sua queda. Em desespero grita:

– Oh meu Deus, me ajude.

– O que você quer de Mim, meu filho?

Em prantos ele pede para ser salvo.

A voz indaga: – Você acredita realmente que Eu posso lhe salvar?

– Sim Senhor, acredito.

– Então corte a corda que o mantém pendurado.

Após um silêncio devastador o homem se apegou mais fortemente à corda e não a soltou de modo algum.

Dias depois, foi encontrado congelado, morto, com as duas mãos segurando fortemente a corda, a apenas dois metros do chão.

O alpinista fez a escalada e deixou o Eterno de lado, mesmo assim, no momento de maior desespero, foi atendido. Disse que confiava, ouviu o que tinha que fazer, mas falhou na hora de mostrar confiança e obedecer. O resultado foi trágico, sua morte.

Acabamos de iniciar um novo ano. Infelizmente, virão as ocasiões em que você se verá em situação parecida com a do pobre alpinista. Não faça como ele que se apegou à corda e deixou de lado a voz de Deus. Ouça-O, e se Ele mandar cortar a corda faça-o sem pensar duas vezes, é uma questão de salvação.

Gelson de Almeida Jr.Corte a corda
leia mais

A filosofia do simplesmente crer

Eu estava numa encruzilhada. Aliás, estava numa daquelas fases da vida em que era encruzilhada sobre encruzilhada. Que faculdade fazer? Com quem namorar? O que fazer da minha vida? Meu futuro seria rigorosamente determinado pelas escolhas que eu fizesse e aquilo dava um frio danado na barriga. Dava vontade de ter um vídeo da minha vida que me permitisse apertar um botão que passasse o DVD pra frente. Se eu pudesse ver o que ia acontecer na história, aí eu poderia me preparar direito para o tipo de vida que ia levar.

Foi nessa época que um devocional como este me fez notar a história de Jesus e Jairo. Está lá em Marcos 5 e mostra um figurão local, um líder religioso, vencendo seu orgulho e passando por cima de preconceitos para buscar em Jesus a cura de sua filha, que estava às portas da morte. Jesus concorda em ir vê-la, mas a multidão não permite que andem muito rápido. Para piorar, Jesus interrompe a marcha para perguntar quem Lhe havia tocado, tendo uma curiosa conversa com uma mulher tímida que fora curada de sua doença crônica ao roçar Suas vestes. Imagine a impaciência de Jairo sabendo do estado de sua filha lá na cama.

Quando retomam a marcha, os servos dele se aproximam e, cabisbaixos, noticiam a morte da menina. Como você reagiria? Ponha-se no lugar desse pai desesperado, que tem suas esperanças aquecidas ao ver que uma mulher acabara de ser curada por esse homem, mas que por mais que Ele fosse poderoso, para sua filha era tarde demais. Tarde demais!

Nós sabemos o final da história. Sabemos que Jesus foi até lá e ressuscitou a menina. Acontece que Jairo não podia passar o vídeo de sua vida para frente e não sabia que as coisas iam acabar bem, então ele olhou angustiado para Jesus em busca de consolo.

Cristo poderia ter feito um inflamado sermão com o título “Eu Sou o Príncipe da Vida”, mostrando nas Escrituras e com argumentos eloquentes que tinha nas mãos as chaves da morte e que iria ressuscitar a garota, no entanto o que Ele diz é bem diferente. Jesus diz: “não temas, crê somente” (Marcos 5:36).

Isso é jeito de consolar um homem? Achei essa a resposta mais estranha que um pai desesperado poderia receber. Mas Jesus via longe. Via que havia algo mais importante que o consolo naquele momento. Via que era a oportunidade de Jairo, e não apenas sua filha, ser salvo, e dizendo o que disse convidou aquele homem a desafiar seus conceitos lógicos e razoáveis do que se poderia esperar de Deus.

O resultado disso foi fé. Sem nenhuma pista do que ocorreria, ele foi convidado a pegar sua angústia e depositar nas mãos de Deus. Jairo teve fé, levou Jesus a sua casa e pôde ver sua filha pulando, cantando e gargalhando pelos corredores da casa outra vez.

Às vezes não precisamos saber aonde nossos caminhos vão dar. Não precisamos do melhor consolo. Não precisamos de garantias, evidências, sinais fantásticos. Precisamos, sim, aprender a filosofia do simplesmente crer, lançando-nos nos braços do Pai sem nada mais que o convite para o fazer.

Eis o tipo de coisa que eu gostaria de ouvir no começo de um novo ano, com todas as possibilidades que ele enseja.

Marco Aurélio BrasilA filosofia do simplesmente crer
leia mais

Quando os dias são maus

Quando os dias são maus, pisar a rua representa uma descarga de adrenalina. Os sentidos se aguçam, o medo, que estava agachado, se levanta. Quando os dias são maus você é obrigado a andar olhando tudo o que acontece ao redor, a encarar passantes, a manter os vidros fechados, a fechar as travas, o rosto e o coração.

Quando os dias são maus você não dorme totalmente em paz. Checa se todas as portas e janelas estão trancadas, acorda sobressaltado ao mínimo ruído.baddays5

Quando os dias são maus você desconfia de tudo e de todos, qualquer um pode estar te passando a perna e você fica com a sensação de que geralmente está mesmo.

Quando os dias são maus as contas não dão trégua embora as entradas estejam minguando e você não sabe como será o próximo mês e você não consegue, simplesmente não consegue deixar de andar ansioso quanto ao que haverá de comer ou de vestir.

Quando os dias são maus o emprego e o ofício não preenchem, fica faltando algo, e eles bambeiam, e você não tem segurança.

Quando os dias são maus – e eles são! – as notícias ruins se acumulam, os relacionamentos ficam doentes e alguns, muitas vezes os mais importantes, caem de podre, e você nem tem tempo de pensar de onde veio o disparo.

Quando os dias são maus os amigos estão sofrendo, seja porque a morte lhes bateu à porta mais cedo do que se podia esperar, seja porque os terremotos abalaram aquilo em que confiavam e de onde lhes vinha o consolo e o prazer. E você nem sabe o que dizer e você só pensa que o próximo pode ser você.

“Tenham cuidado com a maneira como vocês vivem; que não seja como insensato, mas como sábios, aproveitando ao máximo cada oportunidade, porque os dias são maus” (Efésios 5:15 e 16).

Porque os dias são maus é preciso sabedoria. Aproveitar ao máximo cada oportunidade para dizer que ama. Aproveitar ao máximo cada oportunidade para multiplicar a certeza de que um dia Jesus Cristo os fará bons. Aproveitar ao máximo a oportunidade de viver como quem sabe que, no relógio dEle, os dias maus estão com os dias contados.

Marco Aurélio BrasilQuando os dias são maus
leia mais

# Conhecer a Vontade de Deus

images

Se dissermos que a nossa oração foi atendida, significa que Deus fez a nossa vontade? Sim ou não? Nestes dias me chamou a atenção ter ouvido de pessoas diferentes uma outra frase:  “Deus não atende as minhas orações!”.

Quando a ouvi pela segunda vez, lembrei-me da primeira em dia anterior e prestei atenção ao contexto em que esta pessoa estava afirmando tal sentença negativa. Em nada diferia da pessoa que dissera a mesma coisa anteriormente. Percebi que elas não consideravam a onisciência de Deus nessas situações. Olhavam apenas para si mesmas e aos seus pedidos de oração.

Em ambas as situações veio à minha mente a palavra de Paulo dizendo aos romanos: “… transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimente qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus”.

Não raro, as conversões passam por uma superficialidade tamanha, ficando as pessoas sujeitas à incompreensão quanto ao que seja a experiência real com Deus, que acabam por desistir do caminho ao qual acreditaram terem se entregue um dia. Aí cabe lembrar a importância dos estudos bíblicos que conduzem os discípulos à verdadeira compreensão dos atos a que devem se atentar para percorrer o caminho; sobretudo permitindo que sua mente seja transformada mediante a renovação realizada pelo espírito que age pela palavra.

Mas, enfim, no caso da oração ser  atendida, significa Deus ter ouvido o pedido? Depende. Se deixarmos Deus ser Deus, a resposta é sim. Se interferir para o resultado for possível e assim o fazemos, pode ser que Deus tenha agido, pode ser que não. É comum ouvirmos pessoas afirmando gratidão e atribuindo responsabilidade a Deus por terem alcançado conquistas que na verdade são essencialmente mundanas. É preciso conhecer a Sua vontade!

E, como conhecermos a vontade de Deus, afinal? Estudando a Sua palavra. Afirmar que Deus não nos ouve ou não atende às nossas orações é antes de tudo não termos nos permitido a transformação para que conhecêssemos a Sua vontade. Isso sem dizer que mostramos desconhecer o que signifique Deus ser soberano.

O Eterno, bendito seja o Seu nome, ao não nos conceder um pedido feito em oração, certamente ou está agindo por Sua própria onisciência, evitando, portanto, que tal concessão venha a prejudicar o nosso crescimento espiritual; ou está agindo conforme Sua própria justiça prenunciada na palavra e que um discípulo deveria no mínimo conhecê-la.

Afirmou o Messias: “Pedí, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei e abrir-se-vos-á. Pois todo o que pede, recebe; e quem busca, acha; e ao que bate, abrir-se-lhe-á”. Mas, por que e quando é cumprida essa promessa? Porque amamos a Jesus Cristo, pedindo, portanto em Seu nome; mas, sobretudo por cumprirmos os mandamentos.

Eis a chave para sermos prósperos: estarmos alinhados à vontade do Eterno, conhecendo-a; e isso ocorre quando nos alimentamos de Sua palavra, afinal, é mediante esse contexto ideal revelado por Deus que até mesmo as orações por pedidos que pareçam impossíveis aos olhos do mundo são atendidas. Caso não o sejam, não lamente, estude a palavra, submeta-se à Deus, entregando-se a Ele, consciente de que a Sua vontade é boa, perfeita e agradável.

Sadi – Um Peregrino da Palavra.

Sady Folch# Conhecer a Vontade de Deus
leia mais

# Ame e viverá

kjhOntem eu escrevia sobre o triste testemunho que o mundo tem presenciado diante do êxodo que ocorre no Oriente Médio, porquanto a atitude despótica se caracteriza, desde que o mundo é mundo, por violências de toda a sorte apenas para manter o poder.

Dentre a completude dos esclarecimentos que nos levam a amar a Deus (especialmente porque Ele nos amou primeiro), está o fato de Ele não nos forçar a nada, esperando paciente e amorosamente que nos voltemos a Ele. Esta, sim, é uma atitude a que podemos acreditar esteja repleta de verdade e esperança, de segurança e fidelidade em todas as horas.

Os homens que procuram sua própria glória, vivendo por discursos que não passam de armadilhas para os desavisados, a eles todo o cuidado é pouco, pois ainda que o favoreçam com alguns benefícios, será no momento em que mais precisar de sua ajuda quando eles o abandonarão.

Somente nas escrituras podemos encontrar o que de fato é a verdade, sobretudo a compreensão quanto à esperança e a paz, estas que são colunas especialmente preparadas por Deus para momentos turbulentos. Entre todos esses contextos e compreensões, algo se sobressai e os constitui: o amor.

O apóstolo Paulo, à época em que ainda era Saulo perseguia e matava os cristãos. Convertido, escreveu aos coríntios dizendo: “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha”. Ao dizer isso, Paulo demonstrou a verdade também reconhecida por Pedro, quando escreveu que quem “ama é nascido de Deus, pois Deus é amor”.

As barbáries que presenciamos no Oriente Médio devem nos mover em amor àqueles que sofrem, para fazermos o que estiver ao nosso alcance, ainda que seja ajoelhar e orar, o que, diga-se de passagem, pode muito diante de Deus. Quanto aos déspotas, não devemos odiá-los em nenhum momento, pois são criaturas de Deus e podem a qualquer instante, como ocorrera com Paulo, arrependerem-se e voltarem-se para Deus.

Por estes devemos orar com maior amor ainda, pois ao agirem com tamanha crueldade, sofrem muito, ainda que não o compreendam e também à ignorância de seus atos. Cristo pediu que orássemos pelos inimigos. Pergunte-se se alguém consegue orar por outra pessoa tendo ódio dentro de si. Somente amando-nos uns aos outros é possível que o amor de Deus se aperfeiçoe em nós, possibilitando que Ele permaneça em nós.

Logo, podemos concluir que ainda que estejamos diante de situações pavorosas como as que ocorrem na Síria (e haverá de chegar o dia em que a perseguição aos cristãos, especialmente aos que guardam o sábado ocorrerá) não devemos odiar, tampouco sentir medo, pois, ainda tomando de empréstimo as lições na carta de João, ressalte-se que aquele que sente medo não está aperfeiçoado no amor.

Creio que estas sejam as lições com as quais devemos imprimir a transformação de nossa mente, não nos conformando com este mundo. Amar é tudo o que podemos fazer. Se o fizermos verdadeiramente, tudo o mais nos será acrescentado em força e poder da parte de Deus, pois ainda segundo a carta de João, é o amor que faz com que no dia do juízo teremos confiança.

Que o amor de Deus seja a razão de viver para cada um de nós, hoje e por toda a vida.

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Ame e viverá
leia mais

# Líderes e desafios transformadores

Líderes e transformaçõesOntem escrevi um texto para o blog da Nova Semente tratando sobre a singular tecnologia à disposição do Pastor Ted Wilson, reeleito presidente mundial da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Essa tecnologia, que restou provada ao longo de milênios não haver nada que a torne obsoleta, trata-se da escritura sagrada, apresentando-se como manual de instruções que nos leva ao convívio diário com o único Software capaz de atualizar o Hardware onde é instalado.

Pois bem, continuo aqui por esta analogia, pois ao tema cabem inúmeras possibilidades. Meditemos em liderança.

O que caracteriza, sobretudo, a vida daqueles que se diferenciam neste mundo? Respondo: O desafio. Essa foi a resposta do Pastor Ted Wilson quando perguntado sobre o que significa a sua recente reeleição para dirigir a IASD mundial. Um instante desafiador.

Assim como as mentes brilhantes sentem-se desafiadas a aperfeiçoarem tecnologias que melhorem a vida das pessoas, me chega à lembrança o exemplo do pastor Kleber Gonçalves. Na última década, ele se mostrou um líder movido pelo mesmo espírito que o pastor Ted Wilson, ambos envolvidos com o melhor dos projetos já colocados à disposição da transformação da vida humana.

Aos olhos do mundo, estes dois pastores testemunham o quanto o posicionamento pela fé, a necessidade do conhecimento correto da palavra de Deus e a utilização dos dons em favor da obra fazem com que vidas se tornem vasos de honra na obra de Deus.

O pastor Kleber não descansou sobre a conquista que se tornou a Nova Semente, bem confessando ser uma obra realizada por Deus, e ele apenas um instrumento para a sua realização. Cumpre dizer, devidamente reconhecida inclusive pelo pastor Ted Wilson em visita à sede há alguns anos.

Da mesma forma, o pastor Ted Wilson teve a postura admirável ao dizer sobre sua renovação para a nova administração da IASD mundial. Há de ser realizada pelos dons que Deus lhe deu, disse ele, confiando apenas no Criador para a condução boa, perfeita e agradável dos resultados que apresentarão frutos de transformação.

Assim são os líderes, em especial os que se formam pelo Espírito de Deus. São movidos por desafios, zeram o ponteiro do relógio quando ouvem o novo chamado e recomeçam como que do princípio, quando na verdade estão apenas mais maduros pelas reais experiências vividas com Deus, podendo alçar novos voos, contudo muito mais altos.

É o que os convido a meditar. Tornemo-nos líderes talhados pela compreensão e vivência da Palavra de Deus, avançando sempre, com foco na transformação pela palavra de Deus, positivos enquanto revestidos pelos frutos do Espírito e prontos para a ação em tudo o que fizermos para a honra e a glória do Eterno.

Saia e seja um vencedor. Como disse o pastor Ted Wilson, recentemente: “Levante-se e brilhe!”

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Líderes e desafios transformadores
leia mais

# Decisões e compreensões

tyEm diversos lugares onde vemos pessoas publicando vídeos ou textos que falem sobre determinada passagem bíblica, em uma abençoada tentativa humana de explicar a mensagem, ou somente expressar o entendimento da palavra do Eterno, bendito seja o Seu nome, vemos também comentários de pessoas que se ocupam em combater a ideia, ou o simples gesto, infelizmente.

Atribuo-o por um momento infeliz, pois, ou não sabem o que dizem, talvez movidos por testemunhos que deturpam a mensagem do evangelho, ou se souberam um dia, dizem-no movidos por alguma resultante de experiências com a igreja. Sim, com a igreja, pois com a palavra homem nenhum que a conhece e a aceita se volta contra ela, mas, antes, se por alguma recusa, apenas se afasta. Claro que para toda a situação, a existência da exceção. A estes, a compreensão e a misericórdia.

Contudo, dizemos, a mensagem da cruz é loucura para os que estão perecendo, mas para nós, que estamos sendo salvos, é o poder de Deus, segundo a sabedoria de Deus, dita por Paulo. E, ainda, visto como na “sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação. Porque os judeus pedem sinal, e os gregos buscam sabedoria. Mas nós anunciamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus, e loucura para os gregos”, arrematou Paulo.

Sim, pregamos a Cristo crucificado pelo que a mensagem significa, justificando-a a quem desconheça a razão de tamanho sacrifício. Contudo, cumpre-me dizer como crente na mensagem e, sobretudo como testemunho vivo da experiência real com Deus, eu, de minha parte, anuncio, sobretudo o Messias ressurreto, sentado à direita do Eterno, nosso Deus, bendito seja o Seu nome, afirmando que sua volta é iminente, quando crentes e descrentes receberão a compreensão de tudo, inclusive de suas vidas e decisões, importando com isso que entrem para viver o reino pela eternidade ou sejam extintos para todo o sempre.

São decisões pessoais. Que sejam respeitadas e jamais julgadas para que se lhes condenem; contudo, que também suportem as consequências de seus atos, pois o amor está à disposição de todos, sendo tudo aquilo o que de fato importa.

Tenha uma linda semana e anuncie o amor de Deus.

Sady Folch# Decisões e compreensões
leia mais