Publicações com Vida

# Mulher virtuosa

Ainda que mereçam homenagens em todos os dias do ano, nesta sexta foi comemorado no mundo inteiro o dia internacional da mulher. Mulheres casadas ou simplesmente as que entregam sua vida às causas humanitárias, religiosas e mesmo científicas, fazendo da humanidade a sua família, sejam elas quais forem, uma coisa é certa, elas merecem todo o respeito como ser humano que são, exclusivamente pelo notório e intrigante conjunto de delicadeza e força que apresentam em seu comportamento.

Os especialistas em convívio familiar comentam que os casais devem conhecer sobre as diferenças de comportamento entre homens e mulheres, objetivando o aperfeiçoamento e o equilíbrio da convivência. Considero-me um marido feliz, bem casado, e amo muito minha mulher, mas isso não termina aí, pois reconheço que ela precisa sentir o mesmo que eu, ainda que os padrões de comportamento e percepção sejam diferentes entre os gêneros.

As mulheres sempre foram importantes colunas de sustentação da vida em sociedade. Contudo, sabe-se que muitos levam em conta que os homens foram os personagens principais na história. Parece-me prematuro afirmar isso com tanta intensidade, pois gostaria de presenciar que tipo de autonomia nós, maridos teríamos sem que elas estivessem no controle da família.

É por isso que se diz que ambos se completam. E por isso o próprio Deus quando a criou, dizem as escrituras, a colocou diante do homem, e não atrás dele. (Gen.2:18). O certo é que as mulheres ao longo de milênios ao terem um contato mais íntimo com a família, com os filhos e com a própria administração da casa, obtiveram uma visão mais ampla do que representa esse contexto quanto ao verdadeiro significado da vida.

Elas têm maneiras de sentir o mundo que estão um pouco além do que o homem seja capaz de identificar ou entender. Há exceções, é óbvio. Contudo, as ocupações masculinas em geral, por estarem basicamente no plano da razão, tornam sua visão sensorial em relação à vida um pouco mais limitada. Com a simplicidade de um gesto de carinho, por exemplo, os homens muitas vezes não entendem que podem transformar e fazer toda a diferença em seu matrimônio.

As mulheres ao seu turno têm uma linguagem que nasce de uma percepção distinta, talvez por isso o salmista diga – quanto ao dia de amanhã, elas não têm preocupações – pois, ao tratar de sua família no dia de hoje, ela vislumbra mais do que a garantia do aspecto financeiro conseguido pelo marido, mas, a certeza de que a segurança de seus atos são firmes o bastante não só para que a família siga em harmonia, mas, sobretudo para agirem e se manterem em equilíbrio caso a adversidade venha a surgir.

Não à toa elas hoje se sobressaem em trabalhos que antes eram realizados apenas pelos homens, afinal, foram milênios de formação nos bastidores, muitas vezes caladas, mas, sobretudo analisando as situações da vida e chegando à conclusões equilibradas. Não à toa a bíblia registra mulheres maravilhosas, virtuosas, que fizeram a diferença.

Mulher virtuosa, quem a achará? O seu valor muito excede o de finas jóias. A força e a dignidade são os seus vestidos, e, quanto ao dia de amanhã, não tem preocupações. Fala com sabedoria, e a instrução da bondade está na sua língua. Atende ao bom andamento da sua casa e não come o pão da preguiça. (Provérbios 31:10-31)

Shabbat Shalom!

Sadi – Peregrino da Palavra

Sady Folch# Mulher virtuosa
leia mais

# Gepetos e seus desejos…

Esta semana o jornal nacional noticiou uma experiência em que ratos puderam receber sinais eletrônicos do cérebro de outro rato, e assim entendendo os comandos executados por um deles, o outro realizava a mesma ação, tendo uma performance de mais de 70% de acerto. Afirma o cientista que no futuro a comunicação de cérebro para cérebro será uma realidade. Não se trata de ler os pensamentos dos outros, mas de enviar e receber os pensamentos. Dizem que será o futuro da internet nas futuras décadas…hã hãm…

Cientistas, sempre os cientistas. Outros desses estudiosos há poucos dias exumaram os restos mortais do imperador Dom Pedro I para que um programa de computador recrie os traços físicos quando da época em que era vivo, e em seguida, também mediante outra tecnologia, possam inclusive reproduzir a sua verdadeira voz, e com isso criarão um holograma para que sua majestade recepcione os visitantes que adentrarem ao museu do Ipiranga.

