Publicações com Paz

# Construindo um novo homem

Estive ao longo desta semana meditando nas palavras do pastor Kleber que deram conteúdo ao  segundo episódio da série – Em Obras – no sábado à tarde. Dizia ele reproduzindo a sabedoria colhida dos frutos bíblicos: “Se você buscar por vitórias em sua existência mantenha sua vida baseada pela fé, e para tanto, viva com confiança; tenha uma atitude positiva; viva com coragem; viva mediante obediência a Deus”.  Isto trouxe a mim um ponto de vista diante da vida bastante esclarecedor, pelo tanto que se tornou renovador de meus pensamentos.

Uma irmã que é membro da Nova Semente, na manhã deste sábado testemunhou algo importante. Cremos muitas vezes que somos seguros de nós mesmos, mas há momentos em que a vida nos leva a provações onde corremos o risco de questionar a fé e mesmo perdê-la. Isso pode acontecer com um pastor, como disse ela ao ouvir um testemunho semelhante.

Acreditar na Palavra por ser a verdade, é no mínimo uma atitude sábia; Respeitar ao Espírito de Deus, demonstração de prudência; temer a Deus como o princípio da sabedoria, comprovação de que anda pelo caminho certo. No entanto, ainda assim, mesmo com o reconhecimento de todos estes bons testemunhos, podemos andar vacilantes pela vida, sem perceber que o frasco que contém o antídoto para uma vida de vitórias esteja presente em dois aspectos muito próximos de nós quando conhecemos a mensagem de salvação. O conhecimento prático da Palavra e a entrega total de nossa vida nas mãos de Deus.

Todos nós precisamos dessa dependência. Alguém pode achar que conhecendo a palavra profundamente, participando dos cultos, dizendo sábias palavras e se comportando exemplarmente em meio aos irmãos seja o bastante para transformar sua vida. E o é, se de fato entregar sua vida em dependência total a Deus.

Incertezas, medos, sentimento de inferioridade e pessimismo são produtos de uma vida que ainda não foi transformada, não se entregou ao novo nascimento, continua presa ao passado, aos falsos julgamentos que se lhe atribuíram em outros tempos, e pior, por pessoas que não conhecem o reino de Deus. Não temas, diz o Senhor. Não temas, o reafirma nosso Salvador Jesus Cristo. Não temas, repetem os pastores incansavelmente ao longo dos cultos, anos após anos.  O que falta a nós para que tenhamos o monte em nossas mãos?

A resposta tem sido dada há milênios desde que as escrituras começaram a ser escritas. Foi repetida há uma semana durante a série – Em Obras – pelo pastor. Olhar as coisas ao redor com fé.  Olhar o futuro com confiança, pois a fé gera a confiança. Ter uma atitude positiva, pois o Senhor é conosco e vai a nossa frente quando estamos com Ele. Viver com coragem para vencer, pois o Senhor nos garante – Não temas, Eu estou contigo. Se Deus é por nós quem será contra nós? E enfim, tudo isto só poderá acontecer mediante um novo nascimento, se obedecermos a Deus. Esse é o segredo. Obediência. Aí então podemos pedir: Senhor, dá-me este monte! E por maior e mais alto que seja, Ele o entregará em nossas mãos.

Shalom Aleichem!

Ṣadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Construindo um novo homem
leia mais

#vida no campo

É agitável morar no campo…pensei que não diria isso, mas sempre está acontecendo alguma coisa aqui. Por exemplo, enquanto estou sentado aqui no iPad, escrevendo, tudo é silencio, a noite esta escura e no céu muitas estrelas e um pássaro corta o céu ainda cantando.
Olha pela janela e fica só escutando, os sons do campo, do outro lado da rua. Grilos, um cachorro teimoso, pássaros e um vento silencioso.
E tudo acontecendo numa noite de luar, as o sol mal se pôs no horizonte e ainda é claro. Os pássaros começaram cedo esta noite, penso. Por que será? Ainda há muitos segredos a serem descoberto nesta minha vida no campo…
Em meus primeiros anos seis anos de vida, antes de ter mais um irmão, sempre íamos para o campo na casa de meus tios, até não havia passado pelas experiências que ocorrem naturalmente na vida rural, mas havia visto animais na televisão, claro!
Anos depois, volto para o campo! Mas vejam, tomemos por exemplo o gato. Antes o que conhecia do luar, dos pássaros, do silencio estavam baseados em gravuras, em programas da National Geografic. Hoje, olha pela janela e vejo animais que nem sei o nome, ouço sons que nem posso descrever, afinal esse silencio do campo é indescritivo, mesmo. E chama minha esposa, e pergunto: “Amor, olhe! que bicho é esse?”.
Mesmo que tudo pareça igual aos lugares rurais que vivi na infância, ou assisti zapiando na tv, e presença de pássaro a meia noite no meu pátio, aqui isso é normal…
Pensando nisso, vejo que seria maravilhoso se sempre tivéssemos o senso de admiração e aventura que surge quando se vê alguma coisa selvagem e rural pela primeira vez. Os animais aqui em casa estão se regozijando nessa noite. Obrigado, Senhor por me dar essas aventuras…
“Ruja o mar e todas as criaturas que nele vivem. Alegrem-se os campos e tudo o que há neles.”
I Crônicas 16:32

