-

# Corações julgados

juridico_29061508_gdA que ponto chegamos. Um senador da república elabora um plano para dar fuga a um preso por alta corrupção, e ainda revela que seria fácil conseguir decisões judiciais com ministros da mais alta corte do País para que o plano de fuga se efetivasse. Bem, todos sabem dessa história e também como foi o seu desfecho causando grande escândalo no Brasil e no mundo.

Nestas horas penso em nosso Deus. Como estará Ele se sentindo diante de tanto desequilíbrio, maior ainda pelo fato que há séculos neste País os poderosos e corruptos se livram de seus malfeitos em detrimento dos injustiçados, tanto quanto continuam as crianças órfãs e os pobres vivendo com as migalhas que caem das mesas, não raro disputando-as com os cães.

Mas, e nós? Como nos alinhamos a isso, independentemente de ideologias políticas? Está o crente alinhado à moralidade e transparência dos atos e valores cristãos, à retidão do caráter do Messias, à postura que clama pela decência no trato da coisa pública? Ou as paixões que estão a mover este País têm nos desviado das escrituras, pervertendo-nos a consciência? Sinceramente, clamo a Deus que jamais permita isso entre os Seus.

Somos povo separado e, se somos ensinados a amar aos que nos perseguem, ou mesmo aos poderosos malfeitores que nos atingem indiretamente, mais ainda devemos amar aos da fé. Glórias ao Altíssimo Deus por isso, e bendito seja o Seu nome para sempre. O mundo não entende esse nosso comportamento de união. Muitos de nós também não ao início de nossa conversão, mas é assim.

A Palavra nos ensina e exorta. O Espírito nos converte, mas, se não nos entregamos completamente a ele, somos apenas convencidos pela pregação calcada pelas linhas do Evangelho, sem ter nunca sido talhado por sua essência, por suas entrelinhas. Assim, jamais experimentaremos o poder transformador da Palavra e por ele, o estado real de conversão.

No fim, todos seremos julgados, peregrinos que fomos em terra estranha. Ricos e pobres. Poderosos e comuns. Bons e maus. E é nosso coração que irá nos denunciar. Nossos feitos dirão de nós, mas, sobretudo as intenções do nosso coração é o que revelará atos e omissões. E Deus? Como se sentirá ao presenciar nossa exposição individual diante do universo, revelando aquilo que fomos?

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Corações julgados

Artigos Relacionados