Gelson De Almeida Jr.

“Carta de Deus” – Parte II

Na última sexta feira (07/11)discorri um pouco acerca de da “Carta” de Deus (Bíblia) deixada a nós e utilizei como ilustração a venda, em leilão, da carta enviada por Einstein a Eric Gutkind, denominada “Carta de Deus” em 1954, um ano antes de morrer, onde deixa clara a sua falta de fé no povo judeu, em Deus e em Sua Palavra.

Quando escolheu Abraão e seus descendentes para serem Seus representantes aqui na Terra o Eterno desejava mostrar a todas as nações como deveriam proceder os que são chamados pelo Seu nome e como Ele gostaria de agir com cada ser humano, mas Israel falhou em sua missão.

Cristo veio, viveu entre nós e morreu pela humanidade. Deixou-nos um exemplo a ser seguido e derrubou as barreiras/preconceitos até então existentes acerca de quem seriam os eleitos do Pai. A salvação chegou até nós, mas, junto com a salvação, veio também a missão de tornar Seu nome conhecido e testemunhar de Seu poder a “todas as nações” (Mateus 24:14).

Paulo afirmou que aqueles que seguiam seus ensinamentos, baseados na Palavra de Deus, e que haviam sidotransformados pelo poder do Espírito Santo eram a “carta de Cristo” (IICoríntios 3:3). Talvez, Einstein, como seu contemporâneo M. Gandhi, tenha decidido não seguir os caminhos do Eterno por haver conhecido péssimas “cartas de divinas”.

Duas frases de Gandhi, acerca dos cristãos, me chamam a atenção: “Eu gosto de Cristo. Eu não gosto de vocês,cristãos. Vocês são tão diferentes de Cristo” e “(…) De fato, não há nada de errado com o cristianismo. O problema são vocês, cristãos. Vocês nem começaram a viver segundo os seus próprios ensinamentos”.

Como uma “carta de Deus” à humanidade como você tem agido? Os que entram em contato com você conseguem ler acerca de Cristo e do amor do Pai? O mundo quer e precisa conhecer o Pai, permita que seja através de você.

Gelson De Almeida Jr.“Carta de Deus” – Parte II
leia mais

“Carta de Deus” – Parte I

Na última terça feira (04/11), a casa de leilões Christie´s leiloou por quase US$ 2,9 milhões uma carta, intitulada Carta de Deus, escrita por A. Einstein, em 1954, para o filósofo alemão Eric Gutkind, ela mostra um pouco sua visão do Eterno e de Sua Palavra: “Para mim, a palavra de Deus não é nada além da expressão e do produto da fraqueza humana. A bíblia é uma coleção de lendas veneráveis, mas ainda assim primitivas. Nenhuma interpretação, não importa o quão sutil ela seja, pode mudar isso para mim”…, em outra parte do documento ele afirma considerar a religião uma fraqueza.

Em razão de Seu grande amor para conosco o Eterno nos deixou uma Carta, não de uma página e meia como a de Einstein, mas com centenas de páginas, onde Ele mostra como devemos proceder para um dia passarmos a eternidade ao Seu lado.

Semanas atrás, durante campanha à presidência, um dos candidatos ganhou um exemplar da Bíblia, a verdadeira Carta de Deus, no dia seguinte, pela manhã, o livro foi encontrado no meio do lixo acumulado na praça onde houvera o comício. Ao contrário desse candidato, que não deu muita importância, o salmista afirmou: “Guardei a tua palavra no meu coração para poder manter-me afastado do pecado (Salmo 119:11, O Livro). Em outra parte, afirma: “A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho (Salmo 119:105, NVI).

Qual valor você tem dado à Carta de Deus? Como tem tratado aquela que é a carta de um Pai de amor, que quer o seu melhor e, muito em breve, quer lhe encontrar, face a face, no Céu? Em tempos de WhatsApp, Facebook, Instagram, etc., quem recebe sua primeira atenção do dia? Se você acordar atrasado lerá a Carta de Deus ou irá embora pensando que depois dedicará um tempo a Ele? Cristo afirma que se buscarmos o reino de Deus em primeiro lugar tudo o mais nos será acrescentado (Mateus 6:33). A Carta de Deus foi escrita para você, não a deixe de lado.

Gelson De Almeida Jr.“Carta de Deus” – Parte I
leia mais

“Cadê” o Dono?