Adriano Vargas#vida no campo
leia mais

#aglomerados

Sei que depois de tantas informações e sensacionalismo dos meios de comunicação, sei que você já está cansado de ouvir essa historia. Mas como, não falar de uma tragédia desta proporção. “Agromerados”, foi o nome da festa realizada na boate Kiss. O evento era de acadêmicos dos cursos de Agronomia, Medicina Veterinária, Tecnologia de Alimentos, Zootecnia, Tecnologia em Agronegócio e Pedagogia.

Em momentos como o da madrugada de sábado, em Santa Maria, as redes sociais revelam o melhor e o pior não apenas do ser humano, mas do uso dessa tecnologia que aproxima pessoas e possibilita troca de informações em tempo real de e para qualquer lugar do mundo. Como em qualquer espaço público, há nas redes pessoas todo tipo de informação vinda de teclados de diversas espécies de seres humanos, se é que posso chamar de humanos?

Enfim, além dessa tragédia ceifar a vida de mais de duzentos jovens em pleno vigor da vida, o que me deixou estarrecido foi o uso das redes sociais. Na mesma velocidade com que pessoas próximas e distantes da tragédia, anônimos e famosos, manifestavam solidariedade, usuários de Twitter e Facebook eram surpreendidos por revoltantes manifestações de humor negro, demoníacas insinuações de conotação religiosa pelo fato dessa tragédia ter acontecido em um local de diversão, além de análises apressadas pedindo linchamento indiscriminado antes mesmo de se saber exatamente de quem.

Nessas horas, quando a reação não é mediada pela reflexão ou pelo bom senso, é possível agir no mundo virtual com a falta de caráter que a relação presencial eventualmente ajuda a disfarçar, podemos ser e dizer o que quisermos. Reações impensadas desse tipo acabam ofendendo não apenas as vítimas e suas famílias, mas a todos nós que usamos as redes sociais como uma segunda sala de estar das nossas casas – e que vimos esta sala coberta de dor e consternação nas últimas horas.

Por outro lado, as redes serviram para que se multiplicassem os pedidos de reforços de profissionais para atender os sobreviventes e suas famílias e para disseminar informações de utilidade pública, como pedidos de doação de sangue. Possibilitaram ainda o espaço ideal para o imenso luto coletivo que tomou conta não apenas do Estado, mas do mundo todo.

Nessa situação se puder ajudar ajude, com doações ou orações. E fica o alerta use este meio, as redes sociais, pra fruir amor e graça, que cada post seja uma oportunidade de propagar paz, alegria, perdão, esperança e uma experiência com Deus. As redes são o que quisermos fazer delas – e com certeza tem mais gente usando para o bem do que para o mal. Só uma experiência real, pode transcender para o virtual de forma real. #pensenisso

Adriano Vargas#aglomerados
leia mais

Que paz é esta!

Ontem um grupo de observadores da ONU foi atingido pela explosão de uma bomba, colocada na estrada, na cidade de Khan Sheikhoun (Síria). O fato ocorreu mesmo após o cessar fogo negociado pela ONU e a Liga Árabe. Cerca de 20 pessoas morreram e várias outras ficaram feridas. Foi o segundo ataque a bomba a um comboio da ONU em apenas uma semana. Ao ler a notícia me perguntei, e o acordo de paz, de cessar fogo? E a palavra dos governantes onde fica?

Este fato comprova que a paz que nossos governantes garantem não é uma coisa em que se possa confiar, pois não é uma paz genuína, é a paz feita com armas. É a lei do mais forte, na qual aquele que tem maior poder de fogo tenta silenciar seus opositores.

Séculos antes de Cristo aqui nascer foi profetizado que um de Seus atributos seria o de “Príncipe da paz” (Isaías 9:6) e, em suas considerações finais, Ele afirmou que subiria ao Pai, mas que nos deixaria a Sua paz, não uma paz como a dos homens, mas uma paz na qual se pudesse confiar (João 14:27).

É muito ruim desconfiar das pessoas, mas de uma coisa podemos estar certos, somente em Cristo poderemos encontrar a verdadeira paz. Uma paz totalmente atemporal, não sujeita ao humor das pessoas, às mudanças econômicas, à situação política ou à boa vontade de ninguém.

Neste exato instante o Príncipe da paz quer estar ao seu lado e lhe conceder a Sua paz. Apenas lhe estenda a mão e O receba.

Gelson De Almeida Jr.Que paz é esta!
leia mais

Onde está o Reino?