Animais são clonados ao redor do planeta a todo instante. E como esse caminho já foi interrompido, o passo para clonar humanos é uma questão de encontrar a justificativa perfeita diante de um estado de necessidade. É impressionante o número de pessoas que passou a viver a vida de forma distorcida apenas por conta da tecnologia. Basta ver os milhares de fãs japoneses enlouquecidos pela cantora virtual, Hatsune Miku. A empresa que criou a imagem que interage no palco como se fosse artista de carne e osso, não revela que tecnologia usou para criá-la. E não é um holograma.

Diante de tantos meios tecnológicos inimagináveis até há pouco tempo, não seria surpresa se aquele que deseja ser adorado como Deus, de alguns deles lançasse mão para enganar até mesmo os escolhidos, quando o tempo predito pelas escrituras chegar.

Fico pensando qual será a cara dessa gente que se recusa a acreditar na existência de Deus, quando puderem ver com seus próprios olhos Jesus surgir nos céus. Será a única vez em que todo homem terá a possibilidade de se certificar quem de fato sabe o que seja criar tecnologia para a vida. Para muitos desses homens será uma pena, pois o que lhes restará será amaldiçoar os dias em que se encantavam e acreditavam apenas nas coisas passageiras, para não dizer fantasiosas.

Shabbat Shalom !

 Ṣadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Gepetos e seus desejos…
leia mais

# Uma Vida com Sentido

Aproveito a deixa do pastor sobre a necessidade dos pais, membros da igreja adventista, em proporcionarem aos seus filhos a oportunidade de participarem do Clube dos Desbravadores, para mencionar algumas ideias sobre saúde e alimentação. O Clube dos desbravadores é uma perfeita extensão da boa formação que já acontece na igreja, pois reitera não apenas os princípios cristãos ensinados nos cultos e em casa, mas também ao desenvolver suas atividades, ensina-os o convívio em grupo e o respeito a ele inerente, sem dizer que esclarece desde cedo as benesses dos princípios de saúde às nossas crianças, adultos que serão daqui a quinze, vinte anos.

É como diz a passagem bíblica. “Ensina a criança o bom caminho que deve andar, e mesmo quando for velho não se desviará dele” (Prov.22:6). Há um documentário na internet chamado “muito além do peso”. Nele se retrata os hábitos alimentares das crianças brasileiras. É bastante esclarecedor; para não dizer aterrorizante. E de fato esta é a palavra mais certa que resume o quadro vivido pela geração que irá renovar a sociedade com novas famílias e novos profissionais daqui a dezoito, vinte anos.

Entre as crianças entrevistadas em meio ao panorama do recreio, todas sem exceção comiam uma sacola de biscoitos ou bolos processados, acompanhados de achocolatados ou sucos de caixinha. E segundo elas mesmas, seria uma vergonha comer uma fruta na hora do recreio, pois seriam diferentes de todos à sua volta, e criança nenhuma quer passar por isso. Nem preciso dizer que as mais obesas sentem-se cansadas na hora da educação física.

O resultado parcial disso, enganoso em todo o contexto, é uma população adulta convencida pelos alimentos industrializados. O resultado são crianças cansadas ao mínimo esforço que façam. Moral da história acaba na preferência de dez em dez crianças do mundo, por ficarem 5 horas em frente da televisão. Apertar um botão em jogos eletrônicos em um quarto fechado, acompanhado de um saco de batatas fritas e refrigerante parece ser o paraíso de muitas delas.

