-

Aqui se faz, aqui se paga

Filmes americanos são universalmente populares. Além das boas atuações, das produções incomparáveis, dos efeitos especiais e dos ótimos diretores, há uma outra razão para isso: os roteiros. Os roteiristas americanos aprenderam a dar o que o povo quer. E uma das coisas que “o povo quer”, porque é um desejo que está no coração de cada ser humano, é ver o malvado se dar mal e o bonzinho se dar bem. Se você fez algo ruim, tem que pagar por isso.

O salmista pergunta a Deus, indignado, por que ele vê o mau prosperando, isso parece ser um argumento forte a favor da inexistência de um Deus. E, apesar de nosso senso estreito de justiça, do tipo “faça as coisas direitinho e se dará bem” ou “não faça coisas erradas e se dará mal”, a Bíblia mostra pessoas que não merecem – nós – sendo isentadas de sua punição. Mostra o mentiroso Jacó sendo escolhido em detrimento do aparentemente obediente Esaú. Mostra o homicida Davi sendo designado “homem segundo o coração de Deus”. Mostra os zelosos e religiosos fariseus sendo duramente repreendidos por Jesus.A Bíblia nos apresenta a graça como sendo uma subversão de nossa idéia de justiça e se não fosse assim, ao olharmos para o espelho de forma honesta acreditaríamos estar perdidos.

Mas há uma atitude para a qual Deus promete pagar na mesma moeda. Apocalipse 11:18 mostra uma cena profética que remete à execução final da sentença dada por Deus a cada homem. Diz: “Chegou a hora de … recompensares os teus servos … e destruíres os que destroem a terra”.

Mais que nunca a Terra tem sido destruída. O noticiário tem intensificado a cobertura desse assunto, os homens de ciência têm elevado o tom de voz e o ex-vice-presidente americano Al Gore alcançou uma fama que não tinha nem nos tempos de Casa Branca ao palestrar por aí sobre o aquecimento global e sobre como as coisas estarão mal ainda nos nossos dias – não mais nos dias das gerações futuras – se não mudarmos nosso estilo de vida já.

Ecologia é uma questão que nunca empolgou muito os cristãos. Parece ser uma bandeira de adeptos da nova era e coisas assim. Mas a verdade bíblica é que Deus nos criou para sermos guardadores do jardim do Éden (Gênesis 2:15), ele nos constituiu administradores da natureza que criou e essa tarefa era parte da idéia dEle a respeito da nossa felicidade. Ao escolhermos outros tipos de felicidade, nos distanciamos do único realmente eficaz, aquele que estava na idéia de nosso Criador.

A pena para quem destrói a Terra é dura e o tema é urgente. Tenha isso em mente quando refletir no quanto gasta de água, no que faz com o lixo que poderia ser reciclado, na escolha do próximo carro.

Marco Aurélio BrasilAqui se faz, aqui se paga