Publicações com Salvação

Dê o melhor de si

Nos dias 03 a 05 de setembro de 1666 um incêndio aniquilou grande parte da cidade de Londres. Foram destruídas 13.200 casas, 87 igrejas, inclusive a célebre catedral de St. Paul e 44 prédios públicos, deixando cerca de 100.000 desabrigados. Sir Christopher Wren, um dos maiores arquitetos da época, liderou o grupo responsável pela reconstrução.

Certo dia, ao visitar uma região onde uma grande igreja era reconstruída, o famoso arquiteto viu que um pedreiro se destacava dos demais pelo capricho e esmero com que trabalhava. Chegou perto do homem e lhe perguntou o que estava fazendo, o homem, que não o conhecia pessoalmente, respondeu:

– Estou ajudando Sir Cristopher Wren na reconstrução desta catedral.

Os danos causados pelo pecado em nosso planeta podem ser vistos por toda a parte, são muito maiores que os causados pelo incêndio em Londres. Cristo, o Grande Arquiteto do universo e responsável pela reconstrução do planeta, e da restauração da imagem de Deus em cada ser humano, conta conosco para realizar Sua Obra.

coração nas mãos

O pedreiro dava o melhor de si na reconstrução da catedral porque sentia-se parte do time de Sir Cristopher Wren. O Eterno deu o Seu melhor para que tivéssemos a chance da salvação e espera que cada um de Seus filhos dê o melhor de si.

Trabalhando ao lado do Criador e Mantenedor do universo, não temos como falhar, Ele nunca falhou, Sua Obra restauradora será concluída a contento, com ou sem a nossa participação, mas como será maravilhoso participar dessa grandiosa tarefa! Você pertence ao time dEle? Então dê o melhor de si.

Gelson De Almeida Jr.Dê o melhor de si
leia mais

Deposite seu Fardo

É conhecida a história do carroceiro que vê uma idosa caminhando pela estrada, carregando um pesado saco às costas. Ele para e pergunta-lhe se quer carona. Com os olhos brilhando de alegria ela aceita, uma coisa, porém, intriga o homem, a mulher continua com o saco às costas. Ele lhe diz para que o coloque num dos cantos da carroça, mas ouve da mulher:

– Moço, o senhor já está me ajudando tanto me dando carona, imagina se vou abusar de sua bondade? Deixe que eu mesma levo o saco.

Por mais absurda que pareça a atitude da mulher, infelizmente, é a atitude de muitos quando vão a Deus. Arqueados sob o fardo do pecado e de suas consequências, juntam todas as suas forças e vão até o Eterno, lá chegando, porém, ao invés de depositar aos Seus pés todo o fardo de sua vida, apenas se contentam em ali permanecer. Estão aos pés do Salvador, mas ainda presos ao fardo do pecado.

mulher carregando fardoQuando Cristo fala “Vinde a mim os cansados e sobrecarregados” (Mateus 11:28), isto é muito mais que um convite para ir até Ele, é um convite para irmos até Ele e depositarmos todo o fardo de nossa vida aos Seus pés. Após morrer por nós Seu maior desejo é o dar-nos alívio de todo o fardo de nossa vida.

Sendo um Deus de amor, nos ama incondicionalmente, deste modo, não há nada que possamos fazer para que deixe de nos amar e, nos amando tanto, quer aliviar toda a nossa dor e sofrimento. Portanto, o fardo está pesado, a dor é grande, as dúvidas e incertezas o assolam? Vá até Ele, deixe que Ele o tome em Seus braços de amor e carregue o seu fardo.

Gelson De Almeida Jr.Deposite seu Fardo
leia mais

Desfecho (in)esperado

A vida por vezes envergonha os roteiristas e escritores por sua criatividade superior. Ela inventa desfechos inusitados para as tramas.