As coordenadas são claras
————————————– 

Nas ficções sobre o fim do mundo, é comum vermos o estereótipo de um homem de longo cabelo e longa barba, grisalhos, segurando placas com dizeres alarmistas: “O fim está próximo” , “É chegado o Reino de Deus” ou “Arrependam-se”. Sobre este suposto reino, desde a época de Jesus, muitos supunham ser este um poder político que derrubaria outras nações e conquistaria terras diversas.

Outros imaginam ainda hoje que o Reino de Deus será uma recompensa pelas boas obras executadas na Terra. Ou ainda que será uma conseqüência de um vestibular constante em nossas vidas, onde não se pode cometer qualquer deslize que nos levará a arder no fogo eterno.

Nada pode ser mais distante das intenções de Jesus. O Reino de Deus já foi estabelecido na Terra, há muito tempo. Cristo nos mostrou o que Ele entende como reino e é muito fácil, na teoria, replicarmos este modelo nos dias atuais.

O Reino de Deus nada mais é do que uma vida repleta de amor, onde possamos todos viver em comunidade e em paz, servindo a Deus e servindo ao próximo. Quando vivemos em comunidade, nos ajudando uns aos outros, dando atenção aos idosos, alimentando os esfomeados, cuidando dos enfermos, vestindo os que estão nus ou compartilhando nossas alegrias, aí sim estaremos vivendo em harmonia com o Reino que Jesus nos deseja.

ComunicaçãoOnde está o Reino?
leia mais

Paz…

Anteontem o mundo artístico chocou-se com a notícia da morte de Whitney Houston. Tudo leva a crer que uma “mistura explosiva” de álcool e remédios para dormir causou sua morte. Whitney Houston, é a mais recente e, infelizmente, não será a última de uma lista que inclui Marilyn Monroe, Michael Jackson, Elvis Presley e Amy Winehouse. O que tinham em comum? Um talento fora do comum, eram ícones mundiais, masque não suportavam a pressão e buscavam paz nas drogas, “lícitas ou ilícitas”. O fim de todos, a morte prematura, morreram onde deveriam sentir tranquilidade e sossego, em casa ou na suíte de um hotel.

Em um momento de grande angústia Davi afirmou que só o Senhor poderia fazê-lo dormir e habitar em segurança (Salmo 4:8). Não existiu pessoa mais angustiada e atribulada que Jó, que em questão de dias, perdeu filhos, noras, todas as posses e a saúde. Mesmo assim deixou-nos um sábio conselho, “Apega-te, pois, a Deus, e tem paz, e assim te sobrevirá o bem” (Jó 22:21). Riquezas, poder, fama, nada disto traz a verdadeira paz, apenas o Senhor da paz é que pode no-la conceder.

Não importa o tamanho do problema, da angústia, há somente um lugar onde se pode encontrar a verdadeira paz, em Cristo Jesus, o Salvador e Redentor da humanidade, que afirmou que nos deixaria a verdadeira paz, não a paz transitória ou falsa que as coisas deste mundo oferecem. Busque ao Eterno diariamente, faça a Sua vontade e voce terá a verdadeira paz.

Gelson De Almeida Jr.Paz…
leia mais

Sobre as Águas

Avião cai em rio de NY; todos sobrevivem
———————————————————–

Um fato insólito aconteceu em 2009, em plena Nova York – a cidade mais cosmopolita do mundo. Um avião de grande porte teve problemas logo após decolar e foi obrigado a fazer um pouso forçado no Rio Hudson. Era mais um prato cheio servido à mesa dos noticiários que recheiam suas matérias com tragédias. Mas o inusitado veio a seguir, quando a companhia aérea anunciou que todos os passageiros deixaram o avião e todos sobreviveram. Sim, todos sobreviveram.

Aquelas 155 pessoas a bordo mergulharam nas águas e nasceram de novo. Fico imaginando as diversas reações ao passarem por uma experiência tão próxima da morte: elas re-avaliarão seus valores? Procurarão consertar relacionamentos e curar mágoas? Pedirão perdão a quem ofenderam? Tirarão proveito do trauma para obter vantagens? Como estará a consciência delas? Essas pessoas dispõem de um leque de opções para recomeçarem suas vidas. Uma segunda chance para consertar os erros do passado e planejar o futuro sob uma nova perspectiva.

Deus nos convida a passarmos pela mesma experiência, com a vantagem de que não precisamos enfrentar a queda de um avião. Você também pode renascer. “E isso é representado pelo batismo que agora também salva vocês – não a remoção da sujeira do corpo, mas o compromisso de uma boa consciência diante de Deus – por meio da ressurreição de Jesus Cristo” – I Pedro 3:21.

Recomece sua vida, “afaste-se do mal e busque a paz com perseverança, porque os olhos do Senhor estão sobre os justos e os seus ouvidos estão atentos à sua oração” – I Pedro 3:11-12. Cristo lhe chama e ainda há tempo para consertar os seus relacionamentos, com o seu próximo e com Ele.

ComunicaçãoSobre as Águas
leia mais