Dias uma notícia causou alvoroço, parte do prêmio da mega sena, concurso 2074, no valor de R$22.327.541,33 não fora sido retirado e que o ganhador perdera o direito à bolada. Não dá para imaginar as razões que levam uma pessoa a abandonar uma quantia dessa monta.

Quando li a notícia pensei em como a situação desse ganhador é parecida com a de muitos por ocasião da volta de Cristo. Em uma das visões que recebeu quando estava preso em Patmos, João viu as maravilhas da cidade que o Eterno está a preparar para Seus filhos. De tão bela e esplendorosa ele a compara a uma noiva pronta para o casamento (Apocalipse 21:2).

Além de entrar na cidade o Eterno promete a Seus filhos uma coroa, a ser recebida logo no portão de entrada e a graça de passar a eternidade ao Seu lado. Que maravilha, que benção será! O melhor de tudo, porém, é que tudo isso não nos custará absolutamente nada, pois o preço já foi pago por Cristo ao morrer por cada pecador (Romanos 6:23b).
Mas é triste saber que essa oferta maravilhosa, esse presente de amor do Pai aos Seus filhos, será rejeitado por muitos. Na parábola das bodas (Mateus 22:1-14) Cristo ilustrou esse trágico momento ao mostrar que os convidados para as bodas do filho do rei, utilizando-se das mais diferentes escusas, não participaram do banquete.

João afirma que são “Felizes aqueles que são convidados para o banquete de casamento do Cordeiro” (Apocalipse 19:9, BV), portanto, você é um felizardo, foi convidado para esse que será o maior evento de alegria, no universo, desde que o pecado fez morada em nosso planeta. Qual será sua resposta, aceitará o convite e buscará o seu prêmio ou irá deixá-lo abandonado?

Gelson De Almeida Jr.“Cadê” o Dono?
leia mais

Pequenas Coisas

Horas atrás, quando escrevo, parte de um viaduto, em uma alça de acesso à “Marginal Pinheiros”, cedeu cerca de dois metros (foto ao lado). Felizmente ninguém se feriu com gravidade, mas tente imaginar o susto dos ocupantes dos veículos que trafegavam pelo viaduto logo após ele ceder. Especialistas e autoridades disseram aos repórteres que a causa provável para a catástrofe foi a infiltração de água no local, num processo que levara anos até a enorme estrutura ceder.

Vendo a reportagem e a explicação dos especialistas, comparei com nossa jornada cristã. Parecemos ser fortes, impolutos e resistentes a qualquer coisa, quem nos olha nos acha inabaláveis, ninguém imagina que possamos ser derrotados/destruídos. Mas, no instante de maior glória e força caímos, derrotados por uma tentação do inimigo. Nos assustamos, os outros ficam boquiabertos. Em realidade, porém, o ceder à tentação, foi apenas a parte final e visível de um processo que durou muito tempo, possivelmente anos.

Escrevendo sobre a apostasia do povo de Israel no Jordão, uma autora cristã contemporânea escreveu que ninguém vai da pureza e santidade à depravação, corrupção e crime de imediato, mas que ocorre, no coração, um processo demorado, uma longa operação preparatória desconhecida ao mundo, antes que cometamos francamente o pecado. Eva, Balaão, Davi, Sansão, Judas e outros tantos pecaram porque deixaram o mal crescer dentro de si, serviram de escândalo porque, pouco a pouco, trocaram os caminhos do Eterno pelos seus.

Salomão, em uma grande metáfora, afirma que são as pequenas raposinhas que estragam as vinhas (Cantares 2:15). Uma pequena quantidade de água, passando por onde não devia e se acumulando onde não podia, causou um estrago monumental no viaduto. Nesse caso, semanas de trabalho e alguns milhões resolverão o problema, mas na vida espiritual poderemos não ter essa oportunidade. Portanto, não permita que nada, nem ninguém, o afaste dos caminhos do Pai, se afastar é fácil demais, voltar é doloroso e muitos não conseguem fazê-lo.

Gelson De Almeida Jr.Pequenas Coisas
leia mais

Hand Mit Ringen

Há exatos 123 anos (09/11/1895) W. Röntgen (1845-1923) descobria o raio X, mas apenas em 22 de dezembro ele realizou um teste efetivo com o aparelho, fazendo uma radiografia da mão de sua esposa (foto em destaque), que recebeu o nome de “Hand mit Ringen” (Mão com anel).