Quando eu visitei pela primeira vez o Zoológico de São Paulo, com, sei lá, oito ou nove anos, o primeiro animal visitado (ficava, não sei se ainda fica, no primeiro espaço à esquerda do portão principal) foi um bichinho simpático parecido com uma lontra chamado ariranha. Foi olhando para as ariranhas que minha mãe me contou a incrível história acontecida talvez meses antes em Brasília, do garoto que caiu no poço das ariranhas. “Não se engane”, ela advertiu olhando com aquele olhar de quem conta uma história de terror à beira de uma fogueira de acampamento, fazendo meus pelos e do meu irmão se arrepiarem todos, “a ariranha é um animal mortífero.” Ela disse que um militar aposentado que presenciou a cena prontamente se jogou para dentro da jaula, lançou o menino para fora mas levou tantas mordidas das ariranhas que não resistiu e morreu.
ariranha-pte-bra-8932-peq
Eu instintivamente recuei um pouco para dar um novo olhar às ariranhas mais de longe um pouco.
Você calcula o impacto de uma tal história de heroísmo na cabeça de uma criança de oito anos. Aquele homem não pestanejou nem hesitou e deu sua vida pela de um completo estranho. Uau!
Mas a vida, amigos, é criativa. E tem uma criatividade meio à la George R. R. Martin, ou seja, cruel. No último dia 24/06 aquele menino, salvo por um estranho, retornou aos noticiários. Ele viveu e cresceu para se tornar o respeitável senhor Adilson Florêncio da Costa, ninguém menos que o diretor do Postalis, o poderoso e multimilionário fundo de pensão dos funcionários dos Correios. E o nome do sr. Adilson apareceu porque ele foi preso na Operação Recomeço da Polícia Federal, acusado de desvios gigantescos.
Mutatis mutandis, é como se o soldado Ryan, a quem o personagem de Tom Hanks morre dizendo “faça valer a pena!”, voltasse para os Estados Unidos depois da guerra e se tornasse um gângster, um estuprador, um pedófilo ou qualquer coisa do gênero.
Oh, sim, eu fico indignado. Mas só até chegar à frente do espelho, quando não consigo evitar a pesada pergunta: será que eu estou fazendo diferente? Afinal de contas, um estranho, Alguém que não precisava se colocar na linha de tiro, Se jogou, há dois mil anos atrás, na jaula onde eu seria devorado e Se deixou devorar no meu lugar.
A vida é muito criativa. Só que está nas minhas mãos dar um final mais clichê a essa trama. Um final no qual o gesto de heroísmo recebe o devido sinal de gratidão e amor. Um final no qual minha aceitação de Seu gesto o faça ter valido a pena. É por isso que hoje oro.
Marco Aurélio BrasilDesfecho (in)esperado
leia mais

Perseverança

“Mas aquele que perseverar até o fim, esse será salvo”. (Mateus 24:13)


shigemi hirataDias atrás, Shigemi Hirata (foto ao lado), que já era muito conhecido e admirado onde mora (Japão), foi apresentado ao mundo, tornou-se, segundo o Guiness, o homem mais velho do mundo a conseguir um diploma universitário. Logo após se aposentar decidiu voltar aos estudos e, aos 96 anos de idade, conseguiu sua graduação em ceramismo. Ele afirma que, “ Aprender é divertido em qualquer idade”.

Caso tivesse desistido diante do primeiro percalço ou tivesse ouvido o “conselho” de várias pessoas, não teria concluído seus estudos, mas ele não deu ouvidos ao que diziam, nem se importou com as dificuldades próprias da idade, perseguiu seu alvo e conseguiu ser diplomado. Seu alvo era um diploma universitário, qual é o seu?

Em sua carta aos filipenses o apóstolo Paulo escreveu que concentrava todas as suas energias numa única coisa, esquecer o passado e aguardar esperançoso aquilo que estava à sua frente. Usando a metáfora da corrida, dizia que correria até o fim, onde esperava receber o prêmio das mãos do Eterno (3:13-14). Seu alvo era a salvação em Cristo Jesus.

O exemplo de Hirata mostra que o segredo para alcançar o que se quer é nunca desistir. Tendo como objetivo supremo a salvação, Paulo lutou contra toda a sorte de desejos carnais, provações e inimigos sem nunca desistir. Perto de sua morte disse que a luta havia acabado, mas que a vitória tinha sido alcançada, sabia que sua coroa estava guardada nas mãos do Pai (II Timóteo 4:8).

Talvez você esteja cansado de esperar ou lutar por algo que parece que nunca vai chegar. Talvez, na jornada cristã, esteja prestes a desistir, por achar que não vai chegar lá. Não desista, faça o seu melhor e o Eterno lhe dará a vitória. Sonhar, lutar e não desanimar, eis o segredo da vitória.

Gelson De Almeida Jr.Perseverança
leia mais

Isto sim é confiança

Vem de Tahuape, Nova Zelândia a história da jovem que, numa manhã fria, cinzenta e chuvosa se dirigia apressadamente para pegar o ônibus, se o perdesse chegaria atrasada no trabalho. Eis que um desconhecido dela se aproximou pedindo dinheiro para comer algo, num impulso de muita bondade ela parou, apontou para sua casa e disse:

– Moro naquela casa que se vê lá. No refrigerador está o que sobrou de um leitão assado com batatas. Aqui está a chave. Vá e coma. Quando sair, deixe a chave debaixo do tapete, no corredor da entrada”.