Enfim, é a sociedade em que vivemos, e estamos no mundo, mas lembremos sempre, não somos do mundo, e podemos e devemos nos transformar, e aos nossos filhos, pela renovação de nossa mente, para conhecermos qual a boa, perfeita e agradável vontade de Deus.

Princípios de saúde adventistas tais como – ar puro; luz solar; descanso; exercício físico; ingestão de água e alimentação apropriada são práticas que todos devem buscar para estarem bem física e espiritualmente. E são estas algumas das práticas ensinadas às crianças no Clube dos Desbravadores.

Por isso, pais, vocês que têm filhos pequenos, não deixem de seguir o bom exemplo dos pastores da Nova Semente, e neste domingo, assim como no próximo, às 9 da manhã, se dirijam à sede da Central Paulistana na Rua Taguá, no bairro da Liberdade, e conheçam mais sobre o que seus filhos poderão aprender no Clube dos Desbravadores para se tornarem adultos saudáveis, e assim não terem que um dia darem a resposta que deu uma das crianças entrevistadas no documentário acima mencionado.

Ao ser questionada se lhe faltava alguma coisa em sua vida, a criança de dez, onze anos, pertencente à classe média, com um saco de biscoitos na mão, respondeu: Falta sentido!

Shalom Aleichem!

 adi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Uma Vida com Sentido
leia mais

#vida no campo

É agitável morar no campo…pensei que não diria isso, mas sempre está acontecendo alguma coisa aqui. Por exemplo, enquanto estou sentado aqui no iPad, escrevendo, tudo é silencio, a noite esta escura e no céu muitas estrelas e um pássaro corta o céu ainda cantando.
Olha pela janela e fica só escutando, os sons do campo, do outro lado da rua. Grilos, um cachorro teimoso, pássaros e um vento silencioso.
E tudo acontecendo numa noite de luar, as o sol mal se pôs no horizonte e ainda é claro. Os pássaros começaram cedo esta noite, penso. Por que será? Ainda há muitos segredos a serem descoberto nesta minha vida no campo…
Em meus primeiros anos seis anos de vida, antes de ter mais um irmão, sempre íamos para o campo na casa de meus tios, até não havia passado pelas experiências que ocorrem naturalmente na vida rural, mas havia visto animais na televisão, claro!
Anos depois, volto para o campo! Mas vejam, tomemos por exemplo o gato. Antes o que conhecia do luar, dos pássaros, do silencio estavam baseados em gravuras, em programas da National Geografic. Hoje, olha pela janela e vejo animais que nem sei o nome, ouço sons que nem posso descrever, afinal esse silencio do campo é indescritivo, mesmo. E chama minha esposa, e pergunto: “Amor, olhe! que bicho é esse?”.
Mesmo que tudo pareça igual aos lugares rurais que vivi na infância, ou assisti zapiando na tv, e presença de pássaro a meia noite no meu pátio, aqui isso é normal…
Pensando nisso, vejo que seria maravilhoso se sempre tivéssemos o senso de admiração e aventura que surge quando se vê alguma coisa selvagem e rural pela primeira vez. Os animais aqui em casa estão se regozijando nessa noite. Obrigado, Senhor por me dar essas aventuras…
“Ruja o mar e todas as criaturas que nele vivem. Alegrem-se os campos e tudo o que há neles.”
I Crônicas 16:32

Adriano Vargas#vida no campo
leia mais

#Natal e o propósito da vida

Acordei, hoje e percebi que é Natal. Impregnado da sensação de que a saga humana tem um andar de cima. E um andar de baixo. Pensei, nesse 2012, e qualquer pessoa que se sinta à vontade neste mundo, tal como se apresenta agora, não o percebeu adequadamente. Quem convive passivamente com as causas aparentemente aleatórias que distinguem felizes de infelizes, no mínimo ainda não teve coragem de levantar a cortina para ver o que se passa do outro lado do mundo visível.

