-

# Demonstrações de amor

Há um tempo, a mais famosa rede social da internet teve um post bastante compartilhado e curtido. Tratava-se de uma crônica que relatava o comportamento de uma igreja cristã nos Estados Unidos que, em uma linda manhã, aguardava repleta por um pregador muito querido, convidado a se tornar o seu pastor principal.

Acontece que o homem, combinado com alguns poucos, vestiu-se de mendigo, e, portanto, muito sujo e mal vestido, adentrou a igreja sem que ninguém soubesse que era ele o ilustre aguardado. Após toda rejeição vivenciada de diversas formas, qual não foi a surpresa de todos quando ele subiu ao púlpito. Lágrimas sinceras, sentimentos de vergonha, arrependimentos verdadeiros tomaram conta da igreja.

Há muitas igrejas cristãs no Brasil e no mundo e, apenas por esse motivo, poderíamos acreditar que expressivas mudanças de comportamento haveriam de surgir no convívio entre as pessoas. Será esta uma verdade questionável?

A carta que o apóstolo Paulo escreveu aos gálatas (5:22) afirma que aquele que vive pelo espírito de Deus, produz frutos como amor, paz, longanimidade, benignidade, bondade. Mas, se é assim, por que tanta indiferença com aquele que em nada difere de mim ou de você? Por que ainda atitudes tais até entre membros de uma mesma igreja, como é muito comum vermos?

Por que, afinal, não nos amamos com a plenitude do que nos ensina a palavra? A propósito, não é o amor o vínculo da perfeição? Certamente que sim. Paulo lembrou isto aos colossenses, pedindo que dele se revestissem, e por ele, seguissem também revestidos de compaixão, humildade e mansidão. (3:12-17)

Alguém diria que a justificativa é porque a igreja é feita de homens. Sim! Mas, afinal, não são eles os homens que se dizem discípulos de Jesus? Esqueceram-se do que ensinou o apóstolo João? “Aquele que não ama não conhece a Deus, porque Deus é amor”. (1 Jo 4)

O que parece faltar ao coração do homem é coragem para estender a mão; procurar extirpar diferenças; todas, demonstrações de amor. Mas, a escritura diagnostica: Corações cheios de orgulho e vaidade.

Contudo, aos justos que deram conforto ao que estava doente, de comer a quem tinha fome, de beber a quem tinha sede, vestes ao que estava nu, sejam literais ou abrangentes os sentidos que estas atitudes possam alcançar, Cristo dirá no dia do julgamento final: “Vinde, benditos de meu Pai, possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo”. (Mateus 25:34).

Shabbat Shalom!

Ṣadi – Um Peregrino da Palavra. 

Sady Folch# Demonstrações de amor

Artigos Relacionados