Com os avanços tecnológicos surgiram outros exames de imagem como a ultrassonografia e a ressonância magnética. A Medicina se vale dos mais diferentes e complexos aparelhos e exames para detectar qualquer tipo de mal que acometa uma pessoa, mas, por melhor que sejam, nenhum deles consegue identificar as “doenças da alma”, as “doenças espirituais”. Nem mesmo nós conseguimos determinar nossa exata situação espiritual, apenas o Eterno consegue perscrutar os recônditos de nosso ser, os lugares mais sombrios de nossa alma e saber nossa real condição.

Davi afirmou: “O Senhor me examina e conhece todas as coisas a meu respeito. Sabe quando me sento ou quando me levanto. Conhece de longe cada um dos meus pensamentos. Examina cuidadosamente todos os meus passos e observa com atenção o meu sono; sim, conhece muito bem tudo o que eu faço. O Senhor sabe tudo o que vou dizer antes de a palavra ser formada na minha boca” (Salmo 139: 1-4, BV).

Aquele que criou todas as partes internas do nosso corpo e as uniu, para nos formar, quando estávamos no ventre de nossa mãe (Salmo 139:13) nos conhece e quer o nosso melhor. Muita dor e sofrimento poderiam ser evitados se deixássemos que Ele nos examinasse cuidadosamente e seguíssemos seus Conselhos de amor e sabedoria.

Davi teve uma vida de acertos, mas também de muitos erros, mas humildemente pediu: “Examine-me, ó Deus, e conheça o meu coração! Ponha os meus pensamentos e emoções à prova, tome conhecimento de tudo! Veja se há em mim algum caminho mau e oriente-me para que eu ande pelo caminho da vida eterna”(Salmo 139:23 e 24, BV). O que acha de tornar esse pedido parte de sua oração diária?

Gelson De Almeida Jr.Hand Mit Ringen
leia mais

#EleSim, #EleNão – Final

Quarta feira falei sobre a escolha que, individualmente, devemos fazer acerca de quem queremos que governe nossa vida e de que Cristo é o único candidato que solucionará nossos problemas, seja de qual ordem forem. Hoje quero refletir sobre o procedimento daqueles que se dizem herdeiros da Promessa.

A intolerância causou uma morte na madrugada do último dia 08 de outubro, em Salvador – BA. Horas após o primeiro turno das eleições em nosso país, Paulo Sergio Ferreira de Santana e o capoeirista Romualdo Rosário da Costa, conhecido como “Mestre Moa do Katendê”, se desentenderam e, por defender o candidato opositor ao defendido por Paulo Sérgio, foi morto com 13 facadas.

Na quarta feira comentei acerca das discussões políticas, que se acirraram de tal modo que intolerância e desrespeito viraram práticas comuns, ocorrem ataques de todos os lados, de amigos, de familiares e até daqueles que afirmam estar se preparando para o encontro com o Salvador. Vale a pena correr o risco de perder a salvação por causa de eleições?

Perder a salvação por causa de eleições! Não é exagero? Os que assim pensam se esquecem das palavras do João ao afirmar que aquele que aborrece/odeia seu irmão é assassino/homicida e não herdará a vida eterna (I João 3:15).

Daqui algumas horas, no plano político, tudo estará acabado e a vida continuará, valeu a pena tudo o que você fez? O que você fará com o ódio acumulado durante os meses de campanha eleitoral e como reconquistará os amigos perdidos?

Estamos no mundo não para discutir política, mas para levar a esperança de um mundo melhor, uma Nova Terra. Não estamos aqui para defender A ou B, estamos aqui para defender os valores deixados pelo Mestre. Se, como cristãos, falássemos da salvação e da vinda de Cristo com a mesma energia, vigor e destemor com que falamos de política nesses últimos meses, Cristo já estaria às portas.

Chega de #EleSim, #EleNão, creia, viva e pregue que #EleVem.

Gelson De Almeida Jr.#EleSim, #EleNão – Final
leia mais

#EleSim, #EleNão – Parte I

Após 21 anos de Ditadura Militar, em nosso país, ocorreram as primeiras eleições diretas (15/11/1989). Várias eleições ocorreram desde então, mas nunca se viu uma disputa como vemos hoje. Difícil é dizer o que está mais acirrado, se a disputa ou os ânimos entre os defensores de cada um dos lados.