Durante o percurso de ônibus uma ideia a assolou: “Não havia mulher mais estúpida no mundo”, mas deixou esses pensamentos de lado com a convicção de que as pessoas reagem de forma nobre diante de atos de confiança.

Apreensiva chegou em casa, a chave estava debaixo do tapete. Quando abriu a porta viu uma cena que nunca imaginara, tudo estava em seu devido lugar, com uma diferença apenas, a casa estava mais limpa que nunca, até as vidraças haviam sido lavadas. No refrigerador encontrou um bilhete, escrito em letras grosseiras o seguinte: “Prezada senhorita. Talvez você não consiga compreender nunca o bem tão grande que me fez. Faz alguns dias que sai da penitenciária. Estou livre sob palavra. Francamente, foram para mim muito duros estes dias. Porém você me deu o estímulo que me faltava. Um milhão de graças”.

confiançaFazendo uma analogia, poderíamos trocar os dois personagens da história pelo Pai e nós. Presos pelo pecado, estávamos condenados à perdição eterna, sem a menor esperança de salvação. Em todo o Universo apenas Ele confiou em nós e nos deu uma nova oportunidade. O Filho morreu em nosso lugar e nos fez acreditar que ainda existe esperança para nós, trocou nossa perdição pela salvação.

Quando estávamos perdidos Ele saiu a nos buscar, quando estávamos feridos nos curou, quando estávamos desamparados nos tomou em Seus braços de amor, quando estávamos mortos nos reviveu. Se podemos andar de cabeça erguida, se podemos sonhar com a salvação é porque Ele confia em nós e através da morte do Filho deu-nos a chave de Sua casa. Qual é a sua reposta a tão nobre gesto?

Gelson De Almeida Jr.Isto sim é confiança
leia mais

Religião Terceirizada

“ Estou tão sem tempo que estou passando algumas coisas para outros fazerem (sic). Até minha religião estou terceirizando. Semana passada, quando minha mãe saía para a igreja disse-lhe: Mãe, quando você estiver na igreja faça umas orações por mim, que eu estou sem tempo de ir”.


 

A frase acima, dita por uma jovem na casa dos 35 anos, seguida de risadas suas de vários amigos, foi tirada de uma postagem numa conhecida rede de comunicação, muitos acharam sua ideia tão brilhante que disseram que fariam o mesmo.

Terceirização é um termo, normalmente utilizado nas relações entre empresas, geralmente a maior, transfere para a outra algumas de suas atividades, consideradas não essenciais, objetivando a redução de estrutura operacional, a diminuição de custos e a desburocratização administrativa.

Confesso que quando li a frase acima e vi o riso e as piadas feitas, fiquei chocado, mas, depois, pensando melhor no assunto, percebi que este tipo de “terceirização” ocorre com muito mais frequência que se imagina.

Quantas vezes, diante de um problema terrível, alegando falta de tempo ou pensando em nossa pouca convivência com o Eterno, pedimos a alguém que orasse por nós, ou por algum desejo que quiséssemos ver satisfeito. Isso não é errado, de modo algum, mas pergunto, o que lhe impede de falar diretamente com o Doador da vida e toda a boa dádiva (Tiago 1:17)? Quando foi a última vez que você foi frequente e assíduo na Casa do Pai?

Quando o Eterno viu a separação que nossas ofensas causaram entre Ele e nós (Isaías 59:2), não pensou duas vezes, veio em pessoa pagar o preço de nossos delitos, morreu a nossa morte e nos deixou a Sua vida eterna (Romanos 6:23).

cruz para o CeuO Eterno não terceirizou nossa salvação, porque então terceirizar nossa relação com Ele? Quando você mais precisava Ele veio, mas espera uma resposta de amor, de entrega e comunhão de sua parte. A salvação é individual, ninguém conseguirá obtê-la através da obediência de outro. Ele mesmo afirma ser um caminho diário e individual (Lucas 9:23). Aqueles que terceirizarem sua relação com o Eterno em breve verão o tamanho de seu erro. Você o ama, deseja que Ele seja o primeiro, o melhor e o último em sua vida? Busque-o com inteireza de pensamento e propósito, pois Ele é galardoador dos que o buscam (Hebreus  11:6).

Gelson De Almeida Jr.Religião Terceirizada
leia mais

Para você, fez diferença?

estrela do mar na mãoGosto da ilustração do homem que, ao caminhar pela praia, viu um garoto que se abaixava, pegava estrelas do mar e as atirava na água. Intrigado perguntou ao menino porque fazia aquilo e o garoto respondeu que as colocava de volta na água para que não morressem na praia. Do alto de toda a sua sabedoria e petulância o homem disse: “São muitas, você jamais conseguirá colocar todas de volta na água, e salvar meia dúzia não fará diferença alguma”. Mostrando a mão cheia de estrelas do mar o garoto disse ao homem: “Para essas aqui fará muita diferença” e jogou-as ao mar.

