-

# A paz diante dos olhos

Yoram RaananUm amigo nestes dias me confessou ter vivido e conhecido o bastante para se convencer que definitivamente não há paz no mundo. Bom, não resta dúvida de que esteja certo, contudo, não creio precisar de muito tempo de vida para se chegar a essa certeza.

Convencido de que a única paz possível seja a que experimenta o coração consolado pelo Espírito Santo de Deus, ele concluiu que a paz no universo somente se efetivará quando o Eterno, bendito seja o Seu nome, acabar definitivamente com o causador de todo o mal.

Uma pergunta não se calou em mim desde que o ouvi: “Se alguém de fato experimenta a paz que vem de Deus, especialmente pela presença de Seu Espírito Santo, como deixaria de vivenciar a plenitude desta que é a paz que excede todo o entendimento?

Eu sei, ele afirma o conhecimento da paz pela experiência que mantém com o Espírito do Eterno, e porque o mundo não a tem, é que vive tamanho conflito.

Perfeito, contudo, ao lançar a pergunta acima, a faço porquanto meus pensamentos se desdobram movidos pela seguinte palavra pronunciada pelo Messias: “Não dizeis vós que ainda há quatro meses até que venha a ceifa? Eis que eu vos digo: Levantai os vossos olhos, e vede as terras, que já estão brancas para a ceifa”. (João 4:35)

Se movidos, portanto pelo Espírito Santo, que então possamos viver de maneira a nos despirmos do que os olhos veem, permitindo-nos única e definitivamente vivenciarmos a paz no mundo pelos olhos da fé, colhendo-a dos campos onde muitos acreditam não estarem prontos.

Como um peregrino da palavra, deixo-os com esta para a sua meditação. Caso encontrem nela alimento para o espírito, que possam, sobretudo semeá-la em nome da paz. E que o Espírito de Deus revele a cada coração transformado a maneira como isso seja de fato a realidade proposta, sobretudo como novidade de vida que convém vivermos.

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# A paz diante dos olhos

Artigos Relacionados