Últimas Publicações

O sorriso do meu filho

Se naquelas brincadeiras infantis alguém me perguntasse “quem da Bíblia você gostaria de ser?”, uma penca de nomes disputariam para estar na resposta. São tantas figuras fantásticas, que me inspiram uma admiração tão funda, tantos gigantes na fé! Mas os nomes de quem eu NÃO gostaria de ser, esses vêm ainda mais fácil. Digamos que desses eu retirasse os malvados, aqueles que entraram na história como “do lado negro da força”, aí acho que minha resposta seria: Jeremias.

Afinal de contas, não seria legal ser lembrado pela posteridade como “o profeta chorão”. Não não, eu não gostaria. Jeremias escreveu um livro chamado “Lamentações”. Em nenhuma de minhas idílicas fantasias literárias eu ansiaria escrever um livro com esse nome. Jeremias repete ali diversas vezes coisas como: “de tanto chorar as
lágrimas me secaram” e por aí afora, mas eu não consigo deixar de lembrar da máxima viniciana (de Vinicius de Moraes) “é melhor ser alegre que ser triste”.

Ok, é melhor ser alegre, mas quando temos motivos de sobra pra tristeza, talvez aí esteja justificada a atitude “jeremíaca”. Aí me vêm dias em que sou confrontado com a face escura da humanidade (a longa, comprida, interminável face escura), vejo atrocidades e barbaridades e penso em como posso não ser um Jeremias em tempo
integral?

No meu trabalho eu sou confrontado com a malícia e a má fé humanas todo santo dia. Calha de alguns dias fora do ambiente de trabalho eu dar com mais vilezas. Pra piorar, parece que exatamente nesses dias aziago eu ter tempo e estômago para assistir ao Jornal Nacional. Pronto. Coquetel explosivo. O desânimo me sobe pelas pernas, pega o estômago, vai entorpecendo tudo.

Eis aí um paradoxo: Deus não quer que ignoremos o tipo de mundo em que vivemos, nem o câncer moral que não pára de crescer e metastaseou há muito tempo. Mas ao mesmo tempo, não quer que andemos como Jeremias para cima e para baixo. Como diz mesmo o salmista? “O choro pode durar a noite inteira, mas o riso vem ao amanhecer”. Ou seja, tem momentos em que ser um Jeremias não é mau, não dá pra escapar mesmo. Mas esse estado de espírito só pode ser temporário.

Quando chego em casa nesses dias, encontro perfeitos antídotos para a tristeza. O entusiasmo, e o sorriso de meus filhos me arranca do estado-Jeremias de uma forma muito singela e instantânea. Neles Deus me faz lembrar que toda noite escura tem um final.

Decerto Ele tem Seus lembretes para você também, embora em minha corujice eu duvide um pouco se eles são tão belos. Gostaria que os encontrasse. Procure aí, por entre a dor e a intolerância que o cercam. Você vai achar.

Marco Aurélio BrasilO sorriso do meu filho

Artigos Relacionados