-

#O que é o amor? #GuerradosSexos

Não se preocupe com o que aconteceu no passado, pense e reinvente seu futuro… não é algo tão sentimental, embora isso não seja um defeito…estou no ritmo do tema de nossas reuniões “Guerra dos Sexos..”. Mas vamos encarar os sentimentos em outro plano, mais racional.

É natural sentir, mas é vital saber. E na guerra do sentir versus saber, o que eu sei pode anular o que eu sinto. Digo que pode não que seja simples ou que haja fórmula mágica. Acredito no poder da escolha, eu escolhi acreditar no amor.

É certo que sentimentos são bonitos, colorem a vida. Mas eles só se encaixam nas molduras que nós lhes damos.

Sentimentos são como crianças. Não sabem direito quem são. Só sabem que sentem. Nascem pequenos, mas crescem, e ganham a força que lhes damos. Dependem de nós… Só invadem o espaço que lhes permitimos ter. Sentimentos são regidos por escolhas, por isso traçam destinos, escolhem fins e finais. Sentimentos somos nós escolhendo como viver. Sentimentos que decidem que desistem que resistem que permitem que outros – sentimentos – vençam.

Se preparem… vai ai então…os devaneios que tenho é que o amor vem com o tempo, vence com o tempo, quando os erros dão à luz seus acertos. Amor é uma escolha sentida e sabida. É a soma de sentimentos escolhidos – a dedo e sem medo. É escolher o que faz sentir bem o outro. O amor prefere esquecer quem é. Não sabe bem o que vem, mas sabe bem o que quer. Muitas vezes – e quase todas – desconhece os ‘porquês’, pois está além das explicações… o amor vence o tempo, a distância, o cansaço e os outros sentimentos.

“O amor jamais acaba” I Cor. 13:8, ainda que mude sua direção.

O amor não se inventa, não se diz não se pede, não se compara, não se aprisiona. Amor é uma pessoa, uma ação, um tempo, um fim. Em uns, é uma palavra, em outros, a própria vida. E o melhor de tudo: amor é uma força que produz amor

 

Adriano Vargas#O que é o amor? #GuerradosSexos

Artigos Relacionados