Desde o início da campanha, destacou-se a figura, até folclórica, de Jair Bolsonaro. Enquanto crescia nas pesquisas, criado por seus opositores, surgiu o bordão #EleNão, que se generalizou e se espalhou. Restando apenas dois candidatos para a disputa final no segundo turno, mais que nunca o bordão é repetido à exaustão por seus opositores e seus aliados se contrapõe com o #EleSim.

Dias atrás soube de uma séria discussão ocorrida num grupo familiar de uma rede social, entre “opositores” dos dois candidatos. Muito maior que o fenômeno Bolsonaro foi a “guerra” que estabeleceu, entre aliados e opositores, em todos os segmentos sociais em nosso país, o amor ao próximo foi esquecido e o ódio cresceu a tal ponto que até mortes, e tentativas, se espalharam pelo país.

Os que me conhecem, pessoalmente ou apenas por aqui, sabem que jamais me utilizaria desse espaço para difundir ideias e ideais políticos, quero apenas fazer uma breve reflexão sobre o momento em que vivemos.

Os que conhecem as Escrituras precisam se lembrar que nenhum dos candidatos, por melhor que seja, dará jeito na situação em que nos encontramos. Listo duas razões básicas, fundamentadas na Palavra de Deus. A primeira é que a incerteza, o medo e o sofrimento, tão comuns em nossos dias, foram preditos por Cristo, quando discorreu sobre os acontecimentos que precederiam Seu retorno ao nosso planeta e não são poucos os textos que falam disso; a segunda é que apenas o Senhor é confiável e pode “dar jeito” em qualquer situação, por pior que seja.

O texto bíblico começa com a alegria de um Jardim e termina com a alegria de uma Nova Terra, mas entre esses dois momentos existe toda a sorte de dor e sofrimento e no meio de tudo, exatamente no centro/meio da Bíblia, o salmista declara: “É melhor confiar no Senhor do que confiar nos príncipes” (Salmo 118:9, ACF), apenas Ele é digno de confiança.

No próximo dia 28 as urnas dirão quem será o novo presidente do Brasil, mas hoje, para sua vida, o que você diz? Escolha Deus, #EleSim, só Ele nos traz esperança e pode garantir um futuro cheio de paz, alegria e segurança.

Gelson De Almeida Jr.#EleSim, #EleNão – Parte I
leia mais

O Espelho Divino

Se eu perguntasse para o que serve um espelho teria várias respostas, mas a maioria esmagadora delas seria a de que serve para “nos vermos”.

Ao longo dos anos foram realizadas diversas pesquisas afim de se determinar o tempo médio que passamos em frente a um espelho e elas mostram que as mulheres são as que mais gastam tempo diante do espelho, embora venha aumentando o tempo que os homens passam diante do espelho.

Mas ninguém, em todo o Universo, passa mais tempo olhando “espelhos”, que o Eterno. Antes que me acuse de heresia quero dizer que os “espelhos” para os quais Ele olha são bem diferentes daqueles que utilizamos.

Criado à imagem e semelhança do Eterno (Gênesis 1:26), o homem pecou e, desde os dias de Caim e Abel, sempre existiram duas classes de pessoas, as que tem prazer na lei do Senhor e nela meditam dia e noite e os que andam por caminhos tortuosos (Salmo 1:1 e 2).

Afim de que a humanidade não O perdesse de vista e soubesse como andar em Seus caminhos o Eterno escolheu, e capacitou, um povo para ser um exemplo aos demais, um povo que refletisse Seu Caráter e Bondade. Eles falharam e a missão foi dada a nós, somos os responsáveis por espelhar o Eterno a todos os que nos rodeiam. É nesse contexto que coloco você e eu como os “espelhos” para os quais o Eterno olha diária e incessantemente.

Mas pergunto, quando olha você o que Ele vê, Sua imagem retratada de forma fiel ou distorcida? Ninguém usa um espelho imperfeito, se está sujo o limpa, se está estragado ou quebrado o joga fora, o Eterno é diferente com Seus “espelhos”, Ele nunca desiste de um filho Seu e sempre busca restaurá-lo e melhorá-los

Não importa o tipo de espelho que você tem sido, o Eterno quer fazer de você um espelho fiel e para isso promete estar todos os dias ao seu lado (Mateus 28:20). Seja um espelho divino, Ele conta com isso e o mundo precisa disso.

