-

# Pais e filhos

Pais e filhosA criação dos filhos é uma responsabilidade enorme, e da orientação de uma boa educação normalmente resulta a formação de adultos com a mente equilibrada, conhecedores de limites e valores, adquirindo maturidade.

Há alguns dias eu pude ouvir duas opiniões distintas de amigos meus a respeito da experiência na criação de seus filhos, demonstrando como a postura dos pais exerce uma importante influência na vida de futuros adultos. Em ambos os casos o diálogo com os filhos é a tônica no relacionamento. Também ambas as famílias têm a palavra de Deus como diferencial na vida de seus integrantes, proporcionando valores importantes para a convivência de todos.

Pois bem, no primeiro caso, o filho pergunta ao seu pai se naquela noite, ao sair da faculdade poderia se encontrar com os amigos. Pai e filho combinaram um horário razoável para o retorno à casa, afinal era dia de semana e mais do que justo fosse estabelecido um limite. Naquela noite o filho voltou mais tarde que o combinado, quebrando a confiança depositada. Resultado: está proibido de ir às reuniões até o final do ano.

O próprio contexto em que o filho universitário pede autorização já demonstra respeito. A criação dada a esse rapaz justifica a pessoa equilibrada que conhecemos. Não à toa, disse-me seu pai, ele reconheceu seu erro e aceitou a decisão. Por certo há aí uma grande chance de se tornar um adulto responsável, justo e maduro.

No segundo caso o pai confessava não impor certos limites – que à vista de todos têm se mostrado necessários – por acreditar que se o fizer, o seu filho poderá “espanar”. E ainda que insista em um diálogo, tentando fazê-lo compreender as razões dos limites, no momento crucial acata o desejo do filho, que já se acostumou a impor a sua vontade, caso contrário, se rebelará.

Como afirmei anteriormente, são famílias crentes na palavra de Deus, contudo, a primeira dá o testemunho de confiar em Deus o destino advindo da correção de seu filho, e no segundo exemplo, não. Infelizmente, neste outro caso o pai diz a si mesmo que não confia na providência de Deus para amparar a mente de seu filho com consciência a respeito da educação que esteja recebendo.

Eu sei, não é nada fácil criar um filho, e os casos se diferenciam por uma série de circunstâncias, contudo, há um caminho apenas para que um filho se torne maduro: obediência e compreensão quanto aos limites que lhes são impostos. Caso contrário, pais ficam reféns de seus filhos e a sociedade de adultos que crescem arrogantes.

O resultado de limites nessa fase pode até ser um esperneio aqui, outro acolá, mas ao confiarmos que o fruto não cai longe de sua árvore, sabemos que uma hora hão de compreender a necessidade de respeito às regras, sobretudo quando são filhos que já entendem a essência da palavra de Deus. E desta forma criamos, de fato, adultos.

Sadi – Um Peregrino da Palavra

Sady Folch# Pais e filhos

Artigos Relacionados