Sempre desconfiei que, por trás da trama humana no mundo visível, há fatores determinantes no mundo invisível. “Crescer e multiplicar” não resume satisfatoriamente a razão pela qual existo. Considero até blasfemo aquele que chama de vida apenas a sucessão de atividades inerentes à sobrevivência: comer, beber, dormir, procriar, trabalhar e ter prazer eventual (digo isso mesmo com essa resseca pós-ceia)….

O mundo cor–de–rosa não durou muito este ano, né!!! Já nos primeiros dias, convivemos com as mais diversas histórias de mazelas pessoais e familiares. E acreditar em Papai Noel, no fim do ano, fica cada vez mais difícil. Mas o evangelho de Cristo não é baseado numa fantasia, o cristianismo fala de outro lugar, de outro estado de ser, de outra possibilidade de relação com Deus, o Criador amoroso que não desistiu de sua criação.

Hoje entendo quando Deus me olha nos olhos e sussurra repetidas vezes: “Com amor eterno eu te amei… com benignidade te atraí” (Jeremias 31:3, ARA). Esse amor eterno é a única explicação para que eu tenha sido preservado em meio a tantas idas e vindas. Minha peregrinação teve início na eternidade. Desde então, quando oficializei minha entrada nos horizontes do corpo místico de Cristo, passei a ser acompanhado por uma nuvem do céu: anjos, amigos, mentores e irmãos. Uma nuvem do céu que, depois de longa caminhada e de muita poeira nos pés e na alma, fez–me assentar à mesa em família na noite passada com minha mulher e meus amigos – a ante–sala do céu, o paraíso numa Terra marcada pelo caos.

As perguntas que sempre povoaram meus recônditos mais íntimos encontraram calmaria em Cristo, o verdadeiro NATAL. Com Cristo aprendi que viver é peregrinar. Uma peregrinação visível cheia de interações invisíveis. Viver é transitar entre um lugar e outro, um estado de ser e outro, uma condição humana e outra, um mundo e outro. E foi por isso, quem sabe, não me adaptei até hoje. Pois continuo peregrino. Não sinto que cheguei. Nossa vida é uma história de estar a caminho, e justamente assim, ou por isso mesmo, enxergo a experiência espiritual como uma peregrinação. Vejo a existência humana como uma peregrinação rumo às verdadeiras dimensões da vida. Uma peregrinação em companhia de pares que nos são acrescentados ao longo da trilha. Ninguém peregrina sozinho. Caminha, inclusive, ao lado de companheiros invisíveis aos olhos humanos. Quanto maior a capacidade de discernir e de escolher companhias, maior a possibilidade de êxito do peregrino.

O cristão é um peregrino que caminha em comunhão. O cristianismo é a trilha da intimidade com Deus e com o próximo. Cristianismo é conexão, é viver uma experiência real. A vida faz sentido quando conseguimos extrair o sentido de cada momento, cada NATAL, cada dia. O sentido da vida está em viver. Mas não um viver qualquer. Um viver qualquer é mera existência, suceder de dias. Há um jeito de viver, e esse jeito de viver está embutido em cada ser humano. Assim, espero encontrar a felicidade ali e além, mas também aqui e agora…#FelizNatal