Quando o pecado entrou em nosso planeta já estava preparado todo um Plano de Resgate da raça humana. No tempo determinado, o Pai enviou o Filho afim de dar a Sua vida para resgatar a raça humana (Gálatas 4:4 e 5). Fico a imaginar que, astuto como é, o inimigo de nossa alma sussurrou mais de uma vez nos ouvidos de Cristo para que desistisse de nós, afinal era um grupo muito grande de pecadores e muitos nem O aceitariam como Salvador, que Seu sacrifício seria em vão. Mas Ele não desistiu, continuou Sua árdua tarefa de resgate. Graças a isso, você e eu, pecadores como somos, temos direito à vida eterna (Romanos 6:23).

Não tenho a menor dúvida que, muito em breve, quando os salvos estiverem no Céu, o Filho olhará aquela imensa multidão, pensará em tudo o que passou quando aqui esteve e dirá ao Pai:

– Para esses fez toda a diferença.

Para muitos o sacrifício de Cristo fará diferença, e para você? Mostre que fez a diferença, aceite-O como o seu Salvador e Senhor de sua vida.

Gelson De Almeida Jr.Para você, fez diferença?
leia mais

A forca e a Cruz

Certo fazendeiro tinha um filho a quem muito amava, mas pesaroso via o filho não se preocupar com o futuro e gastar todo o tempo e o dinheiro que lhe caía nas mãos com festas e diversões. Pediu que lhe construíssem um pequeno celeiro. Assim que ficou pronto o idoso homem para lá se dirigia todas as tardes. Entrava sozinho e passava horas lá dentro. Pelo barulho vindo dava para perceber que ele construía alguma coisa. Ao anoitecer saía, trancava a porta e voltava para casa. Essa rotina se repetiu por semanas.

Certo dia o homem chama o filho e pede que o acompanhe para dentro do celeiro. Lá dentro o idoso homem mostra ao filho a sua obra, no meio do celeiro estava erguida uma forca. Aponta para ela, coloca as mãos no ombro do rapaz, e fala em tom solene:

– Filho, estou velho e, após a minha morte sei que tomará conta de tudo que é meu, sei que deixará a fazenda nas mãos dos empregados e continuará a gastar tudo com seus amigos. Venderá os animais e os bens para se sustentar e, quando acabar o dinheiro perderá todos os seus amigos. Não terá a quem recorrer e vai se arrepender de nunca ter me ouvido. Por isso construí essa forca para você. Quero que me prometa que, caso isto aconteça, você vai se enforcar nela. Rindo, o jovem prometeu ao pai que atenderia seu pedido.

O tempo passou, o homem morreu e tudo aconteceu como previra. O filho perdeu toda a riqueza, os amigos e, por fim, perdeu também a dignidade.O jovem, desesperado e refletindo sobre a sua vida, viu quão tolo havia sido. Lembrou-se de cada conselho do pai e em prantos dizia a si mesmo como sua vida teria sido diferente se tivesse seguido os conselhos do pai. Mas era tarde demais, não lhe restava outra alternativa a não ser cumprir a promessa de se enforcar no celeiro. Já que nunca atendera os pedidos do pai quando ele vivia, atenderia agora depois que ele morrera.

Dirigiu-se ao celeiro, subiu os degraus da forca e colocou a corda ao redor do pescoço. Pensando que tudo o que queria naquele instante era apenas mais uma chance, pulou. A corda apertou seu pescoço, mas o braço da forca era oco e se quebrou. Caiu ao chão e sobre ele caiu uma infinidade de joias de todo o tipo. Junto caiu também um bilhete onde reconheceu a letra do pai e nele estava escrito:

– Meu filho, essa é sua nova chance, aproveite-a. Eu o amo muito.

homem ao pé da cruzÉ muito comum criticarmos o filho da história, mas agimos de forma parecida. O amanhã não nos preocupa e a salvação é coisa de menor importância. Tudo é mais importante que os conselhos do Pai. Imaginamos que todos os Seus pedidos/avisos são coisas de um Alguém exagerado. Adão e Eva foram avisados do mal que os espreitava, mas fizeram o que acharam melhor, o resultado é sentido até os dias de hoje. Felizmente, para eles e para nós, o Pai, que sabe o fim desde o princípio, deixou tudo organizado, para que nosso destino final não fosse o pior. Não ergueu uma forca, “ergueu” uma cruz e nela pendurou Seu Filho, para que todo o que nEle cresse não perecesse, mas tivesse a vida eterna (João 3:16).

