-

# Acendedor de Lampiões

Conta uma história, que há muitas décadas, um rabino estava em uma cidade da Alemanha e um grupo de judeus piedosos, conhecidos por chassid, veio passar o Shabbat em sua companhia. Como era de seu costume, o rabino orou durante algumas horas, e depois passou à mesa de refeição. Neste momento, um dos presentes lhe perguntou: “Rabi, o que é um chassid?” E ele respondeu: “É um acendedor de lampiões. Ele anda pelas ruas com um bastão munido de uma tocha e assim sai de rua em rua, acendendo as lamparinas. Contudo, ele sabe que a chama não lhe pertence, e, portanto, precisa ser distribuída”.

Eis que surgiu a segunda pergunta, dizendo: “Mas, e se o lampião estiver no deserto?”. Pelo que então, lhe respondeu o rabi: “Deve ir ao deserto e acender a lâmpada; e quando o fizer, a luz revelará a extrema aflição daquele local, trazendo-lhe vergonha”. E o visitante após pensar, afirmou ao rabi: “Eu não vejo as lamparinas”. Pelo que ouviu a seguinte conclusão: “Isto porque você não é um acendedor de lampiões”. E, continuou: “Para tanto, será preciso purificar-se, refinar-se, rejeitando o mal que há em você. Somente depois disso, poderá enxergar a lâmpada que há dentro das pessoas”.

Assim são aqueles que verdadeiramente recebem a Palavra do Eterno; rejeitam o mal e entregam-se a cumprir os mandamentos, tornando-se novas criaturas, sem escamas nos olhos que os impedem de enxergar. Yeshua explicou e esclareceu a Palavra durante o sermão da montanha, e aos que lhe ouviam, disse: “Vós sois a luz do mundo; não se acende uma candeia e se coloca debaixo do alqueire, mas no velador, e dará a luz a todos da casa”. E, continuou, dizendo: “Assim resplandeça a vossa luz diante dos homens, para que vejam as boas obras e glorifiquem ao Pai, que está nos céus”. (Mateus 5)

Mas, afinal, nós somos a luz do mundo? A resposta é positiva, se recebemos a fonte da luz. A Palavra do Eterno com todos os mandamentos. O próprio Messias; o verbo que no início separou a luz das trevas, e disse de sua missão: “Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida”. (João 8). Contudo, ainda que ele tenha resplandecido sobre as trevas, elas não o compreenderam, e assim, ouviram: “A luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz, pois suas obras eram más…e não vêm para a luz para que suas obras não sejam  reprovadas” (João 3).

Na história do acendedor de lampiões, o bastão que sustém a tocha é o Messias desde o início de tudo. A chama é a Palavra. A revelação de que precisamos da luz é o Espírito do Santo, e o Eterno, a fonte da luz. Nós, que à luz recebemos e nos deixamos transformar, somos os acendedores de lampiões. E os lampiões, toda a humanidade que precisa de luz em suas candeias, a fim de esperar a volta do Senhor e assim não lhes ocorrer a desolação, caso não estejam acessas, tal quais algumas das mulheres que esperavam o dono da casa, e por serem negligentes, saíram para buscar o azeite que deixaram faltar à lamparina, e quando voltaram, encontraram a porta fechada, e o Senhor a dizer que não as conhecia e, por isso, não as deixaria entrar.

Que a luz do mundo esteja em nós, para que sejamos um com ele.

Shalom Aleichem!

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Acendedor de Lampiões

Artigos Relacionados