-

As aparências enganam

máscarasEsse dito popular se encaixa muito bem na vida de Naamã, comandante das tropas do exército da Síria, uma das nações mais poderosas em sua época. A seu respeito a Bíblia afirma: “(…) era grande homem diante do seu senhor e de muito conceito…” (2 Reis 5:1). Era poderoso, temido e invejado por todos, mas apenas pelos que não o conheciam na intimidade, o texto termina dizendo: “ele era herói de guerra, porém era leproso”.

Na Antiguidade a pior de todas as doenças era a lepra. Nos tempos de Cristo era apelidada de “açoite”, “dedo de Deus”. Naamã era invejado quando usava seus vistosos trajes de guerra ou de passeio, mas quando se despia a lepra se mostrava, cada dia mais se espalhando pelo seu corpo. Sentimentos controversos o cercavam, os que o conheciam superficialmente, o invejavam e os de sua intimidade, sentiam dó. E assim foi até que uma serva disse que tudo seria diferente se ele fosse ao profeta Eliseu.

Naamã se encheu de presentes (em valores atuais passaria dos R$ 15 milhões) e procurou o profeta do Altíssimo. Contando com uma recepção de gala e uma grande demonstração de poder, se decepcionou quando recebeu o recado de que se quisesse a cura deveria se lavar sete vezes no Rio Jordão. Quase a ponto de desistir acatou o conselho dos que o acompanhavam. Seis vezes se banhou e NADA aconteceu, mas, após a sétima vez, a lepra desapareceu.

Como Naamã, muitos apresentam uma imagem distante da realidade, com suas capas de pureza e retidão são invejados pelo que são ou fazem, mas como são diferentes para os que lhes são próximos, aqueles que os conhecem de verdade! A não ser que busquem o Senhor e sigam Seus conselhos, sua “doença” aumentará cada vez mais, até o dia em que os derrote por completo.  A cura poderá ser gradual como a de Naamã, mas, com certeza virá. Aquele que curou a lepra de Naamã quer curar-nos de todos os nossos males, libertando-nos de toda a angústia e aflição. Busque-O e a receba a cura.

Gelson De Almeida Jr.As aparências enganam

Artigos Relacionados