Últimas Publicações

Viva a Vida

“Viver é a coisa mais rara do mundo, já que a maioria das pessoas se limita a sobreviver” dizia Oscar Wilde com sua habitual espirituosidade. Eis aí uma grande verdade, embora o conceito que ele tinha de “viver” não tenha nada a ver com a ideia que eu faço do assunto.

Na verdade, não é apenas quanto ao que seja vida que os conceitos das pessoas diferem brutalmente. Poderia dizer o mesmo dum monte de coisas, como liberdade, por exemplo. Ora, a despeito de Jesus ser uma pessoa universalmente admirada, Seus conceitos a respeito dessas coisas não gozam de muita popularidade. Quer ver? Por mais que Ele diga: “conhecereis a verdade e a verdade vos libertará” (João 8:32), atrelando, pois, a ideia de liberdade ao conhecimento da verdade, o mundo idolatra a liberdade do “é proibido proibir”, do “faça o que tu queres pois é tudo da lei”, do “cada um cada um”. A despeito de a Bíblia afirmar que devemos proceder como quem será julgado pela “lei da liberdade”, qualquer lei nos cheira a cerceamento da dita cuja. E por mais que Jesus Cristo diga, continuando o texto supra citado “Eu sou o caminho, a verdade e a vida…, viver de fato para a esmagadora maioria das pessoas não envolve a pessoa dEle necessariamente, ou envolve mas muito distantemente, muito perifericamente. Viver seria sexo livre em profusão, ou dinheiro a rodo, ou poder, ou fama ou todas as alternativas ao mesmo tempo. Não Cristo, isso não. Isso não se parece com vida!

Picture 055

Na contramão e sorrindo

Imagina só se o cidadão que pasta pra levar o pão nosso de cada dia pra mesa da família, espremido nos ônibus da vida, imagina só se esse cabra está, de fato, vivendo. Nunca! Impossível!

Como fez com o conceito de pecado (Mateus 5), contudo, Cristo mostra que vida e liberdade são coisas que se encontram muito abaixo da epiderme, atrás da testa, algo nada superficial mas interiorizado, não tão aparente. Logo, o cidadão mencionado acima pode muito bem ter vida, e vida em abundância e o observador desatento não o sabe!

Oras, cada um pensa conforme o que vê e ouve, conforme as experiências de vida que teve. Falta a algumas pessoas a evidência em contrário, a evidência de que vida pode ser algo diferente, porque os que conhecem a vida e a liberdade não se orgulham dela.

Jesus deu Sua última ordem aos que O seguem: “ide e pregai o evangelho“. Ele queria, portanto, que cada um de nós fosse, saísse do lugar. Não disse: convidem para que as pessoas venham à igreja ouvir o evangelho! É preciso a evidência pulsando ao lado de cada um para que ninguém tenha a desculpa de não saber o que realmente seja ter vida em abundância, o que realmente significa ser livre!

É preciso que você viva a liberdade e a vida aonde as pessoas que alimentam outras ideias a respeito dessas coisas estão. Quem jamais abriu a Bíblia precisa ler seus princípios fundamentais no seu sorriso, na sua prestatividade, no seu desprendimento, na sua não-cobiça, não-orgulho, não-egoísmo. Nas suas atitudes e nas suas omissões eles precisam ver Cristo, ver a sua vida como uma carta viva dEle, explicando as coisas, colocando os pingos nos is.

Se você se sente remando na contramão por ter um conceito diferente da maioria sobre vida, liberdade e outras coisas mais, pense que isso é uma responsabilidade que Cristo lhe confiou e alegre-se! Nas coisas de Deus, grandes responsabilidades representam concomitantemente grandes, enormes alegrias!

Se você se sente remando junto com a corrente, contudo, abra os olhos e procure uma dessas cartas vivas e permita que Cristo expresse Suas idéias. O resultado disso, amigo, há de ser certamente VIDA e LIBERDADE.

Marco Aurélio BrasilViva a Vida

Artigos Relacionados