-

O que há de melhor

O sistema sacrifical instituído por Deus através de Moisés no Velho Testamento era um símbolo do que Jesus Cristo um dia faria por toda a humanidade e havia uma regra de ouro nos sacrifícios que o povo fazia a Deus: o animal sacrificado precisava ser perfeito. Porque a ausência de defeitos físicos prefigurava a ausência de pecado do cordeiro sacrifical que Jesus um dia seria. E porque esse detalhe mostrava o grau de importância que o adorador dava a Deus.cordeiro

O profeta Malaquias traz um recado de Deus para um povo que fazia esses sacrifícios já há várias gerações: “E vós dizeis: Em que temos nós desprezado o teu nome?… Quando ofereceis em sacrifício um animal cego, isso não é mau? E quando ofereceis o coxo ou o doente, isso não é mau?… Mas seja maldito o enganador que, tendo animal macho no seu rebanho, o vota e sacrifica ao Senhor o que tem mácula” (Malaquias 1:6-14).

Agora esqueça sacrifícios e animais defeituosos e responda honestamente: em que aspectos de sua vida Deus está lhe pedindo o que você tem de melhor? O quão seriamente você considera isso?

Ele deu o que tinha de melhor por você. Pense nisso.

 

Marco Aurélio BrasilO que há de melhor

Artigos Relacionados