Adriano Vargas#Natal e o propósito da vida
leia mais

#Regras da masculinidade

Eu gosto de listas, elas sempre me ajudam a organizar meus pensamentos, aqui faz um tempinho que não coloco uma (última foi no meu primeiro post, em 04 de Junho – Simples coisas da Incríveis da vida). Mas hoje vai mais uma…Os tempos mudam, algumas coisas permanecem as mesmas, outras já desaparecem etc. Hoje num tempo de tantos debates sobre gênero sempre vai aparecer um ogro querendo ditar um código de conduta que mostre sua masculinidade brucutu… É claro que pelo principio bíblico sabemos muito bem “o que é ser homem aos olhos de nosso Criador“. Nesta última semana tivemos como Comunidade uma grande oportunidade de rever tais conceitos de uma forma intrigante e irreverente através da Guerra dos Sexos (Semana de palestras sobre sexualidade em Cantares). Mas penso que nós não precisamos estar toda hora provando masculinidade, caras de boa com sua personalidade NÃO são obrigados a … encher a cara para curtir a vida loca
… casar
… ser infiéis
… entender de bebidas
… tomar a iniciativa sempre
… falar na gíria
… pular carnaval na Bahia, no Rio ou qualquer lugar
… ter filhos
… gostar de futebol
… dizer “eu te amo” a todo momento
… usar drogas
… ter Facebook
… não acreditar em Deus
… ser alegre o tempo inteiro
… gostar de praia
… entrar na briga
… odiar a sogra
… saber fazer churrasco
… ter tatuagem
… ficar se justificando por tudo e toda hora
… gostar de luta
E a lista continua
Vigiai, estai firmes na fé; portai-vos varonilmente, e fortalecei-vos. Todas as vossas coisas sejam feitas com amor.” (1 Coríntios 16:13-14)
Adriano Vargas#Regras da masculinidade
leia mais

#O que é o amor? #GuerradosSexos

Não se preocupe com o que aconteceu no passado, pense e reinvente seu futuro… não é algo tão sentimental, embora isso não seja um defeito…estou no ritmo do tema de nossas reuniões “Guerra dos Sexos..”. Mas vamos encarar os sentimentos em outro plano, mais racional.

É natural sentir, mas é vital saber. E na guerra do sentir versus saber, o que eu sei pode anular o que eu sinto. Digo que pode não que seja simples ou que haja fórmula mágica. Acredito no poder da escolha, eu escolhi acreditar no amor.

É certo que sentimentos são bonitos, colorem a vida. Mas eles só se encaixam nas molduras que nós lhes damos.

Sentimentos são como crianças. Não sabem direito quem são. Só sabem que sentem. Nascem pequenos, mas crescem, e ganham a força que lhes damos. Dependem de nós… Só invadem o espaço que lhes permitimos ter. Sentimentos são regidos por escolhas, por isso traçam destinos, escolhem fins e finais. Sentimentos somos nós escolhendo como viver. Sentimentos que decidem que desistem que resistem que permitem que outros – sentimentos – vençam.

Se preparem… vai ai então…os devaneios que tenho é que o amor vem com o tempo, vence com o tempo, quando os erros dão à luz seus acertos. Amor é uma escolha sentida e sabida. É a soma de sentimentos escolhidos – a dedo e sem medo. É escolher o que faz sentir bem o outro. O amor prefere esquecer quem é. Não sabe bem o que vem, mas sabe bem o que quer. Muitas vezes – e quase todas – desconhece os ‘porquês’, pois está além das explicações… o amor vence o tempo, a distância, o cansaço e os outros sentimentos.

“O amor jamais acaba” I Cor. 13:8, ainda que mude sua direção.

O amor não se inventa, não se diz não se pede, não se compara, não se aprisiona. Amor é uma pessoa, uma ação, um tempo, um fim. Em uns, é uma palavra, em outros, a própria vida. E o melhor de tudo: amor é uma força que produz amor

 

Adriano Vargas#O que é o amor? #GuerradosSexos
leia mais

Quem precisa de Halloween?

Abóboras, bruxa, gato preto, morcegos, vampiro são alguns símbolos utilizados nesta semana para enfeitar as famosas festas de Halloween. Uma festa que teve origem no Hemisfério Norte e tem fincado raízes cada vez mais fortes em nosso país. Uma festa que muitos acham sem maldade, mas que traz, em sua origem, uma mensagem negativa e anti cristã muito grande, pois, em sua essência, nada mais é que uma comemoração aos mortos e ao inimigo de nossa alma. Por que participar de uma comemoração aos mortos quando podemos celebrar a vida?

