-

Santificar para suportar

Santificar para suportarDescobertas e inovações sempre encantaram as civilizações por facilitarem muito as suas vidas. O domínio do fogo, a invenção da roda, da escrita, a descoberta do ferro, entre tantos outros exemplos apenas no mundo antigo. Muito tempo depois, a descoberta do petróleo, da eletricidade, a invenção do aço. E na atualidade, então, nem se diz. As descobertas e a explosão de conhecimento aconteceram de uma tal forma que não há o que o homem pense ser impossível alcançar ou produzir.

Todas essas inovações sempre estiveram nas mãos de uns poucos, representando uma forma de poder, de controle. Para isso, lançaram mão de disputas, traições, mortes, escravidões e, sobretudo guerras. Sempre foi assim. É ainda nos dias de hoje. Somente as lendas como a de Atlântida dizem da existência de povos que viviam em perfeita harmonia, com equilíbrio populacional, moral, ético etc. Pura utopia. O mundo sempre se pautou pelo desequilíbrio civilizatório e humano.

Contudo, e de forma contraditória, pois os testemunhos nefastos de outros tempos deveriam servir como paradigma para a evolução de nosso comportamento, o mundo parece regredir a passos largos. As guerras são muitas vezes silenciosas e lentas, e a crueldade parece ter dominado a mente humana. As civilizações parecem estar vivenciando uma estupidez só mesmo vista em tempos muito antigos, a exemplo dos comportamentos que antecederam o dilúvio no mundo, catástrofe que encontra registro por parte das mais antigas civilizações.

As escrituras sagradas já previam isso. Jesus Cristo afirmou isso e os evangelhos confirmam suas palavras. No livro de Mateus encontramos os discípulos encantados com as edificações do templo, suntuosas a ponto de encher os olhos, no entanto, ele os adverte que nada daquilo sobreviveria. E pior, que os tempos apresentariam homens que falariam em nome de Deus, não passando de falsos profetas, e outros que escarneceriam da fé alheia, e também que guerras e fomes aconteceriam, além de ódios e traições de toda sorte, aumentando a iniquidade e diminuindo o amor.

Presenciamos exatamente esse mundo. O mundo onde homens sacrificam outros homens com requintes de crueldade em frente às câmeras apenas por causa de religião; onde milhares de pessoas em países pobres são deixadas à míngua, enquanto alimentos são desperdiçados a todo momento e nenhum dirigente poderoso se levanta para corrigir isso; onde a corrupção mostra ser prática corriqueira a toda uma classe política; onde, infelizmente, uma menina é brutalmente violentada por dezenas de bárbaros, para dizer o mínimo, divertindo-se com a exposição nas redes sociais, certos que estão da impunidade.

Pai! Envia o Teu filho de volta! Só o Senhor sabe esse dia, segundo ele próprio declarou quando esteve entre nós como homem! Antecipa, Senhor, a volta de Jesus, pois a humanidade se desumanizou a um extremo insano. Maranata! Vem, Senhor!

Que nossas vidas se voltem apenas o suficiente para as inovações que nos facilitam a vida, e muito mais para a existência que encontra na santificação a forma que nos permite manter a sanidade, suportando tanta iniquidade.

Sadi – O Peregrino da Palavra

Sady FolchSantificar para suportar

Artigos Relacionados