Últimas Publicações

Yom Kipur

Duas datas especiais foram comemoradas essa semana, o Dia da Compreensão Mundial (17 de setembro), criado pela ONU e o Yom Kipur, Dia do Perdão (18 de setembro), comemorado pelo povo judeu. As duas comemorações mostram que o melhor caminho para o entendimento entre as pessoas é o perdão.

Infelizmente praticamos o perdão temporário. Muito diferente do perdão vitalício, o perdão temporário é aquele onde não há o esquecimento do erro cometido pelo outro. Como é comum nos defrontarmos, anos a fio, com algum erro cometido! Quando nem nos lembramos mais do fato, do nada, surge alguém, geralmente do nosso convívio mais íntimo, e nos lembra que um dia, geralmente há muito tempo, cometemos um erro. Anos atrás, lendo sobre o perdão, me deparei com a seguinte frase, dita por um terapeuta: “Deus sempre perdoa, os homens às vezes perdoam, a Natureza nunca perdoa”.

É triste ver que a grande maioria daqueles que se dizem seguidores de Cristo não está disposta a conceder aos outros o perdão que deseja para si, se esquecem que no Pai Nosso, a Oração Modelo, deixada por Ele, diz: “… perdoa-nos as nossas ofensas, tal como temos perdoado aqueles que nos ofenderam” (Mateus 6:12, BV). O que seria de nós se o Eterno nos perdoasse desse modo?

O Yom Kipur é comemorado, no calendário judaico, na mesma data em que o antigo Israel comemorava o Dia da Expiação, era o dia em que todo o arraial do povo de Deus, inclusive o santuário, deveria ser limpo de todo e qualquer pecado. Torne hoje, e cada dia daqui para frente, o Dia do Perdão. Coloque sua vida em ordem diante do Pai e perdoe, por completo, todos os que lhe causaram algum mal.

Nunca mais me lembrarei dos seus pecados nem das suas maldades” (Hebreus 10:17, BV), essa é a promessa do Eterno a nós e que seja nossa prática diária com todos os que nos cercam.

Gelson De Almeida Jr.Yom Kipur

Artigos Relacionados