-

Assim diz o Senhor Deus

10Nesta sexta, dia 20 de março, comemorou-se o dia do contador de histórias. Creio o ato de escrever histórias, compartilhando e proporcionando reflexões, estar intimamente ligado aos contadores de histórias. É certo que estes nem sempre são os que as escrevem, todavia podem ser os tradutores orais das verdades nelas contidas, conservando-as por registros de suas civilizações, por exemplo.

Em tempos idos, a história era dada a conhecer talvez ainda pela manhã ou mesmo ao cair da tarde, até quem sabe em noite alta; fosse ao interior das casas ou à sua porta, porém o fato é que o fizeram para transmitir os valores de suas culturas.

Não foi diferente com o povo nascido do ventre dos filhos de Noé, que geraram filhos até que Abraão fosse formado e transformado, para que Moisés viesse a nascer e escrevesse os cinco livros, dando a conhecer ao mundo registros de histórias contadas há muito antes dele. Histórias que remontavam aos dias de Adão, o primeiro homem, e os dias da criação antes que este fosse.

Posso imaginar as gerações antes Moisés, legítimos guardiões da Palavra, contando as histórias do justo Enoque, de sua virtude em andar com Deus, e por que fora tomado por Deus para Si mesmo; também falando do dia em que Adão conheceu a seu neto Enos, aquele que por seu intermédio se passou a invocar o nome do SENHOR, demonstrando dependência e obediência.

Inúmeras foram as histórias contadas por gerações. Famílias inteiras sentadas ao redor de um ancião, para ouvirem o que lhe fora transmitido por outros antes dele. A prova mais consistente e maravilhosa de tão nobre ofício nos é dada a conhecer pela advertência do quarto mandamento: “Lembra-te!” Há muito sabiam do referido dia de guarda, abençoado e santificado, como justa medida observada pelos fieis contadores das histórias narradas por Deus.

Cumpre lembrar, sejamos nós também os responsáveis pelo digno ofício, como o foram os primeiros ao tempo dos apóstolos pelo que se lê: “iam por toda a parte, anunciando a palavra”, pois, tomando de empréstimo o arrimo das palavras de Paulo: é manifesto que somos a carta de Cristo, em escrita, não de tinta, mas com o Espírito do Deus vivo; não em tábuas de pedra, mas nas tábuas de carne do nosso coração. Portanto, saiamos pelo o mundo e anunciemos o evangelho a toda criatura, pois bendito o que vem em nome do Eterno.

Feliz sábado!

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady FolchAssim diz o Senhor Deus

Artigos Relacionados