Portanto, não importa quão longe você tenha ido, importa que tudo o que precisava ser feito para que os efeitos dos seus erros não o alcançassem já foi feito. Esta é a sua nova oportunidade, sua nova chance. Vá até a cruz e viva.

Gelson De Almeida Jr.A forca e a Cruz
leia mais

Braços Abertos

“Jesus, lembra-te de mim, quando entrares no teu reino”. (Lucas 23:42)


As palavras acima são as únicas, que se tem conhecimento, proferidas pelo chamado bom ladrão a Cristo. Condenado à morte e pendurado numa cruz ao lado dEle, em seus últimos momentos de vida, olhou-O e viu o amor e perdão que nunca conhecera. Com lucidez e arrependimento, nunca apresentados antes, dirigiu-se ao Doador da vida e pediu um lugar em Seu Reino.

O ciclo de mudanças em sua vida finalmente estava completo, atingira o ápice possível a um ser humano. A vida de crimes terminou quando foi preso, mas sua vida errante só terminou na crucifixão ao lado de Cristo, seu “encontro” com o Salvador habilitou-o à vida eterna.

Recentemente, conversando com uma pessoa sobre a maravilha do amor divino, citei o episódio acima. Ela me disse que achava um absurdo esse homem, que dedicara sua vida ao crime, ser perdoado por apenas essa frase, esse pedido. Disse-lhe que o perdão viera não pelo pedido, mas pela sinceridade que o acompanhava.

O amor do Pai é assim, não conhece fronteiras ou limites, não se sujeita a convenções humanas de nenhum tipo, é perfeito, incomparável, indescritível e está à disposição de todos os que dele precisarem, o buscarem e o aceitarem.

homem braços abertosO Homem que passou a vida abrindo os braços aos seres mais abjetos e desprezados pela sociedade, que curara e restaurara toda a sorte de doentes, tanto os físicos como os sociais, morria, mas com os braços ainda abertos. Braços que nunca se fecharam em vida continuaram abertos na hora da morte. Esses mesmos braços estão abertos esperando por você. Não hesite, vá até Ele, feche o ciclo de sua vida e receba a salvação.

Gelson De Almeida Jr.Braços Abertos
leia mais

Corte a corda

corda cortadaGosto da ilustração do alpinista que resolveu escalar o pico mais alto de sua região, mas, desejoso que era de glória e reconhecimento pessoais, contrariando as regras mais básicas do alpinismo, fez a escalada sozinho. Na data escolhida iniciou a escalada. Quando a tarde chegou, e seria necessária uma pausa para acampar, foi que se deu conta de que não se preparara para isso. Resolveu continuar a escalada até o cume da montanha, mas a noite chegou rapidamente e ele não enxergava um palmo sequer à sua frente.

A poucos metros do cume seu pé resvala e ele desaba, caindo numa velocidade descomunal. Muito mais rápido que sua queda eram os pensamentos que passavam por sua mente. Quanta coisa fizera, mas quanto ainda queria fazer! Enquanto esses pensamentos povoavam sua mente sente um violento tranco, a corda se esticara toda e ele quase se partira em dois. Ficou preso no ar, os grampos que fixara e a corda impediram o desfecho trágico em sua queda. Em desespero grita:

– Oh meu Deus, me ajude.

– O que você quer de Mim, meu filho?

Em prantos ele pede para ser salvo.

A voz indaga: – Você acredita realmente que Eu posso lhe salvar?

– Sim Senhor, acredito.

– Então corte a corda que o mantém pendurado.

Após um silêncio devastador o homem se apegou mais fortemente à corda e não a soltou de modo algum.

Dias depois, foi encontrado congelado, morto, com as duas mãos segurando fortemente a corda, a apenas dois metros do chão.

O alpinista fez a escalada e deixou o Eterno de lado, mesmo assim, no momento de maior desespero, foi atendido. Disse que confiava, ouviu o que tinha que fazer, mas falhou na hora de mostrar confiança e obedecer. O resultado foi trágico, sua morte.

Acabamos de iniciar um novo ano. Infelizmente, virão as ocasiões em que você se verá em situação parecida com a do pobre alpinista. Não faça como ele que se apegou à corda e deixou de lado a voz de Deus. Ouça-O, e se Ele mandar cortar a corda faça-o sem pensar duas vezes, é uma questão de salvação.

Gelson De Almeida Jr.Corte a corda
leia mais