Quando aqui esteve, Cristo afirmou que um de Seus propósitos principais era o de nos conceder vida, e vida abundante (João 10:10). Cada gesto, cada palavra, cada olhar,cada atitude Sua mostrava que as pessoas sempre poderiam esperar algo de muito bom vindo de Sua parte. Participou de festas, banquetes, cultos, mas onde mais era encontrado era junto aos aflitos e oprimidos pelos efeitos do pecado. Ninguém que dele se aproximou, precisando de auxílio, saiu sem ser atendido. Assim era Cristo, o Doador da vida.

Hoje muitos estão fazendo preparativos para uma festa que, nem em sua essência, tem a ver com a vida, daqui a dois dias milhões irão a um cemitério chorar um morto. Ao ressuscitar Cristo mostrou que tinha poder até sobre sobre a morte. Temos apenas duas escolhas, ficar ao lado daqueles que na dor ou, até mesmo em uma festa, valorizam a morte ou ao lado dAquele que tem vida em si mesmo. Escolha, mas escolha certo para ter a vida.

Gelson De Almeida Jr.Quem precisa de Halloween?
leia mais

Escolhas

Alan J. Pakula, em seu filme “A escolha de Sofia” (1982), retrata o drama de uma mãe polonesa, presa num campo de concentração, durante a Segunda Guerra Mundial, ao ouvir que deve escolher um dos seus dois filhos para morrer, se não escolhesse nenhum os dois seriam mortos. Que situação desesperadora!

Há muito, um pai passou por situação parecida, pois dois filhos teriam que pagar com a vida a sua desobediência. Ele tinha duas escolhas, deixar que tivessem uma vida miserável e, finalmente, pagassem o preço maior que seria a morte ou enviar para a morte outro filho, que nada fizera de errado. Decisão difícil para qualquer um de nós, mas não para este pai, que, por amor aos desobedientes, decidiu enviar para o castigo o filho inocente. Uma grande prova de amor deste pai e do filho que se ofereceu para salvar os irmãos.

Você deve ter identificado que o pai é o Eterno e o filho é Cristo. Graças a Sua escolha você e eu temos o direito à vida, não à morte que é o castigo para os transgressores. Mas esta escolha não o livra definitivamente do castigo, pois, diariamente você tem que fazer escolhas, são elas que mostrarão se você aceita ou não este maravilhoso presente do Pai. Escolha corretamente, pois vitória e a vida são para os fizerem a escolha correta.

Gelson De Almeida Jr.Escolhas
leia mais

Dia dos vivos

Hoje grande parte da cristandade se dedica a fazer preces pelos que morreram e colocar algum tipo de oferenda em seu túmulo. Tenho uma amiga que comemora o seu aniversário neste dia e nem sei dizer o quanto brinquei ao lhe dar os parabéns, pois, por mais que tentemos tornar este dia igual a outro, parece estranho fazer uma festa de aniversário neste dia. E é justamente sobre isto que quero refletir.

Ainda garoto, ouvi um conhecido radialista dizer que este dia realmente deveria ser especial, mas que ao invés de “reverenciarmos os mortos, deveríamos preservar os vivos”. Quanto mais penso nesta frase, mais concluo que é uma grande verdade. Pouco antes de ressuscitar um homem, Cristo disse que os que nele cressem, mesmo que morressem, ressuscitariam (João 11:25). Ele comparou a morte ao sono (João 11:11), pois ela nada mais é que um período de repouso para todos aqueles que, crendo no Eterno, descansam de suas obras.

Portanto, ao invés de lamentar os que se foram, faça duas coisas, coloque a sua vida em ordem, fazendo o seu melhor para estar em paz com Deus e com os homens e procure levar o maior número de pessoas à mesma decisão, para que, mesmo que a experiência da morte os alcance, não passe de um breve período de repouso. Viva o dia de hoje, e todos os outros em abundância, mas, acima de tudo, viva-os intensamente com o Doador da vida, Cristo.

Gelson De Almeida Jr.Dia dos vivos
leia mais