Gelson De Almeida Jr.O Espelho Divino
leia mais

A Oração de Dorotéia

Dorotéia ajoelhou-se junto à cama para, junto com sua mãe, orar antes de dormir. Mal iniciou a sua oração ela se levantou e correu até outro cômodo da casa. Instantes depois voltou e se ajoelhou para continuar sua oração, mas a mãe a interrompeu indagando o quê, de tão importante, a fizera interromper a oração. Olhando fixamente para a mãe ela respondeu: “Sabe mamãe, eu havia escondido alguns blocos do meu irmão e resolvi devolver para ele antes de continuar a oração, acho que Jesus ficará muito mais satisfeito com minha oração agora que acertei as coisas”.

Do seu jeito, Dorotéia entendera que, o mais prudente e sábio a fazer antes de falar ao Pai em oração, é não ter erros conhecidos, pecados não confessados.

Disse alguém certa vez que os que guardam pecado em seu íntimo (pecado acariciado), perdem seu tempo orando ao Pai. Salomão é enfático ao dizer: “Deus despreza as orações de quem se recusa a ouvir a sua lei” (Provérbios 28:9, BV), já o salmista tinha uma certeza: “Se eu atender à iniquidade no meu coração, o Senhor não me ouvirá” (Salmo 66:18, ACF).

Isso não quer dizer que o Eterno nunca atenderá a prece de um filho Seu, mas que devemos, do melhor modo possível, ordenar nossa vida de acordo com Seus ensinamentos, pois, sendo um Deus Justo, Puro, Reto e Íntegro, não espera nada menos que isso de Seus filhos. Nosso acesso a Ele depende, em grande medida de nossa comunhão com Ele e, quando estamos em pecado, quebramos essa comunhão.

Prestem atenção! O braço do Senhor não está encolhido para que não possa salvar! Ele não é surdo para que não possa ouvir. O problema são os seus pecados… Por causa dos seus pecados, Deus desviou o seu rosto de vocês e não ouve mais o que vocês pedem” (Isaías 59:1 e 2, BV).

Por que não faz, agora, uma oração de entrega completa ao Eterno?

Gelson De Almeida Jr.A Oração de Dorotéia
leia mais

Benção Pequena?

Gosto da lenda do homem que passava seus dias mendigando pelas ruas de uma cidade na Índia e que acalentava o sonho de um dia encontrar alguém com muitas posses, que se apiedasse dele e desse uma soma suficiente para sair de sua miserável situação.

Certo dia ouviu um tropel de cavalos, mesmo de longe, percebeu tratar-se de alguém importante, correu para a estrada e se postou no meio do caminho. O cavaleiro freou seu cavalo bem perto dele, quando ele levantou a cabeça viu tratar-se do rei, que lhe perguntou: Deseja uma dádiva do seu rei? Sim, disse ele. O rei então lhe perguntou: Mas o que você tem para dar ao seu rei? Não querendo se desfazer de nada e imaginando também não ter nada para dar, pegou os dois menores grãos de arroz de sua tigela, colocou na palma da mão e ofereceu ao rei. O rei pegou-os, jogou de volta na tigela e foi embora. Com pesar e raiva viu o rei se afastar, mas, ao olhar para a tigela viu que os dois grãos de arroz haviam se tornado em duas moedas de ouro. Pensou: Que pena não dei tudo para o rei.

Muitas vezes nos comparamos a outras pessoas e achamos que o Eterno tem sido injusto conosco. Olhamos ao redor, vemos outros com benção muito maior que a nossa e pensamos: Não existe justiça nesse mundo! Dias atrás conversei com uma pessoa que listou uma série de pessoas, próximas a ela, que não passavam pelas provas que ela passava. Disse que não era justo ela, uma cristã, passar por coisas que os outros, que não professavam religião alguma, não passavam.

Deus não é obrigado a nos abençoar, mas nos abençoa porque nos ama, mas Suas bênçãos, em muitos casos, são condicionais e vem na medida de nossa entrega e dedicação a Ele e no modo como “abençoamos” os que nos cercam. Ele pede apenas que dediquemos o nosso melhor para Ele (Provérbios 23:26) e, se assim procedermos, tudo o mais nos será acrescentado (Mateus 6:33).

Não reclame nem murmure, apenas se entregue e confie, Ele fará o melhor para você.

Gelson De Almeida Jr.Benção Pequena?
leia mais