Publicações com Morte

#Adeus, mamãe…

“Não foi porque ela não quis mais, nem porque ela desistiu… Ela nunca desistiu de nada! “É que dentro de cada um de nós tem uma velinha acesa, e hoje Deus assoprou a velinha dela”, disse o seu médico.

3h da manhã, meu pai, “Lu, a mamãe não está bem. Ela está estranha”. Me levantei, suas mãozinhas estavam geladas, suas pernas, ela não abria os olhos. Chamamos o Samu e a enfermeira confirmou o nosso medo, a nossa expectativa, o momento que sabíamos que ia chegar, mas que verdadeiramente nunca esperamos que chegasse.

A velinha da mamãe se apagou.

Amanheceu, um dia lindo de domingo ensolarado. Deus nos dá presentes lindos até nos momentos mais difíceis. A dor parece algo que não vamos conseguir suportar. Mas Ele está ali. E ela continua ali.
Na nossa memória. O que ela deixou, foram só coisas boas. As dificuldades e os momentos ruins que vivemos deixam de existir, dando lugar a tudo o que ela nos ensinou.
Houve alguém tão especial como ela? Sim, meu pai. Mas este é outro capítulo, importantíssimo, mas outro capítulo da história. Hoje este capítulo é dela. Ela sorriu, chorou, ajudou, ensinou, acolheu, se desdobrou por ela mesma e por todos. Passeou, dançou, amou, festejou, foi amiga e confidente de tanta gente. Ela viveu. No sentido mais profundou da palavra. Ela viveu.
Ela ensinou com tudo o que tinha: paciência, resignação, dignidade, persistência, insistência, sabedoria. Sonhadora, amante da vida, uma mulher realizada pelo trabalho que fazia, pela família que edificara, pelo casamento que construíra.Nunca deixou de ser ela mesma. Às vezes tentava falar e não conseguia. Segurava tudo pelo bem de seu lar, pelo bem de seus relacionamentos, isso era o mais importante. Se calava. Silenciava. Às vezes chorava. Mas sempre, sempre, sempre sorria.Suas mãos fizeram verdadeira arquitetura nas roupas. Não era só uma costureira. Era modista. Era estilista. Noivas e madrinhas, senhoras e meninas, moças e crianças, homens e mulheres. Todos desfrutaram do trabalho amoroso de suas mãos. Todos desfrutaram, pouco que tenha sido, de sua companhia amiga e fiel.

O dia inteiro foi regado pelos raios de um sol forte e pelo calor. Mas no momento final, o céu chorou com a gente. A chuva trouxe o alívio pra sua dor, o alívio pra nossa dor. A despedida.

Minha mãezinha deixou sua marca em mim, no meu pai, no meu irmão, em suas irmãs, em seus irmãos, e em todos que um dia passaram diante dos seus olhos. Sua presença permanece através das histórias de amizade e solidariedade que permearam toda a sua vida. Permanece através das atitudes que repetimos, porque aprendemos serem boas.

Não existem super-heróis com poderes especiais. Mas existem pessoas especiais que são heróis e heroínas. Nessa história, meu pai é o herói, e minha mãe, a heroína.

Adeus, mamãe”.

Texto de Luciana Tavares em homenagem a Sueli Tavares, sua mãezinha…

“Ele enxugará de seus olhos toda lágrima; e não haverá mais morte, nem haverá mais pranto, nem lamento, nem dor; porque já as primeiras coisas são passadas.” Apocalipse 24:4

Adriano Vargas#Adeus, mamãe…
leia mais

#refúgio

“Deus é o nosso refúgio e a nossa fortaleza,
auxílio sempre presente na adversidade.” Salmo 46:1

Você já sentiu aquela necessidade de fugir de tudo?
Jesus também passou por essa situação (Marcos 1:35).

Já aconteceu de ter tantas coisas a fazer a ponto de não encontrar tempo nem pra parar e comer?
Ele sabia bem o que era isso (Marcos 6:31).

Seus amigos já deixaram você na mão?
É, quando Cristo precisou de ajuda, seus amigos caíram no sono (Mateus 26:40).

Mas quando eu recorro à ajuda de Jesus, Ele vem correndo em meu auxílio.

Sabe por que ele faz isso?
Porque sabe como você se sente.

Cristo passou pelas mesmas situações…portanto, chame-o quando precisar…eis uma simples coisa incrível desta vida…

Adriano Vargas#refúgio
leia mais

Só Resta Mais Um Dia

Tic, tac, tic, tac…
———————————-

Morte. Fim do mundo. Apocalipse. Poucos temas causam tantos debates e são tão intrigantes. As várias religiões propõem diferentes explicações e especulações sobre as profecias, parte porque é algo que não podemos controlar, parte porque temos medo do desconhecido. Já dizia o poeta que para morrer, basta nascer.

Se você tivesse apenas mais um dia de vida, o que você faria? Quais seriam as suas escolhas? O que seria prioridade nestas últimas 24 horas?

Jesus, no capítulo 24 de Mateus, nos revela uma série de acontecimentos que sinalizarão a proximidade de sua volta. Mas a chave do texto é no versículo 36: “Quanto ao dia e à hora ninguém sabe”. E no versículo 44 vem a recomendação: “Estejam preparados”.

Por mais que o segundo advento de Cristo pareça demorar, nossa vida é curta e pode ser abreviada a qualquer instante, por diversos motivos. Mas este não é o ponto. Não devemos ter medo. O fato é que devemos estar prontos agora, sempre preparados. Portanto, não deixe para amanhã aquela palavra de carinho a quem você ama, o reconhecimento a quem lhe ajuda, a solidariedade a quem precisa ou o pedido de perdão a quem foi ofendido. A hora é agora.

ComunicaçãoSó Resta Mais Um Dia
leia mais

Amor de Pai

A dor de perder um filho para ganhar outros

Por muito tempo, a figura de um pai foi estereotipada como a do homem, chefe de família, que se sacrificava no trabalho e era ausente da família, para que pudesse receber o salário que sustentava a mesma. Um homem bruto e duro, que não demonstra sentimentos, mas nem por isso deixa de amar os seus. No entanto, qualquer pai é capaz de fazer o impensável para salvar um filho e evitar que este sofra ou tenha dor.

Uma história bem conhecida na Bíblia é de Abraão, a quem Deus desejava provar a fé e pediu o sacrifício de seu filho. Ele estava prestes a concluir tal absurdo quando foi impedido pelo Senhor. A Deus, bastou a intenção demonstrada por Seu servo. Não há dor maior para um pai do que perder seu filho. Imagine então oferecer Seu próprio filho em sacrifício? Torna-se ainda mais doloroso.

Isto nos leva a refletir o amor de Deus por nós, que enviou Seu Filho único para morrer em nosso lugar. Se o Pai tivesse se oferecido no lugar do Filho, o impacto não seria o mesmo. Imagine a aflição de Deus caso Jesus falhasse em Sua missão. Esta é a medida do amor do Pai por nós. Ele nos ama tanto que foi capaz de abrir mão de Cristo para que nós pudéssemos ser salvos. Jesus assinou com Seu sangue a nossa adoção e guarda perante o Divino: “Vede que grande amor nos tem concedido o Pai, a ponto de sermos chamados filhos de Deus; e, de fato, somos filhos de Deus” – 1 João 3:1.

ComunicaçãoAmor de